Home Maranhão Cancelados contratos de segurança em 76 agências dos Correios

Cancelados contratos de segurança em 76 agências dos Correios

Agências dos Correios devem encerrar contrato com serviços de segurança no Maranhão. Segundo o deputado federal (PCdoB-MA), Rubens Júnior, no plenário da Câmara dos Deputados, o Governo Federal decidiu economizar cortando os serviços de vigilância. Somente no Maranhão, 76 agências devem ter os postos de segurança encerrados. A diretoria da empresa também teria determinado o encerramento dos contratos dos postos de segurança em todo o país para diminuir as despesas.

Segundo informativo do deputado, nas agências que oferecem o serviço denominado “Banco Postal” por determinação judicial, o Correios está obrigado a disponibilizar postos de vigilância armada. O memorando circular enviado pela presidência dos Correios à Superintendência Estadual do Maranhão lista as agências no estado que terão os postos de segurança encerrados. O documento também sugere algumas medidas, como: substituição dos serviços de vigilância por portaria ou recepção, instalação de fechadura eletrônica ou porteiro eletrônico, melhoria na iluminação e recuperação de muros.

Em outro comunicado, a empresa sugere que prefeituras e câmaras municipais sejam comunicadas da situação, e caso não queiram que os “Bancos Postais” tenham os serviços interrompidos, convênios deverão ser firmados com os Correios para que os municípios arquem com as despesas de segurança.

A empresa confirmou a informação, emitindo a seguinte nota:

Os Correios acompanham os aspectos de segurança pública em suas unidades, adequando-se às práticas de mercado relativas à segurança de cada localidade. Entretanto, o momento empresarial dos Correios demanda o saneamento das despesas. Assim, todos os serviços contratados estão sob revisão, para garantir a utilização racional dos recursos, visando o equilíbrio econômico-financeiro da empresa.  A racionalização de recursos também é aplicada aos postos de vigilância, que serão mantidos nas unidades priorizadas por método de avaliação de vulnerabilidade, com atenção especial para as agências.

Apesar da contenção de gastos, Correios ratificam o seu objetivo junto à população: otimizar os serviços prestados à sociedade, zelando pela sustentabilidade dos negócios da empresa e tendo como prioridade a universalização postal.