Home Maranhão Imperatriz Julgamento da morte do empresário Pedro Ventura acontece em setembro

Julgamento da morte do empresário Pedro Ventura acontece em setembro

Julgamento da morte do empresário Pedro Ventura acontece em setembro

Após dois anos da morte do empresário Pedro Ventura, deve acontecer o julgamento dos acusados pelo crime nos dias 14 e 15 de setembro, em Imperatriz. O microempresário foi visto pela última vez no dia 21 de agosto de 2015, entrando na casa onde morou com a ex- mulher Cícera Célia Ribeiro Teotônio, exatamente um dia depois de ter assinado o divórcio.

O corpo só foi encontrado cinco meses depois, nos fundos de uma fazenda no município de Buritirana, distante cerca de 70 km de Imperatriz. A necropsia do corpo apontou que Pedro Ventura levou dois tiros e um corte na garganta.

Dos três acusados, apenas a ex mulher da vítima está presa. Na época do crime, dois irmãos de Célia, Daniel e Laércio Teotônio, foram apontados como suspeitos de participação e ocultação do corpo. Mas, só Daniel e a ex esposa que foram vistos chegando na casa no dia do assassinato. Os dois foram pronunciados a júri popular e vão ser julgados em setembro.

Já Laércio, está em liberdade desde maio de 2016. A justiça concluiu que ele não teve envolvimento com o crime e não vai a júri popular.

“O que aconteceu foi um assassinato frio, calculado em que as provas foram desfeitas e, consequentemente, dificultou o trabalho da investigação. Mas, ainda assim, esse trabalho que a perícia fez foi o suficiente para municiar o nosso trabalho e, sem dúvida nenhuma, nesses dois anos, foram suficientes para que a gente pudesse compreender e a cada dia estar mais certo do que defendemos”, explicou o advogado do caso, Bruno Lima.

Emocionada, a mãe de Pedro, Sulla Brandão, fala do sofrimento durante os dois anos de espera.

“É muito difícil. O meu sonho era ouvir a voz dele e eu não consigo mais. Minha família está tendo vários problemas de saúde devido a esse crime. Os irmãos dele, por parte de pai, estão todos emocionalmente abalados. Isso nos tem feito sofrer muito durante esses dois anos. A saudade está muito grande. Estou bastante confiante que todos os acusados serão condenados”, diz a mãe.