Home Maranhão Pipas enroscadas em fiação elétrica: 1.633 casos foram registrados em 2017

Pipas enroscadas em fiação elétrica: 1.633 casos foram registrados em 2017

Pipas enroscadas em fiação elétrica: 1.633 casos foram registrados em 2017

Ainda que os computadores, tablets e outros aparatos tecnológicos animem as crianças atualmente, brincadeiras de rua ainda reúnem e entretém muitos jovens durante as férias e períodos de folga da escola. Contudo, é preciso tomar cuidado com algumas brincadeiras que podem apresentar algum perigo para as crianças e adolescentes. Como empinar pipa, por exemplo. A Companhia Energética do Maranhão (Cemar) registrou, apenas em 2017, 1633 acidentes no estado envolvendo pipas que entraram em contato com a fiação elétrica.

 

Segundo a Cemar, ao deixar uma pipa enroscar na fiação, tanto as crianças quanto a população do bairro pode ser afetada. “A brincadeira de soltar pipa é muito divertida, mas oferece grandes riscos se não for feito de forma responsável. Por este motivo é importante tomar alguns cuidados, inclusive ao atravessar a rua correndo, os atropelamentos são comuns devido a este tipo de brincadeira. Ficando atento as dicas de segurança da Companhia é só aproveitar e se divertir” explica Francisco Ferreira, executivo de Segurança da Cemar.

O número de ocorrências que envolvem pipas e fiação elétrica contou com uma queda de 17 casos em comparação ao mesmo período do ano passado, quando foram registradas 1650 ocorrências. Em 2015, foram 1618 casos contabilizados pela Cemar.

A orientação do órgão para quando as pipas ficam enganchadas na fiação é que não tentar tirar a pipa, principalmente com fios metálicos ou arames. “Pois muitas vezes a criança percebe que pode pegar, sem medir esforços e é extremamente perigoso, sendo um risco até fatal”, aponta informe da Companhia, que enfatiza que é proibido invadir subestações para tentar recuperar pipas que tenham caído nestas instalações. “O melhor é que essas brincadeiras sejam feitas em locais que não tenham rede elétrica próxima, preferencialmente em campos abertos, praias ou parques”.

Outra preocupação é em relação ao cerol, mistura cortante feita com cola, vidro e restos de materiais condutores, que é um dos principais causadores das interrupções no fornecimento da energia. Geralmente provocam curto circuito e até o rompimento dos cabos, podendo causar um grave choque elétrico ou até mesmo fatal.

 

A recomendação para casos de acidente com choque elétrico é que as pessoas no local que não toquem na vítima e nem fiquem próximas de fios e objetos que estejam em contato com ela. A orientação é, assim que possível, chamar o Samu no 192 ou Corpo de Bombeiros 193 e comunicar-se com a Cemar através do 116, informando a situação com o local exato e ponto de referência.

Além da segurança das crianças que gostam de soltar pipa, há também os prejuízos materiais e financeiros. Soltar pipa embaixo da rede elétrica pode provocar curto-circuito e desligamentos na redes de distribuição, caso ela enrosque na fiação.