HomeMaranhãoImperatriz Alunos de escola municipal são liberados mais cedo

Alunos de escola municipal são liberados mais cedo

Alunos de escola municipal são liberados mais cedo

Estudantes da Escola Municipal Paulo Freire, no bairro Parque Amazonas, na cidade de Imperatriz, estão sendo liberados mais cedo das aulas por falta de água e merenda na instituição de ensino. Na manhã desta quinta-feira (10), mães de alunos reclamaram da situação que dura há mais de uma semana.

O problema é que a bomba que fornece água para o prédio da escola está queimada, por isso, o horário das aulas sofreu alteração. Agora, os alunos assistem apenas três horas de aula e são liberados em seguida.

Os banheiros estão sujos e sem condições de usar por conta do mau cheiro. A merenda escolar também está comprometida por causa da falta de água. Segundo relatos dos alunos, há um revezamento na hora de servir o lanche, é o que conta a mãe de dois alunos da escola, a dona de casa Patrizia Milhomem.

“Eles estão liberando mais cedo, às 10h. A maioria depende dessa merenda, porque são crianças carentes. Esse horário fica muito difícil para os pais que trabalham, tem gente que não pode, então como é que vão pegar as crianças nesse horário? É muito ruim! Fora isso, eles ficam com sede e sem merenda escolar, tanto os pequenos quanto os grandes”, conta Patrizia.

Outro problema relatado pela mãe é estrutura precária da escola. Segundo ela, as salas estão com a estrutura desgastada.

“As condições do prédio não estão boas. A fiação é bem antiga, as salas são escuras, é terrível para as crianças. No último inverno eles tiveram poucas aulas, as salas alagam, pois têm muitas goteiras. Já caiu até um ventilador na mesa de uma professora, é complicado”, lamenta a dona de casa.

“O meu filho traz uma garrafa de água, mas não dá, acaba esquentando, então fica passando sede na escola. Isso tem que melhorar, as crianças precisam das aulas, a educação é essencial”, disse outra mãe, Maria dos Santos.

A coordenação da escola informou que a Secretaria Municipal de Educação já tem conhecimento sobre o caso e o problema será resolvido na sexta-feira (11).