Home Cultura Mandalas e bonecos ecológicos em exposição gratuita em São Luís

Mandalas e bonecos ecológicos em exposição gratuita em São Luís

Mandalas e bonecos ecológicos em exposição gratuita em São Luís

Mandalas com temas variados e bonequinhos ecológicos integram a exposição “E o Ciclo Continua”, do artista plástico e artesão Milton Lozano, que fica em cartaz na Galeria de Arte do Fórum Des. Sarney Costa (Calhau), até o dia 25 de agosto. O espaço é aberto ao público de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h, no hall do fórum.

São 20 mandalas com temas variados e confeccionadas em escultura e pintura sobre tela, em que o artista retrata personagens da cultura popular e da flora maranhense, pescadores, animais, entre outros. Segundo o autor, a maioria das obras foi criada exclusivamente para essa exposição.

No local, o público poderá conhecer e adquirir também bonequinhos confeccionados com pó de serragem que sobra da madeira que o artista cria suas telas. O objetivo, segundo ele, é despertar a consciência ecológica sobre a importância da água para os seres vivos e o respeito que as pessoas devem ter pelas plantas. “Parece brinquedo, mas é coisa séria”, afirma Lozano, referindo-se aos bonecos que, quando mergulhados na água, após três dias as sementes de girassol e de alpiste germinam, como se fossem os cabelos do bonequinho.

O autor explica que a embalagem, em papel reciclado, traz as instruções de como cuidar e preservar o bonequinho criado em duas versões: “Índio Maranhãozinho”, na cor verde; e a “Boneca de São Luís”, na cor rosa. O ciclo de vida do brinquedo é de um mês e meio, mas a planta, depois desse período, pode ser transportada para um vaso com terra ou para o chão. “Recebo muitos pedidos de escolas e também para festas infantis, porque os bonecos são ecológicos e educativos ”, disse.

Lozano já esteve em cartaz na Galeria de Artes Celso Antônio de Menezes (Fórum Des. Sarney Costa), com os bonecos ecológicos e a exposição de mandalas (março de 2016) e com a coletiva “Impressões de Mulher”, com os artistas os plásticos Pascal Bodin e Beto Lima (março de 2017). Na pintura das mandalas, Lozano usa pincel e também aerógrafo, uma espécie de pistola de ar comprimido, utilizada para produzir determinados efeitos em desenhos e que, segundo ele, dá mais realismo à obra.

O paulistano, que mora em São Luís há quase 30 anos, conta que começou a desenhar e a pintar ainda na infância, por volta dos sete anos, deslumbrado com os desenhos que via na televisão e procurava reproduzir. Era ele quem pintava os murais do colégio, estimulado pela direção da escola em que estudava, na capital paulista.

“O Clico” foi a primeira exposição de Milton Lozano, em São Luís, no Espaço de Arte Márcia Sandes, na Procuradoria Geral de Justiça (Centro), em 2013, apresentando diferentes séries de mandalas. Nos anos seguintes, expôs suas obras também na Assembleia Legislativa do Maranhão (Cohafuma) e no Centro de Memória e Cultura do Tribunal Regional do Trabalho do Maranhão (Areinha). No ano de 2014 participou de uma coletiva no Pavilhão de Exposições Caio de Alcântara Machado (Anhembi) em São Paulo.