Home Notícias Bem Estar Período de férias pode servir para aproximar a família

Período de férias pode servir para aproximar a família

Período de férias pode servir para aproximar a família

Além de descansar das obrigações escolares, as férias infantis podem ser um momento para a se profundar o relacionamento entre pais e filhos e fortalecer os laços familiares. Especialistas aconselham que pais aproveitem o recesso para interagir e brincar com filhos, para que se criem momentos de diversão e de memória afetiva.

Os pais Kelly e Djalma Castro tiraram férias em julho para coincidir com o período que os dois filhos mais novos, Pamella (12), Andrei (13), dão uma pausa nos estudos para descansar. Mesmo com o mais velho fazendo pré-vestibular, eles deram um jeitinho de saírem todos juntos na semana passada, quando foram passear no Rio Anil Shopping.

“Vivemos todos em um corre-corre. Então, aproveitamos o período para estar juntos. Se tornou um programa em família”, comenta Kelly Castro. Entre todos os programas, o shopping ainda é um dos preferidos, pois têm opções para todas as idades. Semana passada, enquanto Pamella se divertia brincando de Play Kart, circuito com o uso de um carrinho adaptado do skate elétrico, instalado no Rio Anil Shopping, Andrei escolhia o próximo filme para assistir no cinema, ambos observados pelos  pais e o irmão mais velho.

Para a psicóloga Joelina Abreu, do Hapvida Saúde, a pausa nos estudos é importante para a garotada. “É importante e fundamental para o descanso físico e psicológico. Assim como com os adultos, o corpo e a mente infantis cansam. Aí entra a necessidade do descanso e da brincadeira”, explica.

Em tempos em que a principal diversão das crianças está associada às telas dos videogames e dos tablets, a especialista reforça a necessidade do estímulo dos pais para outras atividades. “Essas concessões até podem ser feitas com mais frequência, mas, ainda assim, o tempo deve ser limitado. Se essa atividade se der de forma exagerada, há o risco de se criar ali um vício em celular ou em videogame que é muito difícil de ser curado antes do retorno às aulas”, afirma.