Home Maranhão Imperatriz Funcionários da Redenção protestam por benefícios atrasados

Funcionários da Redenção protestam por benefícios atrasados

Funcionários da Redenção protestam por benefícios atrasados

Funcionários da Redenção – atual empresa responsável pela coleta de lixo na cidade – se manifestaram na manhã desta terça-feira (11), em frente à construtora, reivindicando seus direitos. Eles alegam que a direção da empresa não realizou o pagamento das horas extras além de ter diminuído o valor do ticket de alimentação.

Inconformados com a situação, nenhum trabalhador saiu da sede da empresa na manhã de hoje. A paralisação foi organizada pelos sindicatos dos Trabalhadores de Transportes e dos Empregados Estabelecimentos Região Tocantina, que são responsáveis pela maioria dos funcionários admitidos. O objetivo da manifestação foi de chamar atenção para vários problemas que segundo a categoria, acontecem dentro da empresa.

De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores de Transportes, que representa grande parte dos funcionários, benefícios como vale-alimentação e hora extras estão atrasados. Além disso, a empresa quer diminuir o valor do ticket alimentação para duzentos reais, os trabalhadores e nem os sindicatos aprovam a decisão.

No mês de maio, a Prefeitura de Imperatriz encerrou o contrato com a empresa “Brasmar Limpeza Urbana Ltda” e anunciou a contratação de novo fornecedor para a coleta de lixo na cidade. A empresa “Construtora Redenção Ltda” é responsável pela execução do serviço desde então.

Outro problema que motiva a paralisação é o descumprimento do termo de ajuste de conduta que determinava a contratação da mão de obra da Brasmar. Mais de 100 pessoas continuam desempregadas.

“Por enquanto a paralisação é uma advertência, devido aos problemas apontados pelo sindicato. A empresa não está cumprindo a convenção coletiva com o valor acordado do ticket-alimentação. Os trabalhadores também alegam não terem recebido hora extra. O sindicato não vai abrir mão dessas conquistas”, disse Oliveira da Silva Lima, presidente do sindicato dos Trabalhadores de Transportes.

“A gente vai pedir que o município ajude a nós mediar junto com a empresa para que ela pague o correto. Se não chegar a um acordo a paralisação vai ser por tempo indeterminado. Infelizmente só quem vai perder é a população. Mas a gente pede que eles compreendam porque ninguém vai aceitar que eles diminuam o salário dos trabalhadores”, disse ainda o presidente.

O sindicato vai tentar uma negociação com a direção da empresa, caso isso não aconteça no prazo máximo de três dias, será feita uma nova paralisação por tempo indeterminado. Enquanto isso, os bairros de Imperatriz ficam sem o serviço de limpeza.

“A gente pede que a população compreenda, porque não podemos aceitar a diminuição do salário dos trabalhadores por conta disso”, finalizou Oliveira.