Home Polícia Dois maranhenses presos por fraude no concurso da PM no Piauí

Dois maranhenses presos por fraude no concurso da PM no Piauí

Dois maranhenses presos por fraude no concurso da PM no Piauí

Os maranhenses Patric Soares da Silva e Paulo Rafael Lago Veras foram presos neste domingo, acusados de tentar fraudar a prova do concurso da Polícia Militar do Piauí, realizado também ontem. Além deles, mais 13 foram presos pela fraude.  A Polícia Civil do Piauí divulgou nesta segunda-feira (10) o nome dos apreendidos.  Apesar disso, a Polícia Civil garante que a lisura do concurso está mantida.  O gabarito preliminar do concurso da PM do Piauí foi divulgado na manhã de hoje.

Inicialmente, haviam divulgado 16 prisões, uma delas estava com um chip no sutiã. O Grupo de Repressão ao Crime Organizado (Greco) do Piauí fará um levantamento para saber se os presos são integrantes de quadrilhas interestadual especializadas em fraudes de concursos públicos. No entanto, o coordenador do Greco, delegado Willame Morais, acredita que os detidos “são concurseiros que procuram a forma mais fácil de ingressar no serviço público”.

A Polícia Civil garante que a lisura do certame está mantida. O delegado geral da Polícia Civil, Riedel Batista, assegurou que todas as pessoas que tentaram fraudar a prova foram flagradas e presas.
“O concurso segue normalmente, podemos assegurar que não houve fraudes”, destaca Riedel.

O delegado do Greco, Kleydson Ferreira, também participou da entrevista coletiva e informou que as pessoas presas foram flagradas com celulares e algumas com gabarito que elas acreditavam ser o oficial das provas aplicadas ontem.

“Comparamos esses gabaritos com o gabarito oficial da prova e constatamos que apenas duas respostas coincidiam com o verdadeiro”, conta Ferreira.

Os gabaritos eram referentes às provas de Língua Portuguesa e Conhecimento Geral. Confira aqui o gabarito preliminar da prova de ontem, divulgada no site da Nucepe.

O coordenador Willame Morais disse ,ainda, que das 15 pessoas que tentaram fraudar o concurso, oito pagaram fiança e foram liberadas; as demais irão ser julgadas em audiência de custódia. O valor da fiança varia de um a dois salários mínimos.

O delegado Riedel Batista ressaltou que alguns tiveram o benefício da fiança porque foram autuados por tentativa de fraude e os outros, encaminhados à Audiência de Custódia, pois tiveram atuação por associação criminosa e tentativa de fraude.

Com informações do Portal Cidade Verde