Home Notícias Estou desafiando as pessoas a provarem alguma coisa contra mim, diz Lula

Estou desafiando as pessoas a provarem alguma coisa contra mim, diz Lula

Estou desafiando as pessoas a provarem alguma coisa contra mim, diz Lula

Na manhã desta quarta-feira (14), o ex-presidente da república, Luís Inácio Lula da Silva, cedeu entrevista ao programa Repórter Difusora, na rádio Difusora FM. Ele falou, principalmente sobre o atual cenário político do Brasil e os investimentos que realizou na região Nordeste quando assumiu a presidência.

Acompanhe a seguir um trecho da entrevista:

R.D: Vamos voltar um pouco no tempo. Nós lembramos do ABC Paulista, na época do regime militar, o senhor foi preso naquela época. Passados tantos anos, depois de passar pelo Congresso Nacional e pela presidência da república, como o senhor recebe as notícias que chegam? O que se passa na cabeça do ex-presidente Lula, sobre a possibilidade de ser preso a qualquer momento?

Lula: Não me assusta esse negócio de ser preso ou não, porque para alguém ser preso no Brasil, eu espero que alguém tenha cometido um crime, um delito qualquer. E eu acho que no meu caso quem está cometendo delito são os procuradores que, representando o Ministério Público Federal, que apresentaram as alegações finais de um processo que não tem absolutamente nada além de ilações e da convicção dos procuradores, porque não tem a menor possibilidade de ter alguma prova contra o ex-presidente Lula. Portanto eu estou tranquilo e desafiando as pessoas a provarem alguma coisa contra mim. Nesse momento, eu estou muito mais preocupado com o sofrimento do povo brasileiro, com o desemprego de 14 milhões, com as reformas que eles querem fazer na aposentadoria, nos direitos trabalhistas dos trabalhadores, na terceirização, do que efetivamente no meu problema pessoal. O meu problema é muito pequeno em relação ao problema que aflige 204 milhões de brasileiros, que estão vivendo um momento de incertezas muito grande.

R.D: É conhecido de todos que a partir do momento em que o senhor subiu à presidência da república, o senhor lançou um olhar especial ao Nordeste brasileiro. Isso deu origem a um discurso de separação entre o Sul e Sudeste do país em relação ao Nordeste. Como o ex-presidente e agora provável candidato à uma nova eleição para presidente vê isso?

Lula: Havia uma divisão no país entre Sul e Sudeste antes de eu ser presidente da república, porque todos os investimentos do Governo Federal vinham para o Sul e Sudeste, todos investimentos em educação e em transporte (rodovia, ferrovia) e empresas vinham para o Sul e para o Sudeste. A minha decisão foi tentar transformar o Brasil em um país mais igualitário e fazer com que o Nordeste deixasse de aparecer nas páginas de jornais como os estados que tinham mais analfabetismo, mais mortalidade infantil, mais desnutrição e passasse a ser visto como uma parte integrante do Brasil que tinha os mesmos direitos que os outros estados da Federação. Por isso nós levamos mais universidades e institutos federais de educação. Por isso levamos mais mestres e mais doutores. Por isso fizemos mais investimentos em estradas, levamos mais indústrias para o Nordeste e tentamos levar a refinaria premium para o estado do Maranhão, que é uma refinaria para produzir derivados de petróleo, para que o Brasil não exportasse óleo bruto, mas exportasse derivados. Ou seja, eu tinha consciência que era preciso fazer com que o Nordeste passasse a ser conhecido pelo restante do Brasil como uma região próspera e desenvolvida com um povo inteligente e com a mesma oportunidade que qualquer outra gente do Brasil.

Outros trechos da entrevista: