Home Cultura Concurso de redação será realizado para homenagear o escritor Josué Montello

Concurso de redação será realizado para homenagear o escritor Josué Montello

Concurso de redação será realizado para homenagear o escritor Josué Montello

Autor do livro “Os Tambores de São Luís”, Josué Montello será inspiração para concurso de redação dirigido aos estudantes do ensino médio da rede pública estadual do Maranhão. O concurso terá como objetivo incentivar nos estudantes o interesse pela leitura das obras do Montello, em homenagem o seu centenário de nascimento, comemorado este anos. Também vista promover a produção textual e fomentar a capacidade crítica e criativa dos estudantes.

As 50 melhores redações serão publicadas em um livro alusivo às comemorações do centenário do escritor a ser distribuído às bibliotecas de todas as escolas da rede pública de ensino do Maranhão. Além do livro, os premiados receberão notebooks, tablets e celulares. 

A iniciativa faz parte de uma extensa programação cultural que está sendo preparada para o segundo semestre em comemoração ao centenário do escritor. O concurso será realizado pela Secretaria de Estado da Cultura e Turismo (Sectur), por meio da Casa Josué Montello, e da Secretaria de Estado da Educação (Seduc).

Além de colaborar com o concurso, a Casa de Cultura Josué Montello, que detém todo o arquivo pessoal bibliográfico, arquivístico e museológico do escritor, doado por ele ainda em vida, realizará durante todo o ano de 2017 diversas ações para celebrar o seu centenário, como palestras mesas redondas, exposições fixas e itinerantes, visitas guiadas, realizações de seminários, entre outras.

Um dos destaques da programação do centenário será o lançamento de uma coletânea de artigos e crônicas sobre escritores maranhenses publicados no Jornal do Brasil e um livro infantil, ambos escritos por Josué Montello.

Josué Montello 

Josué de Souza Montello foi jornalista, professor e escritor. Nasceu em São Luís, no dia 21 de agosto de 1917 e faleceu em 15 de março de 2006 no Rio de Janeiro. Ocupou a cadeira n° 29 da Academia Brasileira de Letras e a cadeira n° 31 da academia Maranhense de letras, sendo ainda membro e colaborador de algumas outras academias de âmbito nacional e internacional. Exerceu cargos importantes como diretor da Biblioteca Nacional, foi embaixador do Brasil junto à Unesco, presidente do Conselho Federal de Cultura e presidente da Academia Brasileira de Letras. Foi premiado nacional e internacionalmente, e também foi um grande colaborador da cultura, sendo reconhecido pela sua extensa produção literária e pela sua contribuição deixada na área da educação, cultura, comunicação e administração.