Home Maranhão São Luís Cabelo raspado de Lucas Porto seria motivo para adiamento de audiência

Cabelo raspado de Lucas Porto seria motivo para adiamento de audiência

Cabelo raspado de Lucas Porto seria motivo para adiamento de audiência

A audiência de interrogação de Lucas Porto, marcada para a manhã desta quinta-feira (18), foi adiada. A defesa do réu, acusado de matar a cunhada, Mariana Costa, teria alegado que ele não está tomando medicamentos de rotina e estaria constrangido por causa do cabelo raspado.

A irmã de Mariana, Carolina Costa, a alegação da defesa não é justificável. “Abalados estamos nós e não ele, por causa de um corte de cabelo”, disse. Na opinião dela, o adiamento é uma estratégia de advogados para protelar a audiência.

Segundo o advogado de acusação, José Batista Ericeira, os fatos devem ser apenas confirmados e Lucas deve responder pelos crimes que cometeu. “A expectativa é de que se confirme apenas o que já está comprovado, pela confissão dele e pela prova técnica constante nos autos. Ele cometeu o crime de estupro seguido de assassinato e deverá ser apenado por essas razões”, afirmou.

Também foram citadas na ocasião as transferências do réu sem consentimento da Justiça. Os advogados de defesa também afirmaram que Lucas está sofrendo perseguição de outros internos da unidade prisional.

O juiz da 4ª Vara do Júri, José Ribamar Goulart Heluy Junior, decidiu aguardar a chegada das cartas precatórias, com os depoimentos de testemunhas do caso que não residem em São Luís e estão sendo ouvidas em Fortaleza (CE) e Paragominas (PA).

Relembre o caso

Mariana de Araújo Costa foi encontrada desacordada em seu apartamento, no dia 13 de novembro de 2016, no bairro do Turu, em São Luís.

Após investigações, que utilizaram, ainda, imagens do circuito interno de videomonitoramento do condomínio, o cunhado – Lucas Leite Ribeiro Porto – se tornou o principal suspeito da investigação. A cúpula da Secretaria de Segurança Pública do estado concluiu  que Lucas Porto estuprou e matou Mariana por asfixia.

Em 14 de novembro de 2016, Lucas Porto teve a prisão preventiva decretada pela Justiça do Maranhão.