Home Maranhão Imperatriz Acusado de estuprar e esganar jovem começa a ser julgado hoje

Acusado de estuprar e esganar jovem começa a ser julgado hoje

Acusado de estuprar e esganar jovem começa a ser julgado hoje

Aconteceu durante toda esta terça – feira (16), na 3ª Vara criminal de Imperatriz, a primeira audiência de instrução e julgamento do estudante de engenharia Agnaldo Junior Rodrigues da Silva .Agnaldo foi acusado do estupro de uma jovem ao sair de uma festa, no final de janeiro.

As audiências de instrução e julgamento definirão a sentença do acusado. Segundo a Promotora do caso, Raquel Chaves, a audiência de hoje seria para ouvir as testemunhas de acusação, no entanto, duas não compareceram, pois não foram encontradas pelo oficial de justiça.

Agnaldo chegou a ser preso em flagrante no dia 29 de janeiro, mas foi solto na audiência de custódia sob medidas disciplinares.

No entanto ele voltou a ser preso no dia 20 de abril, por descumprir essas medidas, e aguarda a decisão da Justiça sob custódia.

Os advogados de Agnaldo pediram na audiência que ele cumprisse prisão domiciliar e usasse tornozeleira eletrônica, mas por conta de seu histórico de descumprimento de imposições da Justiça, o Ministério Público se posicionou contra, e o pedido da defesa foi indeferido pela Juíza responsável pelo caso, Ana Lucrécia Bezerra Sodré Reis.

“Nós entendemos que se nem o comparecimento mensal ao fórum, que era uma forma um pouco mais “tranquila” da pena, ele se dignou a cumprir, quanto mais cumprirá as implicações de uma tornozeleira eletrônica, que é algo que você precisa carregar à bateria e que deve ser mantida o tempo todo ligada,” argumentou a Promotora Raquel Chaves.

A próxima audiência está marcada para o início de junho, para ouvirem as testemunhas de acusação que faltaram, as de defesa, analisar as provas, e só então proferir a sentença.

 

Entenda o caso:

Na manhã de domingo (29/01) uma jovem – que está tendo a identidade preservada – registrou ocorrência policial contra Agnaldo Junior (23 anos) no Plantão Central da Polícia Civil de Imperatriz.

De acordo com a denúncia, Agnaldo Junior teria oferecido carona à jovem prometendo levá-la em casa, após a saírem de uma festa.

Entretanto, ele teria levado a jovem a outro local e lhe forçado, a esganando. Ela desmaiou e, em seguida, foi estuprada.

O delegado de plantão Gustavo Tavares levou a jovem para realizar exame de conjunção carnal, onde foi comprovada esganadura seguida de desmaio e estupro. A Polícia Civil prendeu Agnaldo Junior em sua residência no início da tarde do dia 29, ainda durante o período do flagrante.