HomeMaranhãoImperatriz MP pode anular seletivo da Prefeitura de Imperatriz pela segunda vez

MP pode anular seletivo da Prefeitura de Imperatriz pela segunda vez

MP pode anular seletivo da Prefeitura de Imperatriz pela segunda vez

Por conta de irregularidades, o seletivo promovido pela Secretaria de Desenvolvimento Social de Imperatriz (Sedes), pode ser novamente anulado.

O motivo são as denúncias de irregularidades no processo seletivo e indícios de nepotismo. Segundo Ministério Público, várias denúncias já foram feitas no órgão acerca do seletivo por participantes do processo.

Vale lembrar que o seletivo já foi anulado uma vez. No dia sete de abril deste ano, o Ministério Público se pronunciou e pediu a anulação de todo o edital, após receber denúncias na condução da seleção.

Na ocasião, o pedido do MP foi acatado pela Justiça, e a Sedes foi obrigada a repetir o processo seletivo, além de ter que provar a transparência em cada etapa do processo, que foi baseado na escolha dos candidatos por uma prova de títulos e entrevista presencial.

No entanto, ao que parece, as determinações da Justiça não foram cumpridas, pois o resultado da seleção, publicados no dia sete de abril, apresentaram uma série de discrepâncias em relação à pontuação dos aprovados, e indícios de nepotismo.

Um dos participantes do seletivo, C. S., afirma que procurou o MP e faz denúncias graves sobre o processo; segundo ele, houve furto de documentos de dentro dos envelopes apresentados pelos candidatos, e que a banca do seletivo manteve a mesma coordenação da primeira, por isso se repetiu a situação do primeiro certame. Ele afirma ainda que o seletivo não seguiu as regras do edital.

“A Prefeitura Municipal não tá cumprindo nem o parágrafo 3.8 e nem o 3.9, os parágrafos falam da pontuação do candidatos. Candidatos com pontuação abaixo de 50 pontos na primeira etapa, não poderiam participar da segunda fase, no entanto claramente essa regra está sendo desobedecida,” reclama o seletivando.

O denunciante também cita indícios de nepotismo.

O promotor designado para o caso, Albert Lages, afirma que ainda está em fase de apreciação das denúncias, e que só após esta etapa, é que irá se pronunciar oficialmente sobre o caso.