Home Maranhão Imperatriz Ato público relembra os 31 anos da morte do Padre Josimo em Imperatriz

Ato público relembra os 31 anos da morte do Padre Josimo em Imperatriz

Ato público relembra os 31 anos da morte do Padre Josimo em Imperatriz

Para Imperatriz e região Tocantina, o dia 10 de maio é uma data triste da história recente; neste dia, o Padre Josimo Morais Tavares foi assassinado com dois tiros, nas escadarias da Mitra Diocesana de Imperatriz, no centro da cidade.

Para relembrar os 31 anos do martírio e morte deste, que foi aclamado pela CNBB e pelo povo da região como o “mártir da Pastoral da Terra”, a Diocese de Imperatriz; o Centro de Estudos Bíblicos (CEBI); as pastorais e os movimentos sociais, organizaram uma série de atos públicos para, diz a entidade, relembrar quem é Josimo e não deixar morrer a sua luta.

Segundo a coordenadora das pastorais sociais da igreja católica, Margarida Chaves, a programação começará às sete horas da manhã do dia 10, com uma panfletagem e orações em frente ao Centro Diocesano de Pastoral, local onde o padre foi assassinado.

“Vamos ficar entre sete e oito da manhã, em frente ao local em que ele (Pe. Josimo) foi assassinado, orando e panfletando, para relembrar a sua morte e para que as pessoas que conviveram com ele possam relembrar os bons momentos que tiveram com ele,” explica Margarida.

Durante a noite, será realizada uma missa pelo pe. Josimo, na Igreja de Santo Antônio. A programação se estenderá até a próxima quinta – feira (11), onde será realizada uma mesa redonda, com o tema “Memórias e Resistências”, onde serão discutidas as circunstâncias em que levaram à morte do pe Josimo e como estão atualmente as discussões sobrea aposse da terra na região.

A mesa redonda acontecerá no auditório da Universidade Federal do Maranhão (UFMA), às 19h, e será composta por representantes da igreja católica, dos movimentos sociais e da mãe de Josimo, dona Olinda.

 

Programação do ato:

10/05

7h: Vigília e panfletagem – Centro Diocesano de Pastoral (Av. Dorgival Pinheiro de Sousa, prox. à praça de Fátima)

19h: Missa – Igreja Santo Antônio (Rua Ceará, bairro Nova Imperatriz)

11/05

19h: Mesa redonda “Memórias de resistência” – Ufma/Imperatriz (Rua Urbano Santos, esq. Com Simplício Moreira, Centro)

 

Quem foi o Padre Josimo

Josimo Morais Tavares (Marabá, 1953 – Imperatriz, 10 de maio de 1986) foi um sacerdote católico brasileiro, coordenador da Comissão Pastoral da Terra. Foi assassinado a mando de fazendeiros da região Tocantina e do sul do Pará, por sua defesa dos trabalhadores rurais.

Para os trabalhadores rurais, Josimo, paraense de Marabá (PA) e coordenador da Comissão Pastoral da Terra, foi um líder que conseguiu formar seguidores que compreenderam a luta pela terra, enquanto seus detratores e autoridades o acusavam de “ter feito agitação na região Tocantina e no Bico do Papagaio, no norte do que viria a ser o estado do Tocantins, pregando doutrinas contrárias ao regime”, como disse o secretário de Justiça e Segurança do Maranhão, coronel Silva Júnior na ocasião.

O assassinato do padre Josimo, aos 33 anos, mesma idade atribuída a Jesus Cristo quando morreu, provocou comoção entre os sem-terra. No dia do seu enterro, camponeses e posseiros carregaram sua camisa ensanguentada como símbolo de resistência e luta. À época, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) o aclamou como “mártir da Pastoral da Terra”.

Autoridades chegaram a afirmar ao GLOBO, em 15 de maio de 1986, que o caso não fora motivado necessariamente por causa de questões agrárias, mas pessoais. Segundo o Diretor-Geral do Departamento da Polícia Federal, Romeu Tuma, não era descartada inclusive a participação das polícias Militar e Civil do Maranhão no assassinato do religioso. Mas as investigações apontaram que o mandante havia sido o fazendeiro Osmar Teodoro da Silva, que contratara o pistoleiro Geraldo Rodrigues da Costa (que ainda teve o apoio de Vilson Nunes Cardoso, até hoje foragido) para executar o padre.