HomePolícia Fundador de seita que castrou meninos no MA é preso no Rio de Janeiro

Fundador de seita que castrou meninos no MA é preso no Rio de Janeiro

Fundador de seita que castrou meninos no MA é preso no Rio de Janeiro

Condenado a 37 anos de prisão pela Justiça do Maranhão, o fundador da seita Mundial, Donato Brandão Costa, de 45 anos, foi preso em Petrópolis (RJ) com suspeita de envolvimento em seita religiosa que realiza abusos corporais em pessoas e cometem crimes, como estelionato, falsidade ideológica, lavagem de dinheiro e organização criminosa. Além dele, a Polícia Civil local prendeu 10 pessoas envolvidas na seita.

‘Pai Donato’ ficou conhecido após ser preso pela castração de três jovens seguindo um “ritual de preparação espiritual” que os tornaria arcanjos. Segundo a delegada Juliana Menescal, da 105ª DP (Petrópolis), ele cumpriu dez anos de pena e foi beneficiado pela progressão do regime fechado para o aberto. A pena de Donato Brandão termina em 2036.

Nos anos 1990, ele comandava, no Maranhão, a Seita Mundial. Pelos seguidores, era chamado de “pai”, um novo messias. Na época, as investigações concluíram que a seita praticava a emasculação – ou seja, a castração – de jovens.

Donato Brandão passou dez anos e quatro meses preso, saiu em 2010. Em 2013, trocou o Maranhão pela Região Serrana do Rio de Janeiro. Agora, a polícia vai investigar se a seita de Donato também está envolvida com outro crime: o de exploração da prostituição.

Além da delegada Juliana, participaram da prisão os delegados Alexandre Ziehe, titular da 105ª DP, Renato Rabelo e Pedro Judice. A Polícia ainda não sabe se a seita estava em atividade na Região Serrana do Rio.

A 1ª Vara Criminal de Petrópolis expediu 15 mandados de prisão para os suspeitos, além de cumprimento de busca e apreensão no endereço dos denunciados em Itaguaí, onde funcionava a seita religiosa utilizada para a prática dos crimes, segundo a Polícia Civil. Quatro pessoas ainda são procuradas pela Polícia. A operação foi chamada de Mandala.

Evidências da seita foram encontradas no local onde Donato morava no RJ. Reprodução: Divulgação