Home Maranhão Índios feridos em conflito com agricultores apresentam melhora

Índios feridos em conflito com agricultores apresentam melhora

Índios feridos em conflito com agricultores apresentam melhora

Os índios feridos durante conflito com agricultores na região de Viana apresentam progresso no quadro de saúde, aponta nota da Secretaria de Estado da Saúde (SES). Os quatro pacientes se encontram internados no Hospital Tarquínio Lopes Filho.

Segundo a nota, o índio José André Ribeiro apresenta melhora do quadro pulmonar, e se encontra em processo de finalização do tratamento. Ele passou por avaliação neurológica de rotina, sendo prescrito tratamento, e tem alta prevista em até 72 horas. Já Aldeli de Jesus Ribeiro indica melhora progressiva do quadro lesional e, ainda, do estado geral. O dreno de tórax foi retirado e ele será submetido a uma cirurgia na próxima semana.

O índio José de Ribamar Mendes evolui com melhora do quadro lesional e de seu estado geral, segue cumprindo tratamento com antibioticoterapia e exames de controle. Na próxima semana, deve passar por intervenção cirúrgica ortopédica.

A paciente índia gamela Dilma Cutrim Meireles, 35 anos, que foi a última a ser transferida para o hospital em questão, recebeu alta curada 36 horas depois de sua internação e após ter sido submetida a exames com diagnóstico de cefaleia de origem pós-traumática.

Demarcação de terras

O Ministério Público Federal do Maranhão (MPF-MA) tomou o acontecimento em Viana como exemplo para relembrar compromisso da Funai e da União em promover a delimitação de território da etnia indígena Gamela, que pode evitar conflitos futuros.

Segundo o órgão, em setembro de 2016 foi proposta uma Ação Civil Pública com pedido de liminar contra a União e a Fundação Nacional do Índio (Funai) por não promoverem a identificação e demarcação das terras. Na ação, o MPF/MA pediu, liminarmente, que a Funai e a União criem grupo técnico em até 45 dias e apresentem, no prazo de 365 dias úteis, a contar da data de criação do grupo, relatório de identificação e delimitação das áreas a serem ocupadas pelo grupo indígena Gamela. Requereu ainda que Funai e União adotem as providências necessárias à inclusão dos Gamela nas programações de serviços públicos destinados a indígenas, especialmente de saúde, no prazo de 180 dias.

Conheça o caso

No último domingo, dia 30 de abril, índios Gamela e fazendeiros entraram em conflito em fazenda localizada no povoado de Bahias, em Viana. O ataque, que ganhou repercussão nacional nos últimos dias, deixou mais de 10 índios feridos.

Gamelas e fazendeiros apresentam versões diferentes de como o fato aconteceu. Segundo moradores da região, os índios teriam feito refém a esposa do caseiro que trabalha na fazenda onde se iniciou o conflito, o que os levou a revidar a agressão. Já os índios apontam que eles teriam sido pegos de surpresa à caminho da aldeia, com a chegada de dezenas de homens armados que os atacaram. Eles afirmaram também que não tiveram como se defender.

Para apurar essas informações, foi aberto um inquérito policial, que teve início com o depoimento de agricultores, posseiros e indígenas que moram no local.

Leia também

Delegado diz que índios também estavam armados

Ex-presidente da Comissão da Pastoral dos Índios comenta ataque

Índios não tiveram membros decepados, diz diretor do Hospital Geral

Índios relatam ataque sofrido em Viana