HomeNotíciasEconomia Companhia colocará Maranhão no mapa da energia eólica

Companhia colocará Maranhão no mapa da energia eólica

Companhia colocará Maranhão no mapa da energia eólica

O Maranhão deve ganhar, no segundo semestre deste ano, o seu primeiro complexo eólico. O empreendimento, que está sendo construído pela Omega Energia entre os municípios de Paulino Neves e Barreirinhas, colocará o Estado no mapa da energia eólica brasileira. O coordenador do Instituto de Energia Elétrica (IEE) da Universidade Federal do Maranhão (UFMA), Osvaldo Saavedra, diz que há tempos esse tipo de projeto era aguardado no Estado pela vocação natural para a geração de energia limpa e renovável a partir dos ventos. “Curiosamente, o Maranhão demorou para desenvolver energia eólica, como se o vento acabasse no Piauí”, afirma Saavedra, referindo-se aos estados da região Nordeste que impulsionaram o crescimento econômico explorando a energia eólica.

Ainda segundo Saavedra, a qualidade dos ventos tem potencial para inserir Maranhão entre os líderes tanto em desempenho, como em capacidade de geração da matriz eólica. “O Piauí sempre ocupa os melhores índices de performance de produção de energia limpa no país, segundo os acompanhamentos da Aneel [Agência Nacional de Energia Eólica]”, afirma. “E a região onde está sendo implantado o complexo eólico da Omega Energia é bem próxima da fronteira com o Estado e possui qualidade similar de força e constância dos ventos”.

O diretor de implantação da Omega Energia, Gustavo Mattos, diz que a região tem uma vocação natural para o desenvolvimento da energia eólica. “O litoral do Maranhão tem forte vocação para a geração eólica, uma vez que possui ventos de alta frequência e baixo regime de chuvas”, afirma. “Nossa perspectiva é a de continuar investindo no Maranhão e contribuindo com o desenvolvimento sustentável do Estado”.

A energia eólica é uma sólida alternativa para a produção de energia e tem substituído fontes dependentes de combustíveis fósseis com grande sucesso. A fonte eólica não gera resíduos, tem custo competitivo, baixo impacto ambiental e, portanto, papel fundamental no desenvolvimento e construção de uma sociedade sustentável.

Saavedra explica que a energia eólica contribui diretamente para o desenvolvimento mais sustentável, visto que contribui para a redução das emissões brasileiras de dióxido de carbono com finalidades energéticas. “A indústria de energia eólica ganhou destaque como exemplo de produção limpa de energia pela disponibilidade gratuita e não poluente do seu combustível: o vento”, afirma Saavedra.