HomeMaranhão Índio que teve as mãos decepadas ainda está em estado grave

Índio que teve as mãos decepadas ainda está em estado grave

Índio que teve as mãos decepadas ainda está em estado grave

Cinco índios foram hospitalizados após o conflito violento ocorrido ontem entre fazendeiros (30) e índios Gamela, no povoado de Bahias, em Viana (MA), distante 214 km de São Luís. Três índios continuam hospitalizados no Hospital de Urgência e Emergência Clementino Moura (Socorrão II) e ao menos um deles continua em estado grave – o índio Aldenir de Jesus Ribeiro, que teve as mãos decepadas no confronto, que aconteceu na tarde deste domingo (30) . As informações foram confirmadas pela Comissão da Pastoral da Terra. Três fazendeiros também ficaram feridos no conflito. Todos os feridos foram socorridos por policiais militares das Polícia Civil e Militar, que encaminharam os feridos para as Unidades de Saúde de Viana e Matinha e os mais graves, posteriormente, para São Luís.

Além de ter tido as mãos decepadas, o indígena Aldenir de Jesus Ribeiro, 37 anos, sofreu ferimentos com arma branca nos antebraços, apresentando fratura externa, e, também, ferimentos por arma de fogo no tórax direito com fratura de costela. Ele foi atendido na noite de domingo (30), inicialmente no Hospital Regional Dr José Murad, em Viana, para onde foram levadas mais duas vítimas.

Os indígenas Domingos Gomes Rabelo, de 60 anos, e Jorge Albuquerque Rabelo, de 36 anos, foram atingidos de raspão por arma de fogo, ficaram em observação na unidade e foram liberados na manhã de hoje (1º).

Vítima de ataque recebe atendimento na cidade de Vitória do Mearim. Reprodução: Foto: Ana Mendes/Cimi

De acordo com a assessoria da Ordem de Advogados do Brasil (OAB/MA), houve ainda tentativa de assassinato do ex-coordenador da Pastoral da Terra, Inaldo Serejo, com tiro na cabeça.

O confronto, que aconteceu entre indígenas e fazendeiros com seguranças, foi descontinuado após a intervenção policial. A Polícia prestou socorro aos feridos, que foram encaminhados aos hospitais da região.

De acordo com informações da Secretaria de Segurança Pública, Quando chegaram ao local do conflito, os policiais agiram para dissipar o confronto entre os fazendeiros e os índios gamela e socorreram os feridos. De acordo com o delegado-geral da Polícia Civil, Lawrence Melo, “todos os fatos são objeto de investigação pela Policia Civil que também enviou equipes ao local do conflito, integrando às equipes da PM que atenderam a ocorrência”, explicou o delegado-geral Lawrence Melo, destacando que os policiais que compareceram ao local deram prioridade à prestação de socorro e contenção dos ânimos, evitando que o conflito fosse retomado”.

Conflitos Fundiários

O Governo do Maranhão, por meio da Secretaria de Estado dos Direitos Humanos e Participação Popular (Sedihpop), atua permanentemente na mediação de conflitos e disputas fundiárias. Vinculada à Sedihpop existe a Comissão Estadual de Combate à Violência no Campo e na Cidade (Coecv) que, de acordo com o secretário de Estado de Direitos Humanos e Participação Popular, Francisco Gonçalves, está acompanhando o caso.