Home Maranhão Imperatriz Universitário que estuprou jovem tem condicional negada

Universitário que estuprou jovem tem condicional negada

Universitário que estuprou jovem tem condicional negada

O estudante de engenharia Agnaldo Júnior (23 anos), acusado de estuprar e esganar uma jovem na madrugada do dia 28 de janeiro deste ano, teve o pedido de liberdade condicional negado, na tarde desta segunda – feira (24).

Logo após o crime Agnaldo foi preso, ainda durante o flagrante; sendo solto logo depois, durante a audiência de conciliação.

Apesar de ter sido solto por ser réu primário e por possuir residência fixa, o acusado não compareceu nenhuma vez ao fórum da cidade, onde ele deveria comparecer mensalmente e assinar um atestado de conduta, recolher – se à sua residência à 21h, além de outras obrigações, de acordo com as determinações impostas pela Justiça durante a audiência de custódia.

A Juíza da 3º vara criminal de Imperatriz e responsável pelo caso, Ana Lucrécia Bezerra Sodré Reis, afirma que negou o segundo pedido de liberdade condicional, por entender que não havia interesse no réu em cumprir a determinação da justiça, visto que não houve nenhum motivo que justificasse o não cumprimento da determinação judicial pelo mesmo.

Agnaldo Júnior continuará preso, em uma cela junto com outros três detentos, na Unidade Prisional de Ressocialização de Imperatriz (UPRI – I), até o julgamento do seu processo, ainda sem data definida pela Justiça.

Entenda o caso:

Na manhã de domingo (29/01) uma jovem – que está tendo a identidade preservada – registrou ocorrência policial contra Agnaldo Junior (23 anos) no Plantão Central da Polícia Civil de Imperatriz.

De acordo com a denúncia, Agnaldo Junior teria oferecido carona à jovem prometendo levá-la em casa, após a saírem de uma festa.

Entretanto, ele teria levado a jovem a outro local e lhe forçado, a esganando. Ela desmaiou e, em seguida, foi estuprada.

O delegado de plantão Gustavo Tavares levou a jovem para realizar exame de conjunção carnal, onde foi comprovada esganadura seguida de desmaio e estupro. A Polícia Civil prendeu Agnaldo Junior em sua residência no início da tarde do dia 29, ainda durante o período do flagrante.