Home Maranhão Imperatriz Estudante de engenharia que estuprou e esganou jovem tem prisão decretada

Estudante de engenharia que estuprou e esganou jovem tem prisão decretada

Estudante de engenharia que estuprou e esganou jovem tem prisão decretada

A juíza da 3ª vara criminal de Imperatriz, Ana Lucrécia Bezerra Sodré Reis, decretou na tarde da última quinta – feira (20), a prisão do estudante de engenharia Agnaldo Júnior (23 anos), acusado de estuprar e esganar uma jovem, em sua própria residência, na madrugada do dia 28 de janeiro deste ano.

Agnaldo já havia sido preso durante o flagrante, contudo, por ser réu primário, foi solto durante a audiência de custódia. Segundo os delegados que acompanham o caso, Gean Gustavo e Gustavo Tavares, a nova prisão se baseou no fato de o acusado não ter cumprido as determinações que lhe haviam sido impostas durante a audiência de custódia, que era o comparecimento ao fórum uma vez por mês para assinar um atestado de conduta.

Na ocasião da soltura de Aguinaldo na audiência de custódia, os movimentos sociais, em especial os movimentos em defesa das mulheres, se manifestaram em repúdio ao crime e ao tratamento dado ao caso.

“É inadmissível que este rapaz continue solto. O juiz afirmou que ele não oferece risco. Uma pessoa que estrangulou uma moça, a deixou desacordada e a estuprou, não oferece risco? Não vamos aceitar que casos como esses sejam abafados na nossa cidade,” afirmou a coordenadora do Fórum de Mulheres de Imperatriz, Conceição Amorim, na ocasião da soltura.

Após ser preso em casa e apresentado na Delegacia Regional de Imperatriz, o acusado foi levado ao Instituto de Criminalista da cidade (Icrim), e de lá seria conduzido à Unidade Prisional de Imperatriz, onde ficará à disposição da Justiça.

Entenda o caso:

Na manhã de domingo (29) uma jovem – que está tendo a identidade preservada – registrou ocorrência policial contra Agnaldo Junior no Plantão Central da Polícia Civil de Imperatriz.

De acordo com a denúncia, Agnaldo Junior teria oferecido carona à jovem prometendo levá-la em casa, após a saírem de uma festa.

Entretanto, o acusado teria levado a jovem a outro local e lhe forçado, a esganando. Ela desmaiou e, em seguida, foi estuprada.

O delegado de plantão Gustavo Tavares levou a jovem para realizar exame de conjunção carnal, onde foi comprovada esganadura seguida de desmaio e estupro. A Polícia Civil conseguiu prender Agnaldo Junior em sua residência no início da tarde.