Home Maranhão Uso de tornozeleira representa economia de mais de dois mil reais por detento

Uso de tornozeleira representa economia de mais de dois mil reais por detento

Uso de tornozeleira representa economia de mais de dois mil reais por detento

Uma das justificativas para o uso das tornozeleiras, além da diminuição da população carcerária, é o baixo custo mensal. Na unidade, o preso custa em média 3 mil reais e esse valor cai para 250 reais com o uso da tecnologia.

As tornozeleiras são equipamentos de alta tecnologia. Basta o ajuste do lacre, para começar o monitoramento… Uma vez colocado, somente a autoridade poderá retirá-lo com segurança. Segundo a subsecretária de administração penitenciária, Ana Luiza Falcão, qualquer tentativa de violação do equipamento, é enviada a central da SEAP, Secretaria de Administração penitenciária.

Atualmente o Maranhão tem cerca de 1.360 presos com uso da tornezeleira eletrônica – Esse número varia bastante a cada semana. Na capital existe em média 480 pessoas usando os equipamentos. É possível ver se o preso ultrapassa o limite geográfico definido pela justiça pela Central de monitoramento que acompanha a movimentação do ex detentos, e identifica se ele fizer rotas diferentes das estabelecidas – se isso ocorrer, um sinal é enviado  e  luzes na tornozeleira indicarão a infração.

O uso da tornozeleira é permitido para pessoas que cumprem penas alternativas e de menor poder ofensivo, sem antecedentes criminais. No Sistema Penitenciário do Maranhão, as tornozeleiras eletrônicas começaram a ser usadas em 2014 para monitorar presos provisórios na comarca de São Luís mas, antes disso, a Polícia Federal havia usado o equipamento para monitorar os passos da ex-prefeita de paço do lumiar (região metropolitana), Bia Venâncio e outras 19 pessoas, investigadas pelo desvio de 15 milhões de reais dos cofres públicos.

Outro caso que ganhou destaque foi a prisão da ex-prefeita de bom jardim, Lidiane Leite que também passou a utilizar o equipamento.