Home Maranhão São Luís Audiência de instrução termina sem depoimento de Lucas Porto

Audiência de instrução termina sem depoimento de Lucas Porto

Audiência de instrução termina sem depoimento de Lucas Porto

Terminou nesta quinta-feira (16) a primeira audiência de instrução de processo referente ao assassinato da publicitária Mariana Menezes de Araújo Costa, de 33 anos, morta em novembro do ano passado. O crime ganhou notoriedade e repercussão, tendo como principal suspeito o cunhado da vítima, Lucas Leite Ribeiro Porto, de 33 anos, que permanece preso. Lucas chegou a  confessar a autoria do delito. Uma nova audiência de instrução foi marcada para 18 de maio deste ano, devido a alguns percalços na audiência de hoje.

Foram ouvidas as testemunhas de acusação e testemunhas de defesa, incluindo o o médico psiquiatra, doutor Geraldo Melônio, que cuidou de Lucas Porto na infância. Após as testemunhas de defesa, o próprio Lucas daria depoimento, mas ele não foi ouvido ainda, por problemas com algumas testemunhas.

Dezesseis testemunhas deveriam ter sido ouvidas na audiência. Contudo, das oito testemunhas de defesa, seis não foram ouvidas. Três foram dispensadas, outras duas darão depoimento através de carta precatória, procedimento adequado para a situação, já que elas não residem em São Luís. E outra testemunha não compareceu e foi localizada.

Carolina, companheira do Lucas, foi ouvida e inclusive confirmou que ele já tinha cometido alguns crimes, como roubo e estelionato.

O viúvo de Mariana, José Marcus Renato, afirmou a ausência dela é grande e que espera que a justiça seja feita. mas que ele está criando as filhas deles de acordo com os próprios princípios da companheira. Ele também afirmou que espera que a justiça seja feita, e que os 40 minutos que a Mariana sofreu no momento, que o Lucas Porto sofra pelos próximos 40 anos.

Reprodução: TV Difusora

 

A sessão segue na 4ª Vara do Juri, presidida pelo juiz José Ribamar Goular Heluy Júnior Fórum Desembargador Sarney Costa, no Calhau, com a presença do juiz, auxiliares de Justiça, testemunhas, advogados e o acusado Lucas Porto, que irá narrar à Justiça a versão sobre os fatos. Serão ouvidas cinco testemunhas de defesa e sete de acusação.

As provas serão produzidas durante a audiência, onde acontecerá a oitiva das testemunhas e as alegações finais.

O promotor de Justiça, Gilberto Câmara França Júnior, da 28ª Promotoria de Justiça Criminal de São Luís, protocolou a denúncia contra Lucas Porto, por crimes de estupro e homicídio qualificado contra Mariana. A pena pode chegar a 60 anos de reclusão.

A audiência de instrução não tem horário para terminar.

Família de Mariana acompanha a audiência. FOTO: TV Difusora

CASO

Mariana de Araújo Costa foi encontrada desacordada em seu apartamento, no dia 13 de novembro de 2016, no bairro do Turu, em São Luís.

Após investigações, que utilizaram, ainda, imagens do circuito interno de videomonitoramento do condomínio, o cunhado – Lucas Porto – se tornou o principal suspeito da investigação. A cúpula da Secretaria de Segurança Pública do estado concluiu  que Lucas Porto estuprou e matou Mariana por asfixia.

“Os laudos revelam, pelas lesões sobre o cadáver, que ela travou rigorosa luta. Manchas no pescoço e  marcas na perna são lesões de defesa, tentando impedir o ato criminoso”, afirmou o secretário de segurança pública, Jefferson Portela, à época da coletiva realizada para esclarecer mais detalhes sobre o crime.

Dias após a morte da publicitária, familiares e amigos foram às ruas pedir justiça e punição para o acusado.

Relembre as reportagens sobre o caso aqui.