Home Política Acusados por explosão de caixas eletrônicos têm prisão mantida

Acusados por explosão de caixas eletrônicos têm prisão mantida

O desembargador Bayma Araújo, da 1ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Maranhão (TJMA), negou pedido de habeas corpus em favor de Paulo César de Araújo Brito e Karuzo Silva Oliveira, supostos integrantes de uma quadrilha especializada em roubos a caixas eletrônicos, no Maranhão.

De acordo com os autos, a organização criminosa tem atuação em várias cidades do Estado, sendo especializada em assaltos a instituições financeiras, mediante utilização de armas de fogo de grosso calibre, explosivos para detonar os cofres das agências bancárias, além de possuírem veículos próprios para locomoção e fuga.

No pedido encaminhado ao TJMA, os advogados de defesa alegaram excesso de prazo, na conclusão da instrução criminal, e restrição de sua liberdade de locomoção. Sustentaram, ainda, que preenchem condições para responder ao processo em liberdade, por apresentarem bons antecedentes, primariedade e residências fixas.

O desembargador, por sua vez, não reconheceu a alegação de excesso de prazo, considerando as particularidades do processo e da instrução criminal, que evidenciam a gravidade do caso. Para ele, a complexidade dos fatos, com envolvimento de sete denunciados, aliada à suposta conduta dos criminosos e organização na prática de crimes, justificam a manutenção da prisão.

“A situação demonstra que, uma vez soltos, ofereceriam caracterizado risco, intranquilidade e desassossego à população local, restando inalterados os motivos ensejadores de suas custódias preventivas”, concluiu Bayma Araújo em seu voto, confirmando o parecer do Ministério Público.

A decisão foi seguida, unanimemente, pelos desembargadores José Luiz Almeida e Tyrone José Silva.