Home Maranhão Imperatriz Mulheres protestam por direitos e contra PEC 287

Mulheres protestam por direitos e contra PEC 287

Mulheres protestam por direitos e contra PEC 287

Na manhã desta quarta-feira (8), Dia Internacional da Mulher, um grupo formado por mulheres, homens e representantes sindicais ocuparam a rodovia BR 010 (próximo à entrada de Cidelândia) no ato Alvorada Camponesa. Além do ato tratar sobre o enfrentamento da violência contra a mulher, também protestou contra a Reforma Trabalhista e a Reforma da Previdência, proposta através da PEC 287.

O ato foi realizado pelo Movimento Feminista da Região Tocantina em parceria com o Fórum em Defesa da Previdência. Por volta das 4h, mulheres e homens chegaram à BR 010, onde permaneceram por cinco horas entoando palavras de ordem e de denúncia contra a PEC 287. Os militantes paralisaram a entrada de toda a rodovia, resultando em um engarrafamento de mais de 3 km.

“A gente veio aqui no objetivo de estar reivindicando contra essa reforma que nós chamamos de “reforma da morte”, que tira um direito mulher se aposentar com 55 anos e o trabalhador rural homem, com 60 anos. Nossos trabalhadores hoje estão conscientes que o governo está tirando o direito de nossos trabalhadores e nós não vamos aceitar isso”, afirmou Messias de Sousa, representante da Federação dos Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras Familiares no Estado do Maranhão.

Para a representante do Movimento Feminista de Imperatriz, Gisélia Alves, a união das lutas se faz necessária:

“Nós resolvemos nos unir nesse ato que não é só do Maranhão, é internacional. Resolvemos mesclar a luta dos trabalhadores rurais em prol da previdência. Estamos aqui porque fere nossos direitos. A Previdência Social vem com essa demanda de aumentar mais dez anos de trabalho, sendo que a gente ganhou isso com tanta luta. Estamos aqui também contra a violência, seja ela moral, constitucional ou física, ela fere diretamente nós, mulheres”, afirmou Gisélia.

Estiveram presentes na manifestação representantes do Movimento Feminista de Imperatriz, Justiça nos de Açailândia, Centro de Defesa de Açailândia, Movimento Sem Terra, Federação dos Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras Familiares no Estado do Maranhão, Sindicatos dos Trabalhadores de Açailândia e Imperatriz, além de entidades políticas.

Entenda a PEC 287

Estampada na Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 287, a reforma fixa uma idade mínima de 65 anos para a aposentadoria, tanto para homens quanto para mulheres. Além disso, o tempo mínimo de contribuição salta de 15 para 25 anos e, para acessar a aposentadoria integral, o trabalhador precisará contribuir durante 49 anos.