Home Cultura Carnaval Vendedores ambulantes reclamam da queda nas vendas na Beira-Rio

Vendedores ambulantes reclamam da queda nas vendas na Beira-Rio

Vendedores ambulantes reclamam da queda nas vendas na Beira-Rio

O motivo para a baixa das vendas segundo alguns vendedores, seria a revitalização da avenida, iniciada no início do ano passado e ainda em curso; outros atribuem a baixa procura à migração do público que pratica exercícios físicos no local para o recém inaugurado complexo esportivo Barjonas Lobão; ou ainda ao intenso volume de chuvas dos últimos dias.

No entanto,a vendedora ambulante Antônia Santos Souza (56 anos) afirma que a diminuição do movimento na avenida vem diminuindo gradativamente nos últimos anos.

Segundo ela, a reforma da área tem contribuído para a redução do fluxo, mas não é esse o único motivo:

“Aqui o auge do movimento de pessoas foi em 2002 e 2003. De lá pra cá,só vem diminuindo, primeiro foi o problema da violência, com os arrastões; depois os problemas de estrutura, aqui era tudo deteriorado; e agora é essa bendita reforma,” lamenta dona Antônia, vendedora na avenida há 17 anos.

A avenida Beira rio é o principal ponto turístico da cidade,onde tradicionalmente são realizadas as festas públicas do município.

Ela foi construída em 1994 e já passou por uma série de formas nesses mais de vinte anos de construção.

A mais recente delas foi iniciada 2016 pelo Governo do Estado, e deve ficar pronta no início de 2018.

Já o complexo esportivo Barjonas Lobão,conhecido popularmente com “Fiqueninho” foi reinaugurado em dezembro do ano passado e além de uma extensa área para a prática dos mais diferentes esportes, ainda possui uma pista própria para fazer caminhada.

A pista foi um dos motivos que fizeram Enoque Veríssimo Carvalho (72 anos) a deixar antigos hábitos e vim se exercitar no complexo:

“Antes eu ia caminhar na Beira – Rio e no aeroporto; mas depois que inauguraram esse espaço eu vim pra cá, porque aqui é mais tranquilo, não tem tanto carro e moto incomodando, além de ter uma pista própria pra isso”, afirma seu Enoque, que faz caminhadas vespertinas há 30 anos.

Segundo a Dona Antonia, uma boa alternativa para resolver o problema da queda de vendas, seria manter o policiamento nos horários de pico, antecipar o horário de isolamento da Beira rio para as 16h e acelerar a reforma da área para desobstruir as vias.

A legislação:

O código também prevê a postura dos vendedores ambulantes. No artigo 93, a regra diz que “é proibido ao vendedor ambulante estacionar em vias públicas, fora de locais previamente determinados pela prefeitura”.

O código de postura do município determina que apenas um tipo de ocupação de calçada é regular. No artigo 46, é permitido que restaurantes, bares e lanchonetes ocupem, no máximo, a metade das vias. Mas só depois das 18h. Durante o dia nenhuma cadeira pode ocupar o espaço público.