Home Política Secretario e senador voltam a trocar farpas nas redes sociais

Secretario e senador voltam a trocar farpas nas redes sociais

Aliados na campanha de 2014 e integrantes da base que faz parte do grupo político do governador Flávio Dino(PC do B), o Secretário de Estado de Comunicação e Assuntos Políticos, Márcio Jerry , que também comanda o PC do B no Maranhão e o senador Roberto Rocha(PSB) voltaram a protagonizar momentos de pugilismo verbal nas redes sociais, repetindo situação que já ocorreu em outras ocasiões, quando os dois estiveram envolvidos em uma acirrada disputa de “ataques” disparados mutuamente por meio do twitter.

Desta vez, Roberto Rocha iniciou o embate ao postar uma ilustração, repleta de comentários e críticas do senador dirigida aos “comunistas”, como ele se refere aos aliados que hoje ocupam o comando do governo do Estado.

Também por meio do twitter , Márcio Jerry, considerado o homem forte do governo Flávio Dino respondeu a provocação:” Há insultos que devem ser prontamente respondidos. E há insultos que devem ser ignorados; alguns ignorados por piedade”, comentou .

Cotado como um dos nomes que pode figurar entre os postulantes a concorrer ao governo do Estado em 2018 pela oposição, Roberto Rocha é filho do ex-governador Luis Rocha, que governou o Estado nos anos 1980 e construiu carreira política sob as bênçãos de José Sarney(PMDB). Roberto Rocha seguiu os passos do pai e também começou na política alinhado ao grupo que hoje é oposição ao governo do Estado, liderado pelo ex-presidente Sarney, mas posteriormente ele decidiu romper com Sarney e alinhou-se a lideranças como o ex-governador Jackson Lago em 2002 e a atual governador Flávio Dino em 2014, sendo o candidato ao Senado na coligação que elegeu Dino.

Oficialmente,Roberto Rocha filiado ao PSB segue como aliado do governo do Estado, mas nos bastidores é dada como certo o distanciamento entre o senador e o Palácio dos Leões, sempre reforçado pela troca de farpas nas redes sociais, geralmente envolvendo o parlamentar e o homem forte do governo do Estado, o que indica uma tendência de antecipação da campanha do próximo ano, principalmente nas redes sociais.