Home Notícias Economia Número de microempreendedores individuais cresce 70% no MA

Número de microempreendedores individuais cresce 70% no MA

O balanço mensal da Junta Comercial do Maranhão (Jucema) revela que dos 2.589 novos negócios abertos, 1.801 foram criados por Microempreendedor Individual (MEI). O número representa 70% das empresas abertas no mês passado. O mês de janeiro no Maranhão apresentou o melhor quantitativo de constituição de empresas nos últimos sete anos

Em comparação aos 2.277 empreendimentos constituídos em janeiro de 2016, o valor contabilizado em 2017 apresentou um aumento de 13,7%. Os dados da Jucema apontam que a além da abertura de 1.801 negócios MEIs; foram abertas 661 microempresas, seguida de empresas de pequeno porte e de porte normal.

O levantamento da Jucema leva em consideração a constituição de empresas realizada na sede, unidades descentralizadas na capital e em todos os municípios maranhenses com escritórios e postos avançados do órgão, distribuídos em 19 cidades do interior do estado. De acordo Sérgio Sombra a perspectiva para os próximos meses de 2017 continua positiva já que a Jucema pretende expandir os serviços para outros municípios e intensificar o trabalho de desburocratização em todas as suas unidades.

Microempreendedor Individual (MEI) é a pessoa que trabalha por conta própria e que se legaliza como pequeno empresário. Para ser um microempreendedor individual, é necessário faturar no máximo até R$ 60.000,00 por ano e não ter participação em outra empresa como sócio ou titular.

CRISE – Para o presidente da Jucema, Sérgio Sombra, a desburocratização do registro empresarial; as políticas de incentivo do Governo do Estado por meio de programas específicos; e a confiança dos empreendedores na economia maranhense, influenciaram diretamente nesse crescimento.

“Mesmo diante de uma crise econômica severa, os dados são positivos. Muitas pessoas estão encontrando no empreendedorismo uma saída para reverter o cenário atual e, no Maranhão, isso está sendo possível graças à simplificação dos processos de abertura, em especial ao Empresa Fácil implementado pela Junta Comercial, bem como as facilidades que o Governo Estadual oferece para quem aposta no próprio negócio”, contou Sombra.