Home Notícias Economia Emprestar o nome pode ser uma roubada

Emprestar o nome pode ser uma roubada

Emprestar o nome poder ser uma roubada, é o que explica uma pesquisa divulgada pelo Seviço de Proteção ao Crédito (SPC). Cerca de 70% dos brasileiros  já emprestaram o CPF para terceiros sem pedir garantias.

Pra isso você precisa tomar cuidado se decidir emprestar seu nome. Lembre- se que o importante é saber tudo o que acontece com o seu CPF, caso contrário, você pode ter problemas.

Quando alguém próximo precisa de ajuda, é difícil dizer não. Mas acredite: falar não é muito importante, tanto pela pessoa que te pediu para emprestar o nome, quanto para você.

Por isso, selecionamos três dicas para não entrar nessa fria.

  •  Quando alguém pedir que você faça uma fiança, compra, mostre-se solidário com a situação que o outro está vivendo. Mas seja firme: explique os riscos e diga que você não pode emprestar o nome, mas talvez possa ajudar de outra maneira.
  • Se você é aposentado e tem facilidade para acessar o empréstimo consignado, que tem taxas de juros mais baixas que as demais linhas de crédito, não aceite fazer a contratação para filhos, netos ou qualquer outra pessoa. A consignação é uma das principais causas do superendividamento de idosos no Brasil.
  •  Se mesmo conhecendo todos os riscos, você decida emprestar seu nome, você pode exigir algum tipo de garantia, como, por exemplo, um contrato feito em cartório, nota promissória ou cheque pré-datado. Porém, isso não evitará que seu nome vá parar na lista de restrição de crédito. Mas, depois de pagar a sua dívida, você poderá entrar na Justiça para tentar receber o valor que desembolsou, caso a pessoa não te pague.