Home Maranhão Imperatriz MP pede prisão de acusado de esganar e estuprar jovem

MP pede prisão de acusado de esganar e estuprar jovem

MP pede prisão de acusado de esganar e estuprar jovem

O Promotor de Justiça de Imperatriz, Joaquim Junior, deu entrada nesta terça-feira (31) junto ao Tribunal de Justiça do Maranhão em um pedido de revisão do alvará de soltura de Agnaldo Junior, acusado de estupro contra uma jovem na madrugada do último domingo (29). A vítima, uma jovem de identidade preservada, registrou ocorrência policial contra Agnaldo Jr – ele lhe ofereceu carona após saírem de uma festa, mas em vez disso desviou o caminho, a esganou e a estuprou,  disse em depoimento.   A esganadura e o abuso foram comprovados em exames acompanhados pela polícia. Ele foi preso em flagrante em sua residência na tarde do domingo, porém foi posto em  liberdade após a realização da Audiência de Custódia, realizada na segunda-feira (30).

No pedido de prisão preventiva, o promotor Joaquim Junior argumenta que “se faz necessária a prisão do indivíduo já que há indícios suficientes da autoria do estupro. Além do que, crimes de tamanha gravidade geram temor e insegurança à comunidade”.

Na audiência de custódia ficou determinado pela Justiça que o acusado está proibido de manter qualquer contato com a vítima ou testemunhas, observando a distância mínima de 700 metros da vítima. Porém, o MP argumenta que não há meios de fiscalização suficientes para garantir que o suspeito mantenha a distância da vítima ou das testemunhas, colocando em risco a vida destas pessoas, por isso a necessidade de ser mantida a prisão.

Agnaldo Jr., agora em liberdade, é acusado de esganar e estuprar jovem. Reprodução: Redes Sociais
Agnaldo Jr., agora em liberdade, é acusado de esganar e estuprar jovem. Reprodução: Redes Sociais

Entenda o caso

Na manhã de domingo (29) uma jovem – que está tendo a identidade preservada – registrou ocorrência policial contra Agnaldo Junior no Plantão Central da Polícia Civil de Imperatriz. De acordo com a denúncia, Agnaldo Junior teria oferecido carona à jovem prometendo levá-la em casa, após a saírem de uma festa. Entretanto, o acusado teria levado a jovem a outro local e lhe forçado, a esganando. Ela desmaiou e, em seguida, foi estuprada. O delegado de plantão Gustavo Tavares levou a jovem para realizar exame de conjunção carnal, onde foi comprovada esganadura seguida de desmaio e estupro. A Polícia Civil conseguiu prender Agnaldo Junior em sua residência no início da tarde.

Três casos de estupro em janeiro 

Este é o terceiro caso de prisão de homens envolvidos em violência sexual contra mulheres em Imperatriz somente no mês de janeiro. No dia nove foi preso Francisco das Chagas Silva, 45 anos, acusado de estuprar uma garota de 12 anos, crime praticado em 22 de Novembro de 2016. Já no dia 26, um homem foi preso também por estupro, desta vez contra a própria filha no ano de 2012.

Nestes casos, os acusados ainda estão presos.