Home Cultura Cinema “La La Land” faz história e bate recorde com 14 indicações ao Oscar

“La La Land” faz história e bate recorde com 14 indicações ao Oscar

“La La Land” faz história e bate recorde com 14 indicações ao Oscar

Sem surpresas depois de arrebatar vários prêmios na temporada pré-Oscar, “La La Land – Cantando Estações” foi o destaque das indicações para a 89ª edição da premiação da Academia. O musical de Damien Chazelle bateu recorde com 14 categorias e se juntou a “Titanic” (1997) e “A Malvada” (1950) como filme de maior número de indicações na história. O filme já havia se tornado recordista no Globo de Ouro, quando venceu sete prêmios.
“La La Land” também conseguiu o chamado “big five”, indicações nas categorias mais prestigiosas: filme, direção, atriz (Emma Stone), ator (Ryan Gosling) e roteiro. O último filme a conseguir o feito foi “Trapaça”, em 2013. Apenas três filmes venceram nesta cinco categorias na história do Oscar: “O Silêncio dos Inocentes” (1991), “Um Estranho no Ninho” (1975) e ” Aconteceu Naquela Noite” (1934). O número coloca o filme como favorito na disputa pelas estatuetas.
Além das categorias principais, o musical concorre a fotografia, figurino, montagem, trilha sonora original, canção original (com duas faixas, “Audition (The Fools Who Dream” e “City of Stars”), design de produção, edição de som e mixagem de som).
O filme, “La La Land” acompanha uma aspirante a atriz e um pianista de jazz que se apaixonam e tentam manter o relacionamento enquanto buscam seus sonhos em Los Angeles, a terra do showbiz.
“Moonlight: Sob a Luz do Ar”, e a ficção científica “A Chegada”, ficaram com oito indicações, mas o drama se destacou por entrar em categorias mais “nobres”: filme, direção (Barry Jenkins), ator coadjuvante (Mahershala Ali), atriz coadjuvante (Naomie Harris), roteiro adaptado (Barry Jenkins e Tarell Alvin McCraney), fotografia, montagem (James Laxton) e trilha sonora original.
Muito elogiado no Festival de Toronto, “Moonlight” acompanha o crescimento de um jovem negro, em diferentes fases da vida, enquanto ele lida com as dificuldades e descobre sua homossexualidade.
“A Chegada” foi lembrado como melhor filme, direção (Denis Villeneuve) e roteiro, e em categorias mais técnicas: fotografia, montagem, design de produção, edição de som e mixagem de som. No entanto, atriz Amy Adams, que vinha sendo cotada, ficou de fora.
Os vencedores serão conhecidos na noite de 26 de janeiro, em cerimônia realizada no Dolby Theater, em Los Angeles.

Fonte: UOL Notícias