Home Política Edivaldo Holanda Júnior é entrevistado no programa Ponto e Vírgula

Edivaldo Holanda Júnior é entrevistado no programa Ponto e Vírgula

Edivaldo Holanda Júnior é entrevistado no programa Ponto e Vírgula

Em participação por telefone no programa Ponto e Vírgula, da Difusora FM, o prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Júnior, esclareceu sobre a movimentação dos rodoviários, enumerou ações de grande impacto social em execução e anunciou medidas para manter o equilíbrio da máquina administrativa. Edivaldo destacou que nesta terça-feira (24) será publicado decreto com novas medidas administrativas e de austeridade.

Durante o programa, Edivaldo pontuou a crise que o país atravessa, ressaltando que a Prefeitura vem honrando o compromisso com os servidores no que refere ao pagamento regular de salários. O prefeito ressaltou que dará continuidade à reforma promovida desde o início do novo mandato com medidas como a fusão de secretarias, a redução dos contratos de locação de veículos e automóveis, bem como a redução de horas extra e gastos com telefone e outros itens de custeio; e, ainda, a revisão dos contratos firmados pela Prefeitura de São Luís. Um comitê orçamentário e financeiro funcionará monitorando o cumprimento das medidas e estudando novas ações. A meta é, no prazo de um ano, conseguir economizar cerca de R$ 100 milhões.

“É um momento delicado para várias prefeituras e estados que estão atrasando salários e outros compromissos e nós estamos conseguindo honrar. Estamos enfrentando este momento com medidas para manter a saúde da gestão”, frisou o prefeito Edivaldo.

RODOVIÁRIOS

Respondendo a perguntas dos ouvintes, o gestor municipal relatou ainda as ações da Prefeitura de São Luís em face da paralisação realizada pelos rodoviários na manhã desta segunda-feira (23), causada por questões de ordem trabalhista entre os rodoviários e as empresas que operam o setor.

O prefeito Edivaldo reforçou o papel de mediação exercido pela Prefeitura de São Luís, que acompanhou as reuniões entre rodoviários e empresários e, ante à iminência da paralisação, requereu na Justiça a circulação da frota. “Quando observamos que o cidadão poderia ser prejudicado, acionamos a Justiça para que a frota de ônibus fosse mantida”, explica o prefeito. Ainda na sexta-feira (20), as empresas deram início ao pagamento de seus funcionários e foi garantido o direito de ir e vir do usuário.

Questionado sobre as obras de construção da maternidade da Cidade Operária, o prefeito explicou que a empresa responsável demonstrou não ter mais condições de dar continuidade aos serviços, alegando crise. “Estamos em processo de distrato com a empresa para que seja realizada outra licitação e possamos contratar uma empresa que cumpra o cronograma”, reiterou. O prefeito destacou ainda que a medida foi uma recomendação do Ministério da Saúde, uma vez que a maior parte da obra é financiada com recursos federais.

Ouvintes perguntaram sobre os serviços de drenagem na Avenida São Jerônimo, na região da Santa Barbara e o prefeito confirmou o andamento normal das obras. “Esse serviço vai resolver um problema histórico que aquela população sofre há mais de 30 anos. Era uma demanda antiga e que estamos atendendo com esta obra”, enfatizou.