Home Política Maia irá recorrer em liminar que proibiu sua candidatura à reeleição

Maia irá recorrer em liminar que proibiu sua candidatura à reeleição

Maia irá recorrer em liminar que proibiu sua candidatura à reeleição

Em processo de campanha para a reeleição à presidência da Câmara Federal, o deputado Rodrigo Maia pode encontrar dificuldades. Na última sexta-feira (20), o juiz federal substituto Eduardo Ribeiro de Oliveira, da 15ª Vara Federal do Distrito Federal, determinou em liminar que Maia se abstenha de propor candidatura.

Segundo a liminar, “a não concessão da medida e a espera pela decisão final teriam efeitos irreversíveis, uma vez que equivaleriam a permitir a reeleição e, muito provavelmente, o exercício do segundo mandato consecutivo de presidente da Câmara dos Deputados pelo réu, em afronta à Lei Fundamental”.

Rodrigo Maia esteve em São Luís na tarde de ontem, em reunião com o prefeito Edivaldo Holanda Júnior, vice – prefeito Júlio Pinheiro e outros parlamentares no Palácio Henrique de La Rocque. Sobre a decisão liminar, ele afirmou que não há embasamento legal para que seja impedido de se candidatar .”Respeitando a justiça, é claro, não há, do nosso ponto de vista, legitimidade para um juiz de 1ª instância tomar essa decisão. Nós recorremos e temos muita convicção que essa decisão de primeira instância será, digamos assim, modificada nas instâncias superiores”, apontou ele, que disse que irá recorrer da decisão.

O assunto veio à tona e muitas figuras maranhenses mostraram apoio à reeleição de Maia. O prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Júnior, elogiou o trabalho que o deputado fez e afirmou que a situação segue de modo que ele alcance um novo mandato no cargo.

Juscelino Rezende, coordenador da bancada do partido Democratas do Maranhão, se mostrou confiante de que a decisão não terá prosseguimento e apontou que 16 deputados do Estado já declaram apoio a reeleição de Rodrigo Maia. “Hoje temos um bom ambiente lá entre os deputados, onde conseguimos aprovar matérias importantes nesses seis meses em que ele conseguiu ficar à frente da Câmara. Tenho certeza que a Justiça irá reconhecer o seu direito de concorrer e essas visitas que estamos fazendo no estado está dando um resultado positivo”, afirmou.

O Governador do Maranhão, Flávio Dino, afirmou que é necessário aguardar o andamento da situação. “No momento em que se envolve a presidencia, a chefia de um dos poderes da república, é mais adequado do ponto de vista constitucional e jurídico que se aguarde a decisão do Supremo. E isso que vai prevalecer” afirmou, adicionando que, em sua opinião, a liminar não deve durar muito tempo.