Home Maranhão Buriticupu “É visível o desmazelo com este caso”, diz filha de policial desaparecido

“É visível o desmazelo com este caso”, diz filha de policial desaparecido

“É visível o desmazelo com este caso”, diz filha de policial desaparecido

Nesta terça-feira (17), completa dois meses que o cabo Júlio César da Luz Pereira e o soldado Carlos Alberto Constantino Sousa desapareceram em Buriticupu. Desesperada, a filha do Cabo Júlio César, desabafou em depoimento exclusivo ao Sistema Difusora. Segundo Emilly da Luz Pereira,  o caso está sendo tratado com negligência pela Secretaria de Segurança Pública do Maranhão (SSP- MA). “É desesperador não saber de nada, não saber realmente o que aconteceu.  É visível o desmazelo com este caso desde o desaparecimento deles”, relatou ela. Os dois policiais desaparecidos são lotados na 14ª Companhia Independente (14ª CIA) do município.

“O que de tão misterioso pode ter acontecido que as autoridades competentes não podem desvendar e dar uma explicação mínima à família?” – questiona Emilly.

Silêncio. Foi esta a resposta da Secretaria de Segurança Pública – que não quis se manifestar sobre o assunto após ser procurada pela reportagem.

Além de Emilly, o Cabo César tem três filhos menores de idade – de um ano, 6 anos e 10 anos. Além do trauma do desaparecimento do pai, a família enfrenta o problema com o sustento das crianças, que não tiveram como ser matriculadas nas escolas já que o pai é quem pagava as mensalidade e matrículas, além de ser o responsável por plano de saúde e alimentação.

A Comissão de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB – MA) tem conhecimento sobre o caso, mas ainda não tomou nenhuma ação efetiva no sentido de desvendar o que aconteceu com os policiais.  Um representante da comissão informou que tem conhecimento sobre o caso e que os membros vão entrar em contato com a delegada que está à frente das investigações, com os familiares dos policiais desaparecidos e que se deslocariam até Buriticupu.

O Ministério Público do Maranhão também foi procurado e disse aguardar o fim das investigações comandadas pela Polícia Civil do Maranhão para se posicionar.

Através de redes sociais, Emilly “implora” e “suplica” por informações que ajudem ela e a família a chegarem ao paradeiro do pai e seu amigo.

Capture
Mensagem divulgada por Emilly em rede social. Reprodução: Sistema Difusora

Investigação

De acordo com informações policiais, eles foram vistos no último dia 17 de novembro, saindo em uma caminhonete L-200 Triton preta pertencente ao soldado Alberto.

As investigações foram iniciadas um dia após o desaparecimento e seguem em sigilo. O Coronel Marcos Lima, responsável pelo Comando de Policiamento da Área III da região, informou que os policiais não entraram em contato com a família no dia do ocorrido, e que no dia seguinte, a equipe havia encontrado o carro da vítima abandonado em um assentamento na zona rural do município.

No dia do seu desaparecimento, o soldado Alberto Sousa se apresentou pela manhã na 14º Companhia Independente da Polícia Militar. Não chegou a cumprir todo o expediente, saindo mais cedo. No dia seguinte, segundo a escala da polícia, o soldado estaria de plantão, mas não apareceu. Segundo informações de testemunhas, ainda na noite de quinta-feira (17) o soldado foi visto em companhia do cabo Júlio César da Luz Pereira.

Nenhum vestígio

Em nota, emitida quando o desaparecimento completou um mês, a SSP informou que as informações sobre as investigações não poderiam ser divulgadas.

Sem muitos detalhes, o comandante geral da Polícia Militar, coronel Pereira, revelou que uma pessoa foi presa por suspeitas da polícia de que ela tenha alguma participação ou informação importante sobre o caso. “Tem detalhes maiores que não posso dizer agora, mas a suspeita é que esta pessoa possa estar envolvida com crimes na região e saber de alguma coisa. O desaparecimento dos policiais não deixou vestígios de que tenha sido sequestro, por exemplo, pois se fosse, já teriam pedido resgate. No carro (encontrado após o sumiço) não tem sinais de violência. Então é muito estranho. Aí é que falta a coragem das pessoas em falarem algo, como o motivo deles sumirem e a quem interessava isso”, disse.

A Secretaria de Estado de Segurança Pública (SSP) informa que já existe inquérito instaurado sobre desaparecimento dos policiais militares Alberto Souza e Júlio Pereira. Para encaminhamento das investigações, outras informações não podem ser divulgadas por enquanto.

Veja reportagem da TV Difusora em vídeo.