Folha de São Paulo aponta Maranhão como um dos exemplos de gestão no Brasil

Governador Flávio Dino

A gestão do governador Flávio Dino completa dois anos e se destaca como uma das mais positivas no país, servindo de modelo frente a outros estados do Brasil. Em um momento onde a crise econômica compromete a condução de importantes políticas públicas abalando setores prioritários como a saúde, educação, segurança e a infraestrutura, o Maranhão dribla a crise.

Esse avanço do Maranhão virou destaque na Folha de São Paulo, em artigo ‘Os Dois Brasis’, do colunista Marcos Lisboa, divulgado no último domingo (19). No texto, o autor faz um comparativo da situação dos estados no desfavorável cenário atual. Desde honrar contas públicas até a execução de importantes programas de impacto econômico e social, o Governo do Estado vem conseguindo progredir.

Enquanto estados atrasam meses ou nem têm como quitar a folha, o Governo do Maranhão antecipa salários. Com isso, mantém aquecido o comércio de bens e serviços fazendo a economia movimentar.

A área da segurança pública, que se configurou num caos em algumas regiões do Brasil, é um setor prioritário no Maranhão, onde fortes investimentos são feitos pelo Governo, desde o primeiro ano da gestão do governador Flávio Dino, para resolver problemas históricos perpetuados por décadas. Além disso, o déficit do efetivo de policiais militares foi atenuado com mais de 1.500 novos policiais ao sistema.

Ainda na segurança, o Governo adquiriu mais de 400 novos veículos – carros e motos – armamentos e equipamentos mais modernos e pôs em prática ações que valorizam as polícias com promoções e progressões. O Estado reformou prédios e implantou novas estruturas para agilizar o trabalho policial na investigação de crimes e nas ações de rua.

Na infraestrutura, 200 obras iniciadas nestes dois anos, incluindo construção e reforma de espaços públicos como praças, parques, ginásios esportivos, prédios públicos, além de parte das reformas de escolas, rodoviárias e aeroportos regionais. Na educação, está em curso a requalificação das unidades de ensino. Pelo programa Escola Digna, aproximadamente 64 escolas de taipa e palha deram lugar a prédios de tijolo.

O Governo do Maranhão também criou o Bolsa Escola, primeiro programa estadual de transferência de renda. Em 2016, o programa beneficiou 982.681 alunos nos 217 municípios maranhenses concedendo recurso para compra de material escolar. Para este ano, o Bolsa Escola aumentou o valor de R$ 46 para R$ 51, acompanhando reajuste de 12% do programa federal Bolsa Família.

O sucesso da iniciativa do Governo do Maranhão com o Bolsa Escola foi destaque, ano passado, na Feira Internacional em comemoração aos 30 anos da Escolar Office Brasil realizada em São Paulo. Expositores elogiaram a estratégia do programa em favorecer o aumento expressivo da venda destes materiais. A feira reúne os maiores fabricantes e distribuidores do setor e é o único evento nacional de exposição voltado exclusivamente para o varejo de material escolar.

Na Saúde, profissionais da área em ações diretas e estratégicas, por meio do programa Força Estadual de Saúde do Maranhão (Fesma), que integra o Plano ‘Mais IDH’, conseguiram reduzir a mortalidade infantil nos 30 municípios mais pobres do estado. O índice de queda foi de 47,5% em 2016. Outras medidas como inauguração de novos serviços, aumento de leitos, cinco novos hospitais regionais em funcionamento, reforço profissional e novos aparelhos, além de melhorias no pronto atendimento, contribuíram para a reestruturação da rede e melhoria do atendimento ao usuário.

A Assistência Social, outra área priorizada pelo governo Flávio Dino, teve a rede ampliada. Em 2016, foram entregues 75 novos Centros de Referência de Assistência Social (Cras) e Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas). Os novos espaços têm estrutura mais adequada, acessibilidade e melhor condição de atendimento. Uma parceria do Estado com as Prefeituras, que são as responsáveis pela manutenção e prestação dos serviços socioassistenciais.

O governo Flávio Dino é pioneiro na gestão democrática, incentivando a participação popular. Pela primeira vez, os maranhenses têm a oportunidade real de participar ativamente das decisões sobre o orçamento público. Em reuniões, encontros e audiências, as comunidades dos 15 territórios que formam o Estado puderam contribuir para decisões sobre o uso da verba pública. Nos encontros, a população apontou prioridades em áreas como saúde, saneamento básico, educação, trabalho e renda.

O artigo da Folha de São Paulo destaca o Maranhão no controle tributário e na transparência. Na gestão do governador Flávio Dino, o acesso à informação foi ampliado e garante ao cidadão conhecimento das ações administrativas do Estado. Agora, a totalidades das informações públicas são disponibilizadas ao cidadão – antes, eram apenas 40% do conteúdo.

A Secretaria de Estado de Transparência e Controle possui dois grandes núcleos de acesso às informações, gastos, contratos da gestão pública. No Portal da Transparência podem ser acessadas informações das receitas, despesas e execução orçamentária do Estado. O trabalho da Ouvidoria se soma no acesso do cidadão aos atos públicos.

Em reunião com o governador, Astro de Ogum pede apoio para a Cultura

Astro de Ogum com o governador Flávio Dino, deputado Weverton Rocha e o secretário Márcio Jerry

O presidente da Câmara Municipal de São Luís, vereador Astro de Ogum (PR), esteve reunido com o governador Flávio Dino, nesta quinta-feira, (16), ocasião em que conversaram sobre assuntos diversificados, mas a pauta marcante esteve focada em temas relacionados com a cultura.

Num bate papo descontraído, os dois falaram sobre as festividades do carnaval, e na oportunidade Astro de Ogum pediu apoio do governador para a cultura, notadamente no tocante a permanência da sede da Federação de Cultura do Maranhão – Fefcema no Parque Folclórico da Vila Palmeira. Flávio Dino ouviu as ponderações de Astro de Ogum e futuramente deverá se manifestar sobre a reivindicação.

“Foi um encontro bastante proveitoso, e senti a sensibilidade do governador Flávio Dino ao nosso pleito”, declarou Astro de Ogum para completar: “após essa conversa fiquei com a expectativa de atendimento ao nosso pedido, já que parte de um segmento significativo de nossa sociedade, como o movimento cultural, principalmente o ligado as manifestações da cultura popular”.

Astro de Ogum agendou com Flávio Dino uma visita na Câmara Municipal para o próximo dia 13 de março, quando o chefe do Poder Executivo maranhense participará de um café da manhã com os vereadores. “Será uma excelente oportunidade de estreitarmos mais ainda os laços entre o Legislativo de São Luís com o governo do Estado, bem como para o governador conversar com todos nós vereadores e ouvir o que temos para lhe transmitir sobre os problemas que enfrentam a cidade e a sua população”, finalizou Astro de Ogum.

Carta aberta ao governador do Estado do Maranhão…

Governador Flávio Dino

Exmo. Sr. Flávio Dino,

“Prefiro os que me criticam, porque me corrigem, aos que me elogiam, porque me corrompem”. (Santo Agostinho)
Infelizmente, aos poucos, V. Exa. vai perdendo todo crédito diante da opinião pública maranhense.

Sua dignidade vai sendo consumida.

O Maranhão assiste estarrecido à mais escandalosa onda de violência, de descaso com a saúde pública e com a educação vista no Estado – vide as mais variadas cartas abertas de gente do povo e de segmentos da sociedade civil a respeito destes temas.

V. Exa. clamou que faria um governo para todos, cunhou então o slogan “Maranhão de todos” como marca midiática de sua administração, era como se dissesse que os governos anteriores ao seu governavam para grupos sociais e econômicos em detrimento do povo, não poupou nem seus padrinhos políticos, o amigo socialista Jackson Lago e o eterno amargurado José Reinaldo Tavares.

Porém, seu governo é o oposto da sua propaganda, cada vez mais mostra-se como um governo de compadres, de caciques e até de coronéis; foi um destes, que é deputado, Cel. Deputado Levi Pontes, quem afirmou, recentemente: “agora o governador vai fazer parcerias com os novos prefeitos, afinal, saíram aqueles eleitos no tempo da Roseana”.

Maranhão de todos e o governo de V.Exa., hoje, são termos absolutamente contraditórios.

Mas é isso mesmo, a “ética” marxista, que o Senhor adota, afinal é membro exponencial do Partido Comunista do Brasil, permite tudo.

Para o marxismo, que o senhor defende, ético é tudo o que favorece o triunfo da sua causa, quaisquer que sejam os meios empregados. E isso é o contrário de toda Moral. É contrário ao tal “Maranhão de todos”.

Na vossa campanha, V. Exa. quase acampou aqui em Chapadinha, nossos eleitores acreditaram em sua promessas, não procuraram saber de sua história nem da de seu partido. V. Exa. achou pouco as obras de construção do Hospital Regional, iniciadas no governo Roseana, e prometeu inaugurá-lo assim que assumisse, inclusive ampliando o número de leitos, palavra de seu misto de Coronel e Deputado, Levi Pontes. Até esta data, contudo, não o ampliou, nem o inaugurou, ao contrário, paralisou-o.

Agiu do mesmo modo com relação às construções do Centro de Hemodiálise e do Mercado Público Municipal, obstruiu o pagamento das verbas conveniadas com o governo do Estado, sem nenhuma razão legal.

A segurança pública só não está na “UTI” porque a saúde tomou de conta da única que existia; a segurança pública é alvo de zombaria da marginalidade. O maranhense está à mercê da sorte, nossas corporações militares sucateadas, desprestigiadas, relegadas a terceiro plano.

Quer dizer, então, que nesses dois anos passados o “Maranhão de todos” não se expandiu para Chapadinha, o ódio à Prefeita resvalou no povo chapadinhense, o povo que a sufragou majoritariamente, com mais de 60% dos votos.

Desse modo, a incoerência e a demagogia são intrínsecas, são essenciais ao governo de V. Exa.

Ninguém que pense um pouco, em Chapadinha, acredita que V. Exa. ignorava a existência dessas obras e das condições péssimas da segurança pública, e que elas só não foram concluídas e acudidas pelo fato de a Prefeita da época não rezar em vossa cartilha. É evidente que V. Exa. sabia de tudo, e que V. Exa. não diz a verdade quando faz alegações desairosas para justificar seus mais de dois anos de abandono ao nosso município e região, quem tiver dúvidas veja as condições intragáveis da MA que liga Chapadinha a Buriti, pergunte a qualquer outro morador dessa região, do Munim ao Baixo Parnaíba, como anda a segurança pública.

Como crer então em sua palavra?

Como então ousa V. Exa. se apresentar como o governante que vai renovar o Maranhão?

Diante de tudo isso, V. Exa. já não tem mais nem crédito, nem moral, diante de Chapadinha e do Maranhão.

V. Exa. não engana mais ninguém, vós viestes de oligarcas, marcados pelo uso de métodos arcaicos da velha política, gente como

Humberto Coutinho ou José Reinaldo, macacos velhos nas tramas para obter mandatos e mandos, sem eles não seria nada na política. Vós vos agarrais, hoje, em Chapadinha, com a nata da política profissional, repetindo a história da velha política oligarca que dizeis combater. Mente, mente, mente repetitivamente, esperançoso de que esta mentira vire verdade.

Ninguém aguenta mais nem esse engodo de governo, nem essa sua ideologia comunista que tem o poder pelo poder, a qual o mundo vai rejeitando.

V. Exa. engabelou o Maranhão com a historinha de que nosso Estado foi o último do nordeste a romper com a oligarquia, pura mentira, basta ver com quem andas para os fatos vos denunciarem. Mas uma coisa garanto: se não foi o último a romper com oligarquia, até porque isso é apenas propaganda, o Maranhão com vossa eleição foi o primeiro a ser governado por um partido comunista, a ideologia que mais desgraçadamente fez e faz mal ao mundo.

Chapadinha, 08 de janeiro de 2017

Aluizio Santos

Flávio Dino anuncia mudanças em secretarias e órgãos de Governo

Governador Flávio Dino

Com o objetivo de reduzir custos e realizar gestão racional de recursos públicos, o governador Flávio Dino anunciou mudanças em secretarias e órgãos de governo válidas para o ano de 2017. As novas estruturas foram modificadas com fusões e extinções, como explicou o governador.

“Prosseguindo com medidas de racionalização administrativa, estamos realizando algumas extinções e fusões de órgãos e entes”, detalhou. Entre as mudanças, o governador anunciou a fusão da Secretaria de Estado de Minas e Energia com a Secretaria de Indústria e Comércio e o Viva com o Procon. Além desses, houve ainda a fusão da Agência de Serviços Públicos com a Agência de Mobilidade Urbana, haverá, ainda, a instalação da Agência Metropolitana, um dos passos dados pelo Governo para a metropolização de São Luís.

“A organização da Região Metropolitana de São Luís é um antigo sonho, que vamos lutar para viabilizar agora, com a união dos prefeitos e prefeitas”, destacou. Também será criada a Secretaria de Relações Institucionais. “Com as mudanças, haverá economia de gastos e não haverá criação de cargos”, frisou o governador.

ARTIGO: Salvando vidas

Governador Flávio Dino

Por Flávio Dino

A vida é o valor máximo em nossa sociedade, como preconizam nossa Carta Magna e os princípios cristãos. No Governo de Todos Nós, trabalhamos diariamente em todas as áreas para preservar esse bem. Com 1.500 novos policiais e 400 novas viaturas nas ruas, com mais presença do Estado nos presídios, e mais blitzen, temos conseguido reduzir mortes – no trânsito, no sistema prisional e nas ruas. Ao todo, já salvamos diretamente mais de 800 vidas nesses dois anos de governo.

As medidas de reforço da segurança pública no âmbito do Pacto pela Paz fizeram cair os índices de Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLI), como confirmou recentemente relatório anual do Ministério Público. Em 2015, houve uma redução de 8% nos CVLIs em relação ao último ano do governo passado. Somente essa queda, representou 75 vidas salvas naquele ano. Em 2016, nova queda, desta vez de 25% em relação a 2014 – representando 245 vidas salvas. Ou seja, com novos policiais e viaturas nas ruas, conseguimos salvar 320 vidas nesses primeiros dois anos de governo, no que se refere diretamente ao aumento da eficiência da Polícia.

Esses números superam em muito a meta estabelecida pela Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp) que previa redução de 5% dos CVLIs para cada ano. Em apenas dois anos, superamos a meta nacional que estava estabelecida para todo o período de governo.

As ações para preservação da vida também se estenderam para o trânsito, pois os acidentes infelizmente estão entre as principais causas de morte no país. Por esse motivo, aqui no Maranhão, temos feito uma ação rigorosa contra o uso de álcool ao volante. Em 2014, último ano da antiga gestão, foram realizadas apenas oito operações da Lei Seca e somente na cidade São Luís. Já em 2015, foram realizadas 120 operações, no interior e na capital. E no ano passado, foram 151 barreiras de fiscalização da Operação Lei Seca em todo o Maranhão. Um aumento de mais de 1.700% nas ações de fiscalização, resultando em uma queda de 25% no número de mortes no trânsito. Em 2014, foram 2.149 mortes por acidentes no Maranhão. Em 2015, foram 1.626, representando 523 vidas salvas.

Outro ambiente em que conseguimos resultados significativos foi o sistema prisional de nosso estado. Desde 2015, iniciamos a recuperação do controle do Estado sobre os presídios, com a reorganização de presos por celas e combate à entrada de armas, celulares e drogas. Enfrentamos a superlotação, com a construção e conclusão de cinco presídios que adicionaram 946 vagas ao sistema penitenciário do estado. Também implementamos ações de ressocialização, que colocam uma nova perspectiva de vida para os detentos. São mais de dois mil detentos que trabalham em oficinas de padaria, malharia, hortas, fábricas de blocos de concreto, de chinelos e vassouras. Nas salas de aula de Pedrinhas temos 900 matriculados e um aumento de 185% nas inscrições de detentos no ENEM.

Com isso, obtivemos uma diminuição significativa das mortes. Em 2014, último ano da gestão anterior, foram 24 mortes no sistema prisional do estado e, no ano passado, oito. Ou seja, dezenas de vidas foram salvas com as políticas implantadas no sistema prisional do estado.

Ao todo, com as ações de segurança pública, de combate a acidentes no trânsito e de pacificação dos presídios, diretamente são 877 vidas salvas em nosso estado. Fora as vidas salvas pelas políticas sociais que estamos implantando, a exemplo da expansão dos restaurantes populares e a ampliação aos serviços de saúde, com cinco novos grandes hospitais em funcionamento.

Uma contabilidade da esperança que me alegra imensamente e vale mais que qualquer outra meta alcançada nesses dois anos. Tenham certeza de que seguirei trabalhando muito nos próximos dois anos para salvar mais vidas e melhorar a vida de todos os maranhenses.

Felipe Camarão recebe medalha do Conselho Estadual de Educação

Secretário Felipe Camarão representa governador Flávio Dino durante cerimônia de entrega da medalha. Foto: Lauro Vasconcelos/Secap

Em solenidade realizada na tarde da última quinta-feira (2), no auditório do Palácio dos Leões, o governador Flávio Dino e o secretário de Estado da Educação, Felipe Camarão, foram condecorados com a medalha “Mérito Educacional Professora Anna Maria Saldanha”, concedida pelo Conselho Estadual de Educação do Maranhão àqueles que exercem expressiva contribuição à educação maranhense.

Durante a cerimônia, o governador foi representado por Felipe Camarão. “Sinto-me lisonjeado por receber esta importante distinção honorífica da educação. E mais ainda por representar o governador Flávio Dino, que tanto tem trabalhado pela educação do Maranhão, executando o maior programa de investimentos na área já visto no Maranhão”, disse o secretário.

“O governador criou o pacto pela Educação do Maranhão, conclamando todos os educadores em todos os níveis de ensino, para que, juntos, possamos trabalhar pela melhoria da educação de nosso Estado. Temos estreitado as relações com os secretários municipais de educação, oferecendo nosso apoio para que juntos, com efetivo regime de colaboração, possamos melhorar os indicadores do Maranhão”, completou.

O presidente do Conselho Estadual de Educação do Maranhão, José Ribamar Bastos Ramos, destaca que a medalha foi criada como forma de reconhecimento à atuação daqueles que contribuem com iniciativas em prol do desenvolvimento educacional do Estado. “O trabalho do educador merece toda consideração e, em função disso, estabelecemos esta medalha. Já a concedemos a muitos que são educadores e também àqueles que se dedicam à Educação. O governador Flávio Dino e o secretário Felipe têm ajudado bastante o Conselho Estadual e a educação do Maranhão”, disse.

A professora Valdenice Araújo Santos, ex-gestora do C.E.F Prof. Cosme Oliveira de Carvalho, escola do município de Porto Rico do Maranhão, foi uma das premiadas por sua escola ter alcançado o melhor IDEB entre as escolas públicas, nas séries iniciais do Ensino Fundamental, em 2015. No ano passado, a escola foi premiada pelo Governo do Maranhão por conta do excelente desempenho obtido. “Fico muito feliz em receber este importante reconhecimento. Sou uma viciada em ser educadora”, declarou a professora.

Além do governador Flávio Dino e do secretário Felipe Camarão, receberam medalhas a profa. Heloísa Cardoso Varão Santos, Profa. Maria Ceres Rodrigues Murad, Profa. Maria Teresa Soares Pflueger, Profa. Terezinha de Jesus Braga Santos e para Profa. Valdenice Araújo Santos.

Artigo: Muros da intolerância, pontes de solidariedade

Governador Flávio Dino

Por Flávio Dino

Todos estamos destinados a viver em sociedade, compartilhando os mesmos bens que a natureza nos oferece. E também comungando os mesmos desafios humanos: doenças, desemprego, desigualdade, injustiças. Portanto, temos o dever de encontrar soluções coletivas que melhorem o nível de vida de todos, garantindo um futuro de mais oportunidades a nós mesmos e às gerações futuras.

No entanto, vivemos um momento da história em que alguns falsos profetas vendem a possibilidade de saídas individualistas. Soluções que contemplem apenas parte da sociedade apta a ‘se virar sozinha’, deixando à míngua a imensa maioria da sociedade, que não tem o mesmo ponto de partida em oportunidades. São profetas que semeiam em meio a um momento de desilusão da sociedade. Desânimo justificado pela imensidão de desafios coletivos que ainda temos a enfrentar. No entanto, essa pregação não busca nenhuma verdadeira salvação para todos. Apenas quer solidificar seus castelos de prosperidade, jardins cercados que isolam a maioria da sociedade para fora de muros. Esses aventureiros sempre existiram na história, mas nunca com resultados exitosos. E ao longo dos tempos já vestiram várias roupas: o ditador carismático; o gestor técnico; o antipolítico; o soldado da lei; entre outros disfarces que os defensores de privilégios costumam usar.

O Papa Francisco esta semana nos lembrou que, “em momentos de crise, o discernimento não funciona”. E buscamos “um salvador que nos devolva a identidade e defenda-nos com arames farpados”. Penso nessas palavras do Santo Padre quando vejo a notícia do absurdo projeto de construção de um muro na fronteira dos Estados Unidos com o México. Como se isolando uns cidadãos de outros, a vida destes pudesse prosperar mais. Ideia em consonância com a recente saída do Reino Unido da União Europeia, que mostra um certo espírito de época, com o crescimento aqui e ali de posições de cunho fascista.

No Brasil, não é diferente e também vivemos um momento semelhante. As instituições estão com sua credibilidade destroçada, enquanto empresas e empregos desaparecem, a fim de atender altos interesses econômicos. Vemos uma minoria que pensa ser possível evoluirmos sem um debate democrático sobre nosso futuro. E convivemos com ´especialistas´ que acham que o Brasil pode resolver a grave crise econômica que vive com um ‘salve-se quem puder’, deixando à própria sorte milhões de brasileiros. Tudo isso tem alimentado ódio, muito ódio, que grita nas caixas de comentários de sites ou nas redes sociais.

Felizmente, essas pulsões autoritárias e egoístas têm sido efêmeras. Perseveraram na história da Humanidade os grandes avanços sociais de períodos em que se apostou na solidariedade. É o caso da Era de Ouro do pós-guerra, em que foram criados e multiplicados muitos instrumentos sociais de solidariedade existentes hoje, como a Previdência Social e os sistemas públicos de saúde. Não tenho dúvida de que o Brasil vai reencontrar seu caminho de desenvolvimento e paz. E no Maranhão seguimos a nossa luta com muita fé e otimismo, pois os resultados aí estão. Adultos sendo alfabetizados; crianças e jovens estudando em escolas melhores e recebendo material escolar via Bolsa Escola; restaurantes populares sendo abertos; mais portas se abrindo na saúde; agricultores familiares recebendo inédito apoio, entre tantas conquistas derivadas de uma firme e autêntica opção pela Justiça Social. Por isso, tenho convicção de que vamos atravessar esses tempos sombrios no planeta. Servirão para tornar mais profundo na memória coletiva o valor milenar do humanismo.

Lembro novamente do Papa Francisco alertando sobre os falsos profetas que, “diante da necessidade da multidão”, pregam “o cada um por si”. O papa lembra que o princípio cristão, como o de outras religiões, é o da solidariedade. Tanto que um dos últimos ensinamentos de Jesus, na Santa Ceia, foi “Fazei isto em memória de mim” (Coríntios 11:24). Indicando que a melhor forma de vivenciá-Lo é comungar, partilhar, solidarizar-se.

Disputa promete ser acirrada em 2018! Na briga, duas mulheres e um governador

Maura Jorge e Roseana Sarney vão dar trabalho ao governador Flávio Dino
Maura Jorge e Roseana Sarney vão dar trabalho ao governador Flávio Dino

A disputa pelo Governo do Estado do Maranhão em 2018 promete ser acirradíssima e já começa a ser articulada não só nos bastidores, mas na mídia escrita e falada, e principalmente nas redes sociais.

O caminho para a reeleição do governador Flávio Dino (PCdoB) não será tão fácil de ser trilhado – não tão quanto aliados imaginam – pois as principais adversárias do comunista são duas mulheres com experiência e reconhecimento político em várias cidades maranhenses.

De um lado a ex-governadora Roseana Sarney (PMDB), que pretende voltar a comandar o Maranhão como uma espécie de ‘salvadora da Pátria’ para aqueles que abominam o atual governo. De outro, a ex-prefeita de Lago da Pedra e ex-deputada Maura Jorge, presidente estadual do PTN, que já bateu boca com o governador durante uma visita do comunista à cidade que ela administrava em novembro do ano passado.

A líder partidária que tem boas relações políticas pelo Maranhão à fora, foi a única a ‘peitar’ Flávio Dino e apresenta qualidades que podem dar trabalho a seu maior adversário.

Não descartando também a força política de Roseana Sarney que, mesmo citada na Operação Lava Jato como integrante de esquema milionário de desvio de dinheiro público – o maior de todos os tempos no país – ainda conta com o apreço de um grande número de eleitores maranhenses. Prova disso é que antes mesmo de confirmar-se uma pré-candidatura da peemedebista, até supostas pesquisas de intenção de votos já apontariam um empate técnico entre a filha do ex-senador José Sarney e o governador Flávio Dino.

O fato é que, embora Dino esteja confiante nos projetos que vem desenvolvendo e com o índice de aprovação que obteve na Região Metropolitana de São Luís, em pesquisa recentemente divulgada, o enfrentamento será árduo haja vista que numa disputa eleitoral ‘tudo é possível’, das ações mais louváveis às mais repugnantes.

A campanha, caros leitores, já começou faz tempo… Fiquem de olhos bem abertos!

Novos caminhos em Pedrinhas

Prédio da Secid recebeu reparos feitos pelos internos. (Foto: Orcenil Jr)

Por Flávio Dino

O nível de abandono que encontramos em diversas áreas do Governo exige um intenso trabalho de recuperação da máquina pública. O antigo presídio de Pedrinhas, hoje Complexo Penitenciário São Luís, era um dos exemplos mais gritantes desse abandono.

Encontramos um local totalmente controlado por facções criminosas, em que praticamente não havia trabalho de ressocialização e marcado pelas imagens macabras de decapitações, além de fugas quase todas as semanas. Muito ainda há a construir, mas apenas dois anos depois podemos dizer que o passado de descaso foi deixado para trás.

Enfrentamos a superlotação, com a construção e conclusão de cinco presídios que adicionaram 946 vagas ao sistema penitenciário do estado. Com isso, já cumprimos mais da metade do compromisso que assumi quando tomei posse. As obras não param e, neste semestre, ainda inauguraremos novos prédios. Recentemente, conseguimos mais recursos do Governo Federal para novas unidades destinadas ao cumprimento das penas aplicadas pelo Judiciário.

Além de mais vagas, reforçamos a presença do Estado nos presídios com processos seletivos e o concurso para agente penitenciário. Cem novos servidores já cumprem sua função e, em breve, vamos chamar outros 135 que estão no cadastro de reserva. Com esse concurso, somado à presença de servidores temporários e o remanejamento de funcionários, conseguimos melhorar a relação detento/agente. Em 2014 (governo passado), cada agente público era responsável por 12 detentos. Hoje, temos um servidor público para cada 03 detentos. Isso significa mais segurança para toda a sociedade, dentro e fora do sistema penitenciário.

Reforçamos a segurança com a entrada única e com o scanner corporal, que garante mais dignidade e eficiência nas vistorias quando do ingresso de pessoas no complexo penitenciário. Também passamos a fornecer a alimentação dos presos, na quantidade adequada, fechando uma porta de entrada de armas, celulares e drogas.

A reorganização dos presos nas celas segue uma determinação da Lei de Execução Penal que visa garantir a integridade física dos detentos. Essa ação contribuiu para a queda do número de assassinatos. Essa melhoria também é fruto das oportunidades que passamos a oferecer com 90 oficinas de trabalho. São estruturas em pleno funcionamento de padaria, malharia, hortas, fábricas de blocos de concreto, de chinelos e vassouras que oferecem renda e um futuro profissional a mais de 2 mil detentos. Nas salas de aula de Pedrinhas, temos 900 matriculados e um aumento de 185% nas inscrições de detentos no ENEM.

Essas ações relativas a trabalho e estudo são essenciais por dois motivos. Em primeiro lugar, por permitir que o sistema penitenciário cumpra sua função precípua: ressocializar os que ali estão detidos para que possam voltar à sociedade. Apostar no caráter meramente punitivo do enclausuramento não produz bons resultados. Outra função essencial das oficinas de trabalho e da oferta de estudo é que oportunizamos ao preso uma perspectiva de vida fora das prisões. Com isso, buscamos tirar as pessoas do espectro de influência das facções que impelem à continuidade da prática de crimes.

Ainda há muito que avançar, inclusive porque existem temas que dependem de soluções nacionais, a exemplo da maior aplicação de penas alternativas. Não podemos dizer que estamos satisfeitos com o quadro atual, longe disso. Sabemos que ainda existem instabilidades e pontos a investir. Porém não temos mais a imagem de um presídio dominado pela barbárie, que tomou o mundo em 2013 e 2014, no lamentável desgoverno antes existente no Maranhão. Um bom exemplo de como temos avançado em todas as áreas. Usando os recursos públicos para cuidar das pessoas e melhorar a vida de todos os maranhenses.

62% da população da Grande São Luís aprova o Governo Flávio Dino

Governador Flávio Dino

O governo Flávio Dino é aprovado por 62% da população na da Grande São Luís, segundo levantamento feito pelo instituto Exata para o Jornal Pequeno, divulgado neste sábado (21). De acordo com os dados, 33% desaprovam a gestão e 5% não sabem ou não responderam. O relatório da pesquisa ressalta que “a elevada aprovação de Flávio Dino, após dois anos de governo, ocorre em meio a ataques da oposição”.

A pesquisa foi realizada entre os dias 17 e 20 de janeiro, após a saraivada de ataques que o governador sofreu da oposição, especialmente do grupo Sarney através do sistema Mirante.

A nova pesquisa confirma a força popular do governador. Passados 2 anos de governo, Flávio Dino consegue escapar do desgaste geral da política e ostenta um patamar bastante elevado de aprovação.

A pesquisa frustra a expectativa da oposição, que esperava algum abalo na popularidade do governo por causa do reajuste do ICMS e do caso de um aluguel que tentaram passar à opinião pública como escândalo.

Do Blog do John Cutrim