Arraial da Maria Aragão encerra neste domingo (1º) com show de Pinduca

Pinduca se apresenta neste domingo (1º) no palco da Maria Aragão

Depois de 17 dias de festa, com mais de 200 atrações e sucesso absoluto de público, o Arraial da Maria Aragão, que integra o São João de Todos, da Prefeitura e Governo do Estado, será encerrado neste domingo (1º), em grande estilo. As apresentações da noite terão início às 18h e a principal atração da noite será o show de Pinduca, às 22h.

Pinduca, conhecido como o rei do carimbó, tem 36 álbuns gravados e é autor de sucessos a partir de ritmos omo o ‘Serimbó’, ‘Lambada’, ‘Lári-lari’ e ‘Xengo-xengo’. O álbum ‘No Embalo do Pinduca’ foi indicado ao Grammy em 2017. As músicas mais conhecidas são ‘Dança do Carimbó’, ‘Sinhá Pureza’, ”Carimbó do Macaco’ e ‘Garota do Tacacá’.

Também se apresentam no palco das atrações juninas do Arraial da Maria Aragão neste domingo, o tambor de crioula de Maria Seguins, quadrilha Rosa Amarela, boi de zabumba de Mestre Basílio, grupo alternativo Baile de Caixa, grupo alternativo Companhia Marizés, boi de orquestra Brilho da Juventude e Boi de Morros (orquestra). Na Arena do Forró, terá Raimundinho e Forró Pé No Chão e Trio Poeirão.

Prefeito Juran declara apoio à pré-candidatura de Weverton ao Senado

Foto Divulgação

Diante de lideranças políticas de 27 municípios, em sua maioria, das regiões Central, do Médio Sertão e Baixo Parnaíba, o prefeito de Presidente Dutra, Juran Carvalho (PP) declarou apoio as pré-candidaturas de Weverton ao Senado, Ciro Neto (PP) a deputado estadual e ao deputado federal André Fufuca (PP), que concorre à reeleição, durante um jantar de comemoração pelos 74 anos da cidade na última quinta-feira. “Hoje, incondicionalmente, Weverton é nosso pré-candidato ao Senado”, afirmou o prefeito.

Ciro Neto também anunciou seu apoio ao projeto de Weverton ao Senado. “Entendemos que a sua força, sua juventude e a sua habilidade política, somadas a tudo que tem feito e ao que ainda pode trazer ao Maranhão, faz com que estejamos junto dele no seu projeto ao Senado”, garantiu.

O pré-candidato ao Senado agradeceu o apoio e ressaltou a importância de as lideranças reunirem-se em torno de um projeto coletivo e acrescentou que não tem dúvida de que, eleito, Ciro irá ajudar ao Maranhão. “Precisamos de mais protagonismo na busca por políticas públicas importantes para ajudar na melhoraria de vida das pessoas e tenho certeza que esse grupo está comprometido com essa missão aqui em Presidente Dutra”.

Festa

O deputado Weverton participou do encerramento das festividades de aniversário da cidade, na Praça São Sebastião. No último domingo o parlamentar também esteve no município, onde participou da 6ª Cavalgada de Presidente Dutra, que marcou o início das comemorações e levou centenas de pessoas para as ruas da cidade.

Cemarc é modernizada e marcação de consultas passa a ser diária em São Luís

Cemarc em São Luís
Cemarc em São Luís

Com a modernização da Central de Marcação de Consultas e Exames (Cemarc), a gestão do prefeito Edivaldo conseguiu mais um feito na área de saúde: a partir do mês de julho os agendamentos de todas as especialidades poderão ser realizados em qualquer dia da semana. Para alcançar o resultado, a Prefeitura de São Luís realizou uma série de melhorias, como reestruturação do espaço físico, investimento em novos equipamentos e capacitação funcionários. Na última quinta-feira (28) o prefeito Edivaldo visitou a Central, acompanhado do secretário municipal de Saúde, Lula Fylho, e conversou com funcionários sobre os novos serviços e a mudanças sendo feitas no local.

O processo de mudança na Cemarc, que registra atendimento a cerca de 38 mil pessoas por mês, teve início em agosto de 2017, quando foi iniciado o mapeamento das necessidades e dos problemas para compreensão do fluxo de marcação. O objetivo maior do trabalho era acabar com a semana de marcação de consultas, quando a demanda se acumulava e as filas se formavam.

A mudança no processo de marcação de consultas vai ser mais um marco na gestão do prefeito Edivaldo. É com coragem e ousadia que estamos enfrentando as dificuldades e superando os desafios. Esse é mais um trabalho que repercute na vida de milhares de pessoas que buscam os serviços públicos de saúde oferecidos pelo poder público municipal”, enfatizou o secretário municipal de Saúde, Lula Fylho.

Houve, ainda, nesse processo de modernização, melhorias na estrutura e troca dos equipamentos nas 23 unidades de marcação de consultas distribuídas pela cidade. Os profissionais também passaram por treinamento e a implantação Sistema Nacional de Regulação (Sisreg), do Ministério da Saúde, será finalizada no mês de agosto. O Sisreg substitui o Websis, sistema local que era utilizado para as marcações.

O titular da Secretaria Municipal de Saúde (Semus) destaca ainda que, com as mudanças, São Luís sairá do rol de cidades brasileiras que enfrentam problemas com a marcação de consultas e exames. “Em muitas cidades brasileiras a população sofre com problemas nesse processo de marcação. Estamos muito felizes em perceber que essa mudança beneficia principalmente a nossa população”, disse.

Descentralização

As mudanças no sistema de marcação de consulta começaram em 2014, quando a Prefeitura de São Luís, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Semus), ampliou para 23 o número de pontos para autorização de consultas e exames realizados pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Desde 2014, além da Cemarc, na Alemanha, os usuários dos serviços da rede municipal de Saúde podem marcar consultas e exames em unidades localizadas em diversos bairros da cidade. A proposta da Prefeitura de São Luís é fazer com que outras oito unidades também sejam pontos de marcação de consultas e exames.

Omissão: Caixa Econômica se ausenta de importante debate com lotéricos e Cemar

Audiência pública realizada na Assembleia Legislativa do Estado do Maranhão
Audiência pública realizada na Assembleia Legislativa do Estado do Maranhão

O deputado Neto Evangelista (DEM) promoveu audiência pública, na tarde desta quinta-feira (28), para tratar da rescisão do convênio pactuado entre a Caixa Econômica Federal e a Companhia Energética do Maranhão (Cemar). Caso não haja consenso sobre a manutenção do convênio e o realinhamento das tarifas, a partir de 17 de julho de 2018, as casas lotéricas poderão deixar de aceitar o pagamento das faturas de energia.

De acordo com o parlamentar, a quebra do contrato poderá prejudicar os consumidores, principalmente no interior do Estado que, além das contas de energia, pagam outras taxas de serviços públicos e recebem benefícios sociais, como o Bolsa Família, por exemplo. “As agências bancárias não chegam em todos os municípios maranhenses, mas as lotéricas, sim. Lá são pagas as contas de luz, mas também são feitos os saques dos benefícios sociais. Para que os cidadãos não fiquem prejudicados com a quebra desse canal, é necessário que as partes cheguem a um entendimento, daí a importância desta audiência”, afirmou Neto.

Para a presidente do Sindicato das Casas Lotéricas, Lúcia Regina Guimarães, a quebra de contrato entre a Caixa e a Cemar poderá gerar um caos no Estado, como o fechamento de unidades nos pequenos municípios e a dificuldade de acesso aos consumidores que não possuem conta bancária.

Nossa preocupação é tanto como empresário, quanto como consumidor. Nós arrecadamos mais de um milhão de contas no setor lotérico, com esse valor também pagamos os benefícios sociais da população de baixa renda. Encerrando esse contrato, como os consumidores vão pagar suas contas de energia? E o índice de desemprego que vai surgir? As Casas Lotéricas não têm como se segurar sem essa arrecadação”, pontuou Lúcia Regina.

Segundo o diretor de Relações Institucionais da Cemar, José Jorge Leite Soares, a intenção da Companhia é resolver o impasse com o banco, sem causar prejuízos para o setor. “De novembro para cá, a Caixa diz que deve ser aplicado um reajuste em torno de 40%, o que nós entendemos que não pode ser feito, já que temos um contrato. Então, se fizermos um impacto significativo como o que o banco está propondo, certamente, o prejuízo chegará ao consumidor. Estamos aqui para encontrar uma solução”, enfatizou.

O promotor de Justiça Nacor Paulo Pereira, coordenador dos promotores do consumidor do Maranhão, colocou o Ministério Público à disposição para um possível acordo entre as partes, em benefício da população. Ele propôs que as entidades envolvidas deem mais publicidade ao caso, informando os consumidores. “Os cidadãos precisam estar a par da situação, que são os maiores interessados e afetados”, pontuou.

Depois de ouvir atentamente as demandas da audiência, o deputado Neto Evangelista lamentou a ausência de representantes da Caixa Econômica e disse que levará as questões tanto ao Ministério Público Estadual, quanto ao Ministério Público Federal, para que ambos façam parte do processo. “Levarei em mãos o processo tanto ao MPE, quanto ao MPF, essenciais para a decisão final do impasse entre o banco e a companhia de energia”, garantiu.

STF mantém fim do imposto sindical obrigatório

Fachada do STF

Por 6 votos a 3, o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu, na manhã desta sexta-feira (29), declarar a constitucionalidade do ponto da Reforma Trabalhista que extinguiu a obrigatoriedade da contribuição sindical. O dispositivo foi questionado na Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) 5794, em outras 18 ADIs ajuizadas contra a nova regra e na Ação Declaratória de constitucionalidade (ADC) 55, que buscava o reconhecimento da validade da mudança na legislação. Como as ações tramitaram de forma conjunta, a decisão de hoje aplica-se a todos os processos.

Prevaleceu o entendimento do ministro Luiz Fux, apresentado ontem (28), quando o julgamento foi iniciado. Entre os argumentos expostos por ele e pelos ministros Alexandre de Moraes, Luís Roberto Barroso, Gilmar Mendes, Marco Aurélio e Cármen Lúcia, está o de não se poder admitir que a contribuição sindical seja imposta a trabalhadores e empregadores quando a Constituição determina que ninguém é obrigado a se filiar ou a se manter filiado a uma entidade sindical. Além disso, eles concordaram que o fim da obrigatoriedade da contribuição sindical não ofende a Constituição.

O ministro Fux foi o primeiro a divergir do relator dos processos, ministros Edson Fachin, que votou pela inconstitucionalidade do fim contribuição sindical obrigatória. Entre os argumentos expostos por Fachin e pelo ministro Dias Toffoli e pela ministra Rosa Weber, o fim da obrigatoriedade do tributo vai impedir os sindicatos de buscar formas de organização mais eficazes para defender os direitos dos trabalhadores perante os interesses patronais.

O fator Felipe Camarão na Educação do Maranhão

Felipe Camarão, Secretário de Educação

O governo Flávio Dino é reconhecido nacionalmente por seus feitos em meio a maior crise da história do Brasil. A evolução é visível em todas as áreas. Mas há uma em que uma verdadeira revolução está em curso, a educação, e um dos responsáveis por esse reconhecimento nacional é o secretário Felipe Camarão.

Quadro novo na equipe do Estado, o jovem tem se mostrado um exímio técnico na atual gestão, onde já passou, com êxito, pelas secretarias de Gestão e Previdência; Cultura; e Governo, até chegar à Educação, onde tem se destacado pela coragem, determinação e empenho naquilo que faz.

Felipe Camarão iniciou na gestão pública ainda no governo Roseana, quando comandou o Procon, mas a desorganização da administração como um todo era tão grande que ele não teve a chance de desenvolver o seu trabalho.

Mas na educação do Maranhão, Felipe Camarão ganhou projeção estadual pelo trabalho reconhecido inclusive por adversários políticos.

Hoje, o Estado paga a maior remuneração para os professores do país, fruto do diálogo e da boa relação que o secretário tem com os profissionais. Ele jamais teve que encarar uma greve da categoria durante a sua gestão, e ainda concedeu, nos últimos 3 anos, mais de 22 mil progressões, promoções, titulações e estímulos.

Outro programa que salta aos olhos do Brasil é o Escola Digna. Ao todo, já são mais de 750 unidades construídas, reconstruídas e reformadas pelo governo, em números que se superam, inclusive, o do saudoso Leonel Brizola. A substituição das escolas de barro e palha por estruturas de alvenaria está mudando a forma de se fazer educação no Maranhão.

O ensino em tempo integral é outra marca da gestão de Felipe Camarão. O números de escolas nessa modalidade passou de zero em 2014 para cerca de 50 em 2018. São milhares de estudantes beneficiados com ensino de qualidade e com estrutura que antes no Maranhão só era possível encontrar em escolas particulares.

A gestão de Felipe Camarão foi responsável por realizar concurso público para 1.500 professores com carga horária de 40h pela primeira vez na história, incluindo 230 vagas para profissionais da Educação Especial. Houveram também inéditos concursos internos para ampliação de jornada e unificação de matrículas docente, beneficiando 1.200 professores em 2017 e mais 1200 em 2018.

Outro símbolo da mudança promovida na educação do Maranhão é a gestão democrática nas escolas com eleição para gestor em 2015 e 2016, envolvendo mais de 600 mil pessoas das comunidades escolares.

Nos municípios mais pobres, o analfabetismo está diminuindo com a implantação do programa “Sim, Eu Posso”, em parceria com o MST. Já são mais de 700 mil fardamentos escolares distribuídos. Aumentou o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb). O Avança – Programa de Regularização do Fluxo Escolar é um sucesso.

As conquistas são inúmeras. E por trás delas está o nome de Felipe Camarão, que se mostra ser um nome de futuro promissor na política.

Fonte: Blog Marrapá

Rodoviários ameaçam paralisar caso empresas não garantam benefícios

Ônibus da Viação Pericumã

O Sindicato dos Rodoviários do Maranhão comunicou, através de nota, que, em virtude do descumprimento da Convenção Coletiva de Trabalho praticado pelas empresas que compõem o Consórcio Upaon-Açu, que atua no transporte público de São Luís, que no uso das atribuições legais, irá deflagrar uma paralisação a partir das primeiras horas de terça-feira (3), caso as empresas insistam em não garantir os direitos dos trabalhadores.

As empresas que correm o risco de ter os coletivos impedidos de sair das garagens neste dia são: Viação Patrol (Pele); Autoviaria Matos; Viação Abreu; Viação Aroeiras; Speed Car (Marina); Viper (Pericumã); Rio Negro (Expresso Tapajós) e Planeta (São Benedito).

Entre os itens que estão sendo descumpridos, destaque para o não pagamento dos planos de saúde e odontológico e de horas extras, além da constatação de carteiras de trabalho não assinadas, situação que tem gerado grandes transtornos aos Rodoviários.

A denúncia constando esse desrespeito com os Rodoviários, já foi protocolada no Ministério do Trabalho. A medida adotada pelo Sindicato dos Rodoviários tem a intenção de resguardar os direitos dos trabalhadores, que mês a mês, estão sendo enganados pelos empresários, com essa postura que é ilegal e fere tudo o que foi acordado por meio de Convenção Coletiva de Trabalho.

O Sindicato dos Rodoviários está anunciando esta possível paralisação, como medida drástica, já que não nos resta outra alternativa. Esse é o tipo de tratamento recebido pelos trabalhadores das empresas do Consórcio Upaon-Açu, sem a garantia de concessão de benefícios, que são fundamentais para o exercício da atividade. A entidade espera que a solução possa ser dada pelos empresários, sem precisarmos recorrer a uma greve, que acaba gerando transtornos para a população, mas também não podemos ficar de braços cruzados, esperando a boa vontade dos patrões para resolver a questão. Se não atenderem as nossas reivindicações, o Consorcio Upaon-Açu vai parar na terça-feira (3)”, garante Isaías Castelo Branco, Presidente do Sindicato dos Rodoviários do Maranhão.

Prefeito Washington sofre dura derrota na Câmara de Vereadores de Bacuri

Vereadores de Bacuri

O prefeito da cidade de Bacuri sofreu uma dura derrota dos vereadores na última terça-feira (26). Vereadores ouvidos pelo Icururupu destacaram que a derrota foi fruto da “arrogância” e da falta de diálogo do prefeito para com os vereadores e o excesso de confiança que o prefeito ostentava por ter conseguido fazer a presidência da câmara historicamente.

Washington Oliveira, prefeito de Bacuri

Dr. Washington, como é chamado pelos bacurienses, está no seu terceiro mandato e durante todas as vezes em que mandou no município fez o presidente da Câmara de vereadores de forma muito tranquila, convicto que teria mais uma vitória, fez uma aposta equivocada, preteriu [trocou] o atual presidente da Câmara, vereador Mauro, este último, uma vez se sentindo traído por Washington, articulou juntamente com a oposição, especialmente com a vereadora Regina (PMN), uma das vereadoras mas atuantes no município e junto com os demais vereadores insatisfeitos, impuseram uma importante derrota ao prefeito.

A insatisfação com o prefeito é geral, especialmente pelo fato de não atender os vereadores, uma vez que passa mais tempo na capital do que no município, aliás, essa é uma reclamação constante dos bacurienses, pois é praticamente impossível encontrar o prefeito na cidade. A exceção são os dias em que o prefeito atende como médico no município.

Com o resultado, a nova diretoria ficou composta pelos seguintes vereadores: presidente reeleito vereador Mauro, vice presidente vereador Wilson (irmão do vice-prefeito da cidade), primeiro secretário vereador Rocha (sobrinho do ex-prefeito Baldoino), segunda secretária vereadora Regina (líder da oposição na Câmara).

Com a formatação da nova mesa diretora, e com o rompimento do presidente da Câmara com o prefeito e a união consolidada entre os vereadores da oposição, ao que tudo indica o prefeito terá sérios problemas daqui pra frente, uma vez que várias de suas ações dependem diretamente da Câmara.

Bacuri tem um total de 11 vereadores, com o novo desenho da mesa diretora e a total insatisfação dos vereadores com o prefeito, surgem a possibilidade de novas lideranças política no município, principalmente os vereadores Mauro, Toy, Wilson, Regina, Rocha e Coroa. Ao que tudo indica, os dias de tranquilidade que o prefeito ostentou durante todas as vezes em que mandou no município está com dias contados, a menos que haja uma reviravolta no senário político bacuriense, o que é pouco provável na atual conjuntura, uma vez que o índice de revolta com o executivo só aumenta entre os vereadores.

Para a vereadora Regina, o resultado da votação demonstra claramente que os vereadores não aceitam mais a situação que vem sendo impostas pelo executivo, ainda segundo a vereadora, é hora dos vereadores unirem-se em busca de melhoria da qualidade de vida dos bacurienses com ações concretas que reflita o anseio da população. Líder da oposição, Regina é uma vereadora atuante, vem reenterradamente fazendo duras críticas ao prefeito e parece que seus pares entenderam seus pleitos, pois no apagar das luzes mostraram ao prefeito Washington que não estão mais dispostos a se indispor com a população, e inauguraram a primeira e mais importante derrota do prefeito durante todos os seus mandatos no município.

Outro dado que chama bastante atenção e acende a “luz vermelha” para o prefeito é que o irmão do vice prefeito, o vereador Wilson se uniu à oposição e por tabela foi eleito vice presidente do legislativo municipal. As cartas foram colocadas na mesa, o jogo político começou, nos resta acompanhar e ao final verificar quem vai vencer nesse quebra de braço entre legislativo e executivo. Uma coisa é certa, a tranquilidade que o prefeito teve durante todo esse tempo certamente não será a mesma daqui pra frente.

Fonte: Icururupu

Pesquisa CNI/Ibope mostra Marina e Bolsonaro tecnicamente empatados

Marina Silva e Jair Bolsonaro, tecnicamente empatados

Os presidenciáveis Jair Bolsonaro (PSL) e Marina Silva (Rede) lideram a pesquisa CNI/Ibope divulgada nesta quinta-feira (28) em um cenário sem o nome do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) na disputa. Dentro da margem de erro de dois pontos porcentuais para mais ou para menos, os dois estão tecnicamente empatados: Bolsonaro, à frente, com 17% e Marina com 13%. Entretanto, a maior proporção é de brancos e nulos (33%).

Neste mesmo cenário, o nome do ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad foi apresentado como candidato petista. Ele soma 2% das intenções de voto, empatado com o ex-presidente Fernando Collor (PTC; 2%) e atrás de Ciro Gomes (PDT, com 8%), Geraldo Alckmin (PSDB, 6%) e Alvaro Dias (Podemos, 3%). Indecisos são 8% — veja abaixo os resultados completos.

Quando o nome de Lula é incluído na pesquisa estimulada, o petista lidera com 33% das intenções de voto, seguido por Bolsonaro (15%). Com 7%, Marina Silva está tecnicamente empatada com Ciro Gomes e Alckmin, ambos com 4%. Neste mesmo cenário, com Lula, brancos e nulos caem para 22%. O ex-presidente também lidera, com 21%, a preferência na pesquisa espontânea, em que os entrevistados respondem sem ter contato com nenhum nome.

O levantamento também mediu a rejeição aos candidatos. Este quesito é liderado por Collor e Bolsonaro, empatados com 32% cada um, e seguidos de perto por Lula (31%). Na sequência vem o ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin (22%), Ciro Gomes (18%) e Marina Silva (18%).

De acordo com o levantamento, as menções a Lula são mais expressivas na região Nordeste e em municípios com até 50 mil habitantes. A preferência ao petista também aumenta conforme diminui a escolaridade e renda familiar, caminho inverso das intenções de voto em Bolsonaro, cuja preferência é maior entre homens e eleitores de até 34 anos.

As intenções de voto em Marina Silva são maiores nas regiões Norte, Centro-Oeste e Nordeste. Sem Lula na disputa, ela fica à frente de Bolsonaro entre as mulheres no Nordeste e entre os entrevistados com renda familiar de até um salário mínimo e que estudaram até a quarta série do ensino fundamental.

A pesquisa encomendada pela Confederação Nacional da Indústria entrevistou dois mil eleitores entre os dias 21 e 24 de junho em 128 municípios. A margem de erro máxima estimada é de dois pontos percentuais para mais ou para menos sobre os resultados encontrados no total da amostra.

O nível de confiança utilizado é de 95%. Isso quer dizer que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem o atual momento eleitoral, considerando a margem de erro. O levantamento foi registrado no Tribunal Superior Eleitoral sob o protocolo BR-02265/2018.

Veja abaixo os cenários completos da pesquisa CNI/Ibope:

Cenário 1
Jair Bolsonaro- 17%
Marina Silva- 13%
Ciro Gomes- 8%
Geraldo Alckmin – 6%
Álvaro Dias- 3%
Fernando Collor – 2%
Fernando Haddad – 2%
Flávio Rocha- 1%
Guilherme Boulos – 1%
Henrique Meirelles – 1%
João Amoêdo – 1 %
Levy Fidelix – 1%
João Goulart Filho – 1%
Manuela D’Ávila – 1%
Rodrigo Maia – 1%
Outros – 1%
Branco/Nulo – 33%
Não sabe/ Não respondeu – 8%

Cenário 2
Lula – 33%
Jair Bolsonaro – 15%
Marina Silva – 7%
Ciro Gomes – 4%
Geraldo Alckmin – 4%
Álvaro Dias – 2%
João Amoêdo – 1%
Manuela D’Ávila – 1%
Fernando Collor – 1%
Flávio Rocha – 1%
Levy Fidelix – 1%
João Goulart Filho – 1%
Outros – 2%
Branco/nulo – 22%
Não sabe/ Não respondeu – 6%

Intenção de voto espontânea
Lula – 21%
Jair Bolsonaro – 11%
Ciro Gomes – 2%
Marina Silva – 2%
Álvaro Dias – 1%
Geraldo Alckmin – 1%
João Amoêdo – 1%
Outros – 3%
Branco/Nulo – 31%
Não sabe/ não respondeu – 28%

Rejeição
Fernando Collor – 32%
Jair Bolsonaro – 32%
Lula – 31%
Geraldo Alckmin – 22%
Ciro Gomes – 18%
Marina Silva –18%
Rodrigo Maia – 13%
Fernando Haddad – 12%
Henrique Meirelles – 11%
Levy Fidelix – 10%
Aldo Rebelo –9%
Álvaro Dias – 9%
Flávio Rocha – 9%
Guilherme Boulos – 9%
João Goulart Filho – 9%
Manuela D’Ávila – 9%
João Amoêdo – 8%
Guilherme Afif Domingos – 8%
Paulo Rabello de Castro – 8%
Valéria Monteiro –8%
Poderia votar em todos – 2%
Não sabe/ não respondeu – 11%

Fonte: VEJA