E-mail: [email protected]
Rádio
  • Política
  • Deputados vistoriam e constatam melhor acolhimento a adolescentes na unidade da Aurora

     

    O Governo do Estado abriu as portas da unidade da Fundação da Criança e do Adolescente (Funac), na Aurora, nesta quarta-feira (11), para que uma comissão de deputados estaduais pudesse visitar às dependências do prédio em que estão, atualmente, internados sete adolescentes que cometeram atos infracionais. Durante a vistoria, os parlamentares Fabio Macedo (PDT), Vinicius Louro (PR) e Andrea Murad (PMDB), recebidos pelo secretário de Estado de Direitos Humanos e Participação Popular, Francisco Gonçalves, e com a presidente da Fundação, Elisângela Cardoso, conversaram com o corpo técnico da unidade, além de conhecer as instalações, saber como funciona a rotina dos internos e ouvir mães e familiares de alguns dos adolescentes.

    Os deputados avaliaram as condições da unidade que passa por adequações da estrutura para atender os adolescentes, conforme preconiza o Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo (Sinase).

    O deputado estadual Vinicius Louro disse que após as adequações na estrutura física, que estão sendo realizadas, o ambiente estará completamente apto para executar as medidas socioeducativas. “A gente veio averiguar o prédio em questão e a gente constatou que todas as medidas foram tomadas. Tem internos hoje, há reformas sendo feitas e a gente fica satisfeito por hoje ser recebido pela equipe da Funac. Encontramos mães dos internos, com toda a assistência de psicólogos, um aparato para que esses jovens possam voltar para o seio da sociedade”, afirmou Vinicius Louro.

    “Viemos conhecer as instalações da Funac, conhecemos todas as dependências e avaliação que a gente faz é que com as adequações em curso ficará nas adaptações legais para o uso dos adolescentes. Nossa avaliação é positiva”, disse Fábio Macedo.

    O secretário Francisco Gonçalves, acompanhado da presidente da Funac, Elisângela Cardoso, e do corpo técnico da instituição, tirou as dúvidas dos parlamentares e explicou o funcionamento da unidade. Elisângela lembrou que o prédio da Aurora tem 17 vagas e é importante para desafogar outras unidades – como o Centro de Internação Provisória Canaã, que não tem autorização da Justiça para receber, no mesmo espaço, adolescentes de internação provisória e de internação definitiva –, evitando superlotação e garantindo a dignidade dos adolescentes.

    “Este espaço tem o objetivo de enfrentar o problema da superlotação, que é algo que traz um dano e um risco muito grande para os adolescentes, e também para os servidores. É importante termos unidades com espaços de porte menor, como é o caso dessa unidade que vai atender no máximo 17 adolescentes. E compreendendo que o perfil desses adolescentes é de quem nunca se envolveu em atos de rebeliões, tumultos ou fugas”, destacou Elisangela, lembrando que outros requisitos importantes para os adolescentes que serão atendidos pelo prédio da Aurora, são bom comportamento dentro das unidades, que não seja reincidente ou adolescentes oriundos de outras cidades, ou seja, sem envolvimento com facções.

    Maria, mãe de um dos adolescentes internados na unidade da Aurora, considera que o local oferece melhores condições de ressocialização para o filho, inclusive as instalações físicas. “Garante (melhores condições), porque lá onde ele estava, não estava tendo espaço, aqui ele vai ter escolarização, apoio pedagógico e o alojamento é melhor. Ele está se sentindo mais tranquilo, já está com esperança, está mais confiante”, defendeu a mãe, que acredita que a mudança será essencial para que o filho tenha o futuro que ela tanto almeja.

    O Governo do Estado tem um pacote de obras para reestruturar as unidades da Funac. O secretário Francisco Gonçalves explicou aos deputados que a reestruturação se dá através da construção de novos prédios, que garantam a ressocialização e a dignidade dos adolescentes. E assim, até 2018, serão criadas pelo menos 224 vagas de internação e internação provisória, ampliando a capacidade de atendimento da Funac, e dispensando a necessidade de locação de prédios. Ao que deverá melhorar ainda mais as condições de atendimento a estes adolescentes que tanto precisam de atenção. “Eu espero realmente que seja construída a nova sede da Funac, para que esses adolescentes possam ir para essa nova unidade”, declarou a deputada Andrea Murad.

    A presidente da Funac destacou que esforços não serão medidos pela gestão para garantir a segurança da população e também a dignidade e o direito à vida dos adolescentes, dando-os condições para alcançar novos rumos. “Esse é um grande desafio, é um público que parte da sociedade tem, de fato, rejeição, mas é preciso compreender que esses adolescentes são seres humanos e que cabe ao Estado garantir as condições de dignidade a partir do que preconiza o Estatuto da Criança e do Adolescente e o Sinase”, ressaltou Elisângela.

    11 de janeiro de 2017 às 21:25 | Por:

  • Política
  • Deputados querem lagosta, camarão, picanha na chapa e rosquinha húngara

    A Assembleia Legislativa de Alagoas abriu durante o recesso do Natal e Ano-Novo sessão pública para registro de preços de serviços de buffet para eventos da Casa durante um ano.

    Lagosta, coquetel de camarão com uvas, picanha na chapa e casquinha de siri se destacam no cardápio para almoços, jantares e coquetéis. Para o café da manhã poderá ser oferecido um sortido cesto de pães, ao todo oito tipos, além de frios, petit four, pão de queijo, biscoito, rosquinha húngara, croissant, casadinho e, ainda, tortas.

    A Diretoria de Comunicação da Assembleia confirmou à reportagem “uma segunda chamada para o pregão”. O Poder Legislativo afirma que, no entanto, “o contrato não prosperou por falta de homologação da presidência da Casa”. A desistência não havia sido incluída no Diário Oficial do Estado até esta terça-feira, 10.

    Alagoas tem o pior IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) do País. Duas cidades alagoanas estão na lista das 50 com pior Índice de Desenvolvimento Humano. A Assembleia tem 31 deputados. Segundo o edital, a contratação do buffet vai “atender às necessidades da Assembleia Legislativa de Alagoas”.

    O pregão da Assembleia, que em seu portal na internet se autointitula “A voz do povo”, separou a contratação em dois lotes: uma cota principal com dois tipos de café da manhã (um para 500 pessoas e outro para mil), um coffee break (4 mil pessoas), um coquetel (1,1 mil pessoas), um brunch (1,1 mil pessoas), um lanche box (1,5 mil pessoas) e dois tipos de almoço (um para 500 e outro para mil pessoas). A cota reservada tem dois tipos de jantar – um para 500 pessoas e outro para mil pessoas).

    Em um dos cardápios do café da manhã há oito tipos de pães (francês, brioche, leite, integral, doce, italiano, sírio e pão de bata com queijo), frios, petit four (pão de queijo, biscoito, rosquinha húngara, croissant, casadinho) e tortas.

    Para o coquetel, os deputados escolheram patês, pães e finger food (2 tipos a escolher dentre bacalhau, pão sírio com carne de sol ao molho de queijo montanhês, camarão crocante, brie gratinado com mel de ervas e pão sueco, damasco com cream cheese, mini-risoto de queijo, sururu e tartar de atum).

    Para o almoço dos eventos, a Assembleia estabeleceu saladas, arroz e pratos principais com dois tipos de carne a escolher: filé mignon à soberana (grelhado, molho com cogumelo, batatas noisetes e abacaxi caramelado), frango xadrez (filés de frango cortados em cubos, cebola, pimentão verde e vermelho, amendoim ou castanha de caju e ketchup), lombo ao molho de laranja, peixada ao molho de tomate com pirão, moqueca de peixe, fritada de sururu, picanha na chapa, salmão, lagosta ao molho de queijo, coquetel de camarão com uvas, caldeirada e pituzada.

    No cardápio há, ainda, variedades de arroz, feijão (caseiro ou tropeiro), massa, acompanhamento (farofa, purê de macaxeira), sobremesas e bebidas sem álcool.

    “A realização de certame licitatório para futura e eventual contratação visa a atender, quando necessário, aos participantes de eventos institucionais, promovidas pela Assembleia Legislativa de Alagoas, onde a mesma constitui-se, além de uma necessidade, em uma comodidade para atendimento de situações de última hora, em que, costumeiramente tem-se que enfrentar questões logísticas organizacionais e de suprimentos que um buffet atende com mais agilidade e correção”, diz o termo de referência da licitação.

    De acordo com a tomada de preço, o buffet deverá disponibilizar “serviço de garçom, gerente de buffet, para o fornecimento de cafés da manhã, almoços, jantares, coffee break, brunch, coquetéis” e, proporcional ao número de participantes do evento, “bandejas de inox ou prata, travessas, jarras térmicas, louças, copos de vidro ou acrílico descartável, toalha de tecido, talheres de metal e guardanapos de papel de primeira qualidade, guardanapos de tecido de material”.

    “Quando solicitado o fornecimento, a empresa beneficiária deverá providenciar o buffet de acordo com os tipos de cardápio discriminados pelo órgão na ata de registro de preços”, estabelece a Assembleia.

    “Quando o evento for realizado por mais de um dia consecutivo, o fornecedor beneficiário não poderá, em hipótese alguma, repetir o cardápio ou utilizar alimentos do dia anterior. Na hipótese de evento realizado em um único dia, o fornecedor beneficiário deverá variar o cardápio nos períodos da manhã e tarde.”

    No documento, a Assembleia registra que a tomada de preços “constitui uma ferramenta capaz de conferir à Administração uma formação de banco de preços de fornecedores, não implicando em obrigação efetiva de sua aquisição/prestação de serviços”. As contratações, segundo a Casa, “serão feitas de acordo com as necessidades e conveniência do órgão”.

    A tomada de preço estabelece que o custo da licitação deve ser estimado “em valor unitário (por cabeça), haja vista a falta de exatidão da quantidade de pessoas convidadas para os eventos realizados pelos órgãos participantes, conforme demonstrado em mapa de preço”.

    A Casa alagoana registra que a “entrega dos materiais e a realização dos serviços serão efetuadas no local de realização dos eventos indicados pela Assembleia”, em até 3 horas de antecedência. No caso de almoço, jantar, coquetel, “deverá a equipe estar uniformizada e preparada para o evento”.

    “A Assembleia poderá solicitar substituição de funcionários do buffet que estejam trabalhando em eventos sempre que este não se enquadrarem com padrão do evento ou quando não tiverem qualificação técnica necessária”, define a Casa.

    Estadão

    11 de janeiro de 2017 às 17:09 | Por:

  • Política
  • Roseana dobrou aluguel do prédio de Sarney durante seu governo

    A ex-governadora Roseana Sarney (PMDB) durante seu último mandato fez questão de dobrar o aluguel do Shopping Jaracati, de propriedade de José Sarney, onde funcionava uma unidade do Viva Cidadão.

    O prédio foi alugado pelo falecido ex-governador Jackson Lago (PDT), em dezembro de 2008, pelo valor de R$ 17.988,17 através da Secretaria de Gestão e Previdência Social. Logo após o fim do contrato, em dezembro de 2013, quando Roseana já era governadora, um novo contrato de locação foi assinado por 36 meses, e o valor do mesmo prédio foi reajustado para exorbitantes R$ 31.608,17. O valor do aluguel por três anos totalizou R$ 1. 137.894,12. Tudo feito sem qualquer tipo de explicação que justificasse esses números.  Detalhe que no local, não existe mais o Viva Cidadã. Todas as informações estão contidas no Diário Oficial do Estado.

    Foi sobre esse contrato que o governador Flávio Dino (PCdoB) se referia em uma postagem nas redes sociais, ao citar que no Governo de Roseana ela alugou um prédio do próprio pai. Além de manter o imóvel, a peemedebista dobrou o valor mensal. A patifaria só acabou quando a oligarquia deixou o Palácio dos Leões.

     O governador chegou ainda a fazer uma comparação com a reclamação por parte da oposição em relação ao aluguel do prédio da Funac, que custa R$ 9 mil, um terço do valor pago por Roseana pelo imóvel da sua família.

     

    11 de janeiro de 2017 às 15:10 | Por:

  • Política
  • Prefeituras do Maranhão suspendem concursos por recomendação da Justiça

    Pelo menos dois prefeitos recém-empossados no Maranhão suspenderam concursos públicos para provimentos de cargos efetivos como primeiros atos da nova administração. Os prefeitos de Riachão, Joab Santos (PRB); e de Carolina, Dr.Erivelton (SD), cancelaram o certame em atendimento à recomendação da promotoria de justiça das respectivas comarcas. Os prefeitos prometem retomar o processo ainda neste semestre.

    Em dezembro do ano passado ao menos sete prefeituras tiveram concursos suspensos por determinação das promotorias de Justiça ou Tribunal de Contas do Estado do Maranhão, TCE-MA. A prefeitura de Barra do Corda chegou a inscrever candidatos para 932 vagas com salário de até R$ 2.500 em todos os níveis de escolaridade. Por falta de pagamento, a empresa organizadora do concurso decidiu suspender todo o processo sem prazo para retomá-lo.

    Em Senador La Roque, Carolina, Pedro do Rosário, Codó e Brejo de Areia os concursos marcados para dezembro de 2016 foram todos suspensos. Em Capinzal do Norte, o prefeito Roberto Campelo numa manobra escandalosa tentou utilizar o concurso como instrumento de campanha para a reeleição, oferecendo salários de até R$ 9 mil para 360 vagas. Contratou uma empresa de consultoria de Teresina (PI) para organizar o certame, mas tropeçou em decisão da Justiça e foi reprovado nas urnas pelo eleitorado.

    Por outro lado, o prefeito de Presidente Dutra, Juran Carvalho (PP), promove processo seletivo para preenchimento do quadro da Secretaria Municipal de Saúde com salários que atinge até R$ 13, 5 mil. As inscrições se encerraram ao meio dia desta quarta-feira, 11, sem cobrança de taxa de inscrições. Os profissionais selecionados terão contrato de validade até dezembro de 2017 podendo se estender por mais um ano.

    11 de janeiro de 2017 às 12:31 | Por:

  • Política
  • Prefeito Luciano Leitoa deve reduzir número de secretarias

    Preocupado em reduzir gastos e adequar o município a nova realidade do país, o prefeito de Timom, Luciano Leitoa (PSB), prepara um enxugamento da estrutura da Prefeitura. Algumas secretarias devem ser extintas e outras unificadas.

    O grande desafio é a responsabilidade fiscal com os recursos da cidade, mas sem comprometer as ações em prol da população, portanto, as mudanças estão sendo planejadas cuidadosamente e devem ser implantadas seguindo um cronograma.

    Nos bastidores, comenta-se que as pastas que deverão ser atingidas são as secretarias  de  Cultura, Segurança, Direitos Humanos e a Agência de Ciência e Tecnologia que devem se transformar em duas ou incorporadas a outros setores. As quatro pastas estão sem titular e o secretário de governo, João Batista Lima Pontes é quem está respondendo interinamente pelas mesmas. Atualmente na administração municipal existem 28 secretarias.

    Outro medida para reduzir os gastos foi a exoneração de comissionados, que garantiu um alivio financeiro.

    11 de janeiro de 2017 às 11:02 | Por:

  • Política
  • Prefeitos enfrentam dificuldades no começo do ano: notinhas do interior

    Brejo zerado

    O esperado recurso do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) não poderá ser usado pelo prefeito de Brejo, Zé Farias. O FPM foi bloqueado pela justiça por dívidas deixadas pelo ex-prefeito Omar Furtado. O município continua com as contas negativas e o novo gestor terá dificuldades nos primeiros meses.

    Chapadinha sem saúde

    O blog já havia denunciado a calamidade deixada no Hospital Regional de Chapadinha pela ex-prefeita Belezinha. Segundo o portal da transferência, em dezembro o município recebeu R$ 1.658.723,57 em recursos do Governo Federal. Mesmo assim a unidade foi totalmente sucateada e virou alvo de reclamações dos pacientes.

    Mirador na UTI

    Depois que assumiu o município, o prefeito Roni tem dedicado parte de seu tempo a vistoriar obras e órgãos que fazem parte da administração, objetivando agilizar o funcionamento e ver de perto a necessidade de cada um. Hoje ao visitar o hospital municipal com uma equipe de engenheiros para avaliar a situação física do prédio, o prefeito foi surpreendido com o estado precário em que se encontra, uma situação de abandono e completo descaso com a saúde. “Nem esse e nem qualquer outro problema irá nos abater, vamos providenciar o mais rápido possível a reforma necessária para deixar essa Casa de Saúde em perfeitas condições”, afirmou o prefeito. (Blog do Lobão)

    Cajapió as escuras

    O prefeito de Cajapió, Dr.Marcone, esteve reunido com a diretoria da Cemar para negociar dívidas da Prefeitura. O ex-prefeito da cidade, Nonato Silva, deixou contas de luz abertas que somadas ultrapassam R$ 1 milhão com a fornecedora de energia do Maranhão. Devido aos débitos, alguns prédios públicos estão sem o fornecimento de energia.

    Condenação em Imperatriz

    A justiça condenou o ex-prefeito de Imperatriz, Jomar Fernandes, à perda da função pública (caso detenha), suspensão dos direitos políticos pelo prazo de cinco anos e ao pagamento de multa civil equivalente a dez vezes o salário que recebia no cargo de prefeito, no ano de 2001. O motivo é devido irregularidades em convênio celebrado com o Ministério do Meio Ambiente. A decisão é da 2a Câmara Cível do TJM.

    Timon no azul

    O prefeito de Timom, Luciano Leitoa, garantiu R$ 1,4 milhão para ser incorporado ao Fundo de Saúde do município. Os recursos são da Secretaria de Saúde que autorizou a transferência, através da Portaria nº 1.148 de 26 de dezembro de 2016. O documento diz que esse valor deve ser transferido em parcela única, ou no caso de parcelamento, executado no prazo máximo de 12 meses.

    Fábio Gentil x Paulo Marinho

    O grupo formado pelo prefeito de Caxias, Fábio Gentil, para vencer as eleições no ano passado já começa a mostrar sinais de rompimento. O ex-prefeito de Caxias e ex-deputado Paulo Marinho, enciumado, mandou um recado ao prefeito devido sua proximidade com o vereador Catulé. “Ontem vi o Fabio e o Catulé na Apae…logo com quem? Com o maior puxa saco dos Coutinho e nosso maior adversário. Será que isso vai continuar? Quem me conhece sabe”, alertou Marinho.

    Desvios milionários em prefeituras

    Levantamento realizado pelo Ministério da Transparência, Fiscalização e Controladoria Geral da União revela que no período de outubro de 2013 a dezembro de 2016, cerca de R$ 309 milhões de recursos da saúde, educação, transporte e merenda escolar, foram desviados por prefeituras de municípios do Maranhão. Os números dizem respeito apenas a desvio investigados em operações pela CGU, em conjunto com a Polícia Federal e o Ministério Público Federal. O período corresponde ao primeiro mandato de prefeitos eleitos em 2012. (Coluna Informe, jornal Pequeno)

    11 de janeiro de 2017 às 8:30 | Por:

  • Política
  • TRE-MA preenche vagas de juristas até o dia 20

    Os juristas Daniel de Faria Jerônimo Leite ou Eduardo José Leal Moreira podem ser reconduzidos ao quadro de membros efetivos do Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão no dia 23 de janeiro, quando se encerra o recesso judiciário. O preenchimento das vagas acontece até o dia 20. As nomeações serão homologadas pelo presidente Temer.

    Daniel Leite e Eduardo Moreira se despediram do TRE-MA na sessão administrativa de 19 de dezembro, mas o biênio de ambos se encerrou efetivamente na sexta-feira, 7. Eles compõem listas tríplices distintas que aguardam o que certamente os coloca em condições de recondução à Corte. Outros quatro advogados fazem parte da lista 1: José Cavalcante de Alencar Júnior e Daniel Blume; e da Lista 2: Gustavo Araújo Vilas Boas e Gabriel Ahid Costa.

    Tanto Leite como Moreira têm a torcida do presidente do TRE-MA, desembargador Lourival Serejo, e de parte dos membros da Corte, entre eles o ouvidor eleitoral, juiz Sebastião Bonfim.

    10 de janeiro de 2017 às 18:41 | Por:

  • Política
  • Presidente da Funac desmente Andrea Murad e convida deputada para visita na Aurora

    A presidente da Funac, Elisângela Correia Cardoso, enviou carta à deputada Andrea Murad (PMDB) para explicar as regras existentes nas unidades da segurança para adolescentes e que motivaram o impedimento da parlamentar de entrar no prédio localizado na Aurora.

    No último domingo, 8, Andrea preparou um verdadeiro barraco na frente da unidade da Funac na Aurora, com o objetivo de causar um constrangimento ao governo do estado e a direção da casa. A deputada sabia muito bem que não poderia entrar sem aviso prévio, e por isso, chamou uma equipe da TV Mirante e alugou estrutura de som para causar um fato político.

    Mesmo com todo o circo montado pela deputada, a presidente da Funac fez questão de entrar em contato com Andrea, através de carta, esplanando as regras de visitas vigentes na unidade. “No caso de visita inesperada, ela deve ocorrer após ser traçado um roteiro básico de segurança, prevendo-se as alterações na rotina que se demonstrem necessárias, os remanejamentos de pessoal já anteriormente designados para outras funções ou a espera da chegada daqueles convocados em regime de urgência para realizar o devido acompanhamento, bem como a comunicação à Presidência da FUNAC” (disponível no sítio www.funac.ma.gov.br e instituído pela Portaria nº 962/2016 – GP/FUNAC Publicado no Diário Oficial do Estado no dia 04 de agosto de 2016)”, destacou Elisangela.

    De forma educada, a presidente reconheceu a prerrogativa de parlamentar, mas que isso não pode sobrepor as leis, e ainda convidou a deputada a agendar uma visita, seguindo as regras, como determina a portaria da Funac. “Cabe esclarecer que a Fundação tem conhecimento e respeita as prerrogativas parlamentares. No entanto, em face da missão institucional da Funac em zelar pelos direitos dos adolescentes em cumprimento de medida, não autorizaremos a entrada de terceiros, que não gozem de tais prerrogativas, assim como não é permitida a entrada de câmeras, celulares e eletrônicos em geral. Colocamo-nos assim à sua disposição para as visitas que se fizerem necessárias, atentando sempre para as regras de segurança dos servidores, adolescentes em cumprimento de medida socioeducativa, comunidade e visitantes”.

    Agora se a deputada realmente quiser colaborar e conhecer a unidade, basta seguir as determinações de segurança e não fazer de um assunto sério, fato para se promover.

    Carta na integra:

    Prezada Deputada,

    Cumprimentando-a cordialmente, esclarecemos a V. Exa. que a gestão da Fundação da Criança e do Adolescente (Funac) em nenhum momento se opõe à visita às dependências das unidades de atendimento a adolescentes infratores. Contudo, por questões de segurança, conforme previsto no Plano de Segurança, é necessário atender protocolos, in litteris: “No caso de visita inesperada, ela deve ocorrer após ser traçado um roteiro básico de segurança, prevendo-se as alterações na rotina que se demonstrem necessárias, os remanejamentos de pessoal já anteriormente designados para outras funções ou a espera da chegada daqueles convocados em regime de urgência para realizar o devido acompanhamento, bem como a comunicação à Presidência da FUNAC” (disponível no sítio www.funac.ma.gov.br e instituído pela Portaria nº 962/2016 – GP/FUNAC Publicado no Diário Oficial do Estado no dia 04 de agosto de 2016).
    Outrossim, cabe esclarecer que a Fundação tem conhecimento e respeita as prerrogativas parlamentares. No entanto, em face da missão institucional da Funac em zelar pelos direitos dos adolescentes em cumprimento de medida, não autorizaremos a entrada de terceiros, que não gozem de tais prerrogativas, assim como não é permitida a entrada de câmeras, celulares e eletrônicos em geral.
    Colocamo-nos assim à sua disposição para as visitas que se fizerem necessárias, atentando sempre para as regras de segurança dos servidores, adolescentes em cumprimento de medida socioeducativa, comunidade e visitantes.

    Respeitosamente,
    Elisângela Correia Cardoso
    Presidente da FUNAC

    10 de janeiro de 2017 às 16:59 | Por:

  • Política
  • Dino lembra de alugueis “amigos” de Roseana e analisará situação jurídica de filiado ao PCdoB

    O aluguel do prédio da Funac na Aurora tem sido o principal instrumento de ataque da oposição ao governo Flávio Dino. Obviamente que o fato do imóvel pertencer a um membro do PCdoB e ainda mais comissionado dos quadros da Emap, torna a situação constrangedora, mas também é admissível que o Palácio dos Leões pode ter sido surpreendido, principalmente, o governador.

    Ao menos é o que garante Flávio Dino. Em mais um texto publicado nas redes sociais, ele desconhecer a nomeação de Jean Carlos Oliveira e muito menos a escolha do prédio da Funac, mas irá analisar a situação para descobrir se existe algo errado.

    “Vou analisar juridicamente a situação de o cidadão ser empregado de uma empresa pública. Friso: tal nomeação não passa por mim. Se houver qualquer dúvida jurídica sobre isso, a lei será aplicada, como tem sido sempre no nosso governo. Dúvida jurídica sobre a condição do cidadão de empregado de uma empresa pública. Não sobre filiação partidária, que obviamente não impede”.

    O Palácio dos Leões tem consciência que a repercussão causou mal estar, por isso tem buscado se comunicar com a população e a imprensa. Uma coisa é notória: a cúpula governista foi surpreendida e caso haja algum erro ou deslize, os responsáveis serão punidos.

    Porém, Dino não deixou de lembrar das peripécias promovidas pela oligarquia quando estava no poder. Segundo o comunista, Roseana alugou prédios do pai, Sarney, e de outros aliados, além de abastecer os cofres da Mirante, que na época fazia vistas grossas aos escândalos.

    “Interessante que o Governo do Maranhão aluga prédio até do senador José Sarney, entre dezenas de filiados a vários partidos. Aí pode? O curioso é que a filha Roseana que começou esse aluguel do prédio do seu próprio pai Sarney para o governo. Aí não era favorecimento. Quantos milhões o Governo do Maranhão pagou por esse aluguel ao senador Sarney? Belo tema para uma reportagem”.

    Ele ainda fez uma comparação: enquanto o governo passado é acusado de desviar bilhões de reais, a atual gestão sofre perseguição por um aluguel de R$ 9 mil.

    “E vejam o ridículo político dessa gente: me perseguem há 2 anos e até agora só acharam esse “grave escândalo” no governo. De R$ 9 mil”.

    Nota na integra:

    Interessante que o Governo do Maranhão aluga prédio até do senador José Sarney, entre dezenas de filiados a vários partidos. Aí pode?
    O curioso é que a filha Roseana que começou esse aluguel do prédio do seu próprio pai Sarney para o Governo. Aí não era favorecimento.
    Quantos milhões o Governo do Maranhão pagou por esse aluguel ao senador Sarney? Belo tema para uma reportagem.
    Enquanto isso, sou “acusado” de favorecer um cidadão que não conheço, não sei quem é, não é meu parente, de um imóvel que não escolhi.
    Trago esses fatos para mostrar o que está por trás da “grave denúncia”: politicagem do pior tipo. Nosso governo cumpre as leis.
    Alguém já pensou se tiver que rescindir aluguéis de imóveis de pessoas filiadas a todos os partidos? Seria inconstitucional e absurdo.
    Alguém já pensou do absurdo de a Administração Publica pedir “atestado ideológico” ou filiação partidária para celebrar simples contrato?
    O grave é que a politicagem da “grave denúncia” atinge a necessária manutenção e expansão de casas para medidas sócio-educativas.
    Ou seja, enquanto há 100 mortos por problemas em presídios, nós estamos tentando evitar tragedias. E irresponsáveis não querem deixar.
    E vejam o ridículo político dessa gente: me perseguem há 2 anos e até agora só acharam esse “grave escândalo” no governo. De R$ 9 mil.
    São uns fariseus que construíram fortunas empresariais e pessoais de BILHÕES, às custas do povo do Maranhão.
    Vou analisar juridicamente a situação de o cidadão ser empregado de uma empresa pública. Friso: tal nomeação não passa por mim.
    Se houver qualquer dúvida jurídica sobre isso, a lei será aplicada, como tem sido sempre no nosso governo.
    Dúvida jurídica sobre a condição do cidadão de empregado de uma empresa pública. Não sobre filiação partidária, que obviamente não impede.

    10 de janeiro de 2017 às 12:51 | Por:

  • Política
  • Prefeito de Itapecuru-Mirim também nomeou a esposa, irmã e a prima

    A farra de distribuição de empregos para parentes dos novos prefeitos do Maranhão continua. Depois de Fábio Gentil em Caixas nomear a esposa, o irmão e uma prima, a denúncia mais recente é em Itapecuru-Mirim, onde o prefeito Miguel Lauand (PRB) teria arranjado vaga também para a esposa, irmã e prima.

    A primeira dama, Teresa Lauand, ficou com Assistência Social; a irmã, Socorro Lauand, pegou a pasta da Educação e a prima, Graça Lauand, Secretaria de Finanças. A informação é do blog do Abel Carvalho.

    Miguel é um dos membros da chapa oligarca da Famem e já começa seu mandato dando uma mau exemplo de gestão. O Ministério Público deve ficar atento sobre mais essa denúncia que pode ser configurado como nepotismo.

    Em menos de duas semanas, esse já é o terceiro caso de nomeação de parentes em prefeituras do Maranhão. As outras ocorrências foram em Caxias, como falado no começo do texto e Chapadinha, onde foi necessária a intervenção da promotoria estadual.

    10 de janeiro de 2017 às 10:53 | Por: