E-mail: [email protected]
Rádio
  • Política
  • Andrea Murad: lavagem de dinheiro e o hospital fantasma de Rosário

    Habituada a pronunciar em vão o nome do Ministério Público Estadual, em suas histriônicas falas, a deputada estadual Andrea Murad terá muito a dizer aos promotores e à Justiça estadual sobre doações de campanha recebidas oriunda da obra fantasma do Hospital de Rosário, na gestão de seu pai Ricardo Murad, na Secretaria Estadual de Saúde.

    Andrea Murad e seu cunhado Souza Neto foram incluídos na denúncia do MP que pede o ressarcimento de R$ 4,8 milhões pagos a construtora Ires Engenharia Ltda., por uma obra hospital que jamais foi construída.

    O MP descobriu que em 17 de setembro de 2014 a Ires Engenharia recebeu R$ 3,1 milhões da gestão Ricardo Murad pela ordem bancária 20140B15351; e que na semana seguinte (em 24 de setembro de 2014) repassava dinheiro para a conta de campanha da histriônica Andrea Murad.

    Vejamos o que a diz denúncia do Ministério Público já apresentada à Justiça Estadual:

    “Constitui-se ainda em absoluta impropriedade legal nos vínculos contratuais da SES com as empresas referidas, especialmente a IRES ENGENHARIA LTDA. pelo fato dessa empresa ter feito doação no mesmo período de vigência do contrato, para os então candidatos a Deputado Andréa Trovão Murad. e Francisco de Sousa Dias Neto. Os referidos são familiares em primeiro grau do gestor que subscreveu o contrato da obra, o Sr. Ricardo Murad conforme os documentos de fls. 73/75 do primeiro volume dos autos de inquérito anexos”.

    Para os três promotores que denunciaram a obra do Hospital Fantasma de Rosário as doações da Ires Engenharia e o laço familiar (filha e genros de Ricardo Murad) representam uma violação aos princípios constitucionais administrativos de honestidade, imparcialidade, legalidade, e lealdade às instituições, o que os torna responsáveis pelos prejuízos ao erário.

    “Também se inserem os atos de responsabilização na presente ação os beneficiados com o recebimento de “doações eleitorais”, quando os contratantes dos atos administrativos que geraram o dispêndio são: ascendente em primeiro grau, servidores nomeados por este e subordinados do mesmo, ou seja, o Secretário de Estado Ricardo Murad “, argumentam os promotores.

    Segundo o MP é possível constatar que se trata de um processo inteiramente viciado, cujo vício originário é justamente ter sido desencadeado sem nenhuma necessidade de atender ao interesse público.

    Na verdade, claramente se trata de um processo montado para sangrar o Erário, tendo como consequência a lavagem de ativos, dos valores ilegalmente dispendidos, como se fosse a execução de uma obra, que na verdade nunca existiu, beneficiando o gestor e seus familiares, destinatários de “doações” eleitorais (…), causando o dispêndio açodado de recursos para coincidir com o período eleitoral, que resultou no sufrágio de dois dos réus neste processo, destinatário dessas doações típicas de lavagem de dinheiro”, apontou o Ministério Público Estadual.

    18 de janeiro de 2017 às 9:03 | Por:

  • Política
  • Sarney sumiu para não prestar depoimento na Lava Jato

    A juíza Gabriela Hardt, substituta do simbolo da Lava Jato, Sergio Moro, assinou na segunda (16) um despacho informando que o ex-presidente José Sarney (PMDB) não foi encontrado para prestar depoimento no caso triplex como testemunha de defesa de Paulo Okamotto, dirigente do Instituto Lula.

    Segundo o documento, Sarney foi procurado em um endereço no Maranhão, mas o oficial de Justiça não conseguiu encontrá-lo. “O responsável pela segurança do imóvel informou que José Sarney de Araújo Costa atualmente reside em Brasília/DF e que raramente comparece ao local.”

    De acordo com a magistrada, “o outro endereço informado pela defesa [de Okamotto] como sendo de residência de José Sarney, na Ilha Curupi, Baía de São Marcos, Raposa, São Luís/MA, será ainda diligenciado, porém, como informado pela própria Secretaria da Seção Judiciária do Maranhão, o endereço provável de José Sarney de Araújo Costa é em Brasília/DF.”

    O depoimento de Sarney foi agendado para o dia 14 de fevereiro, às 14 horas, por meio de videoconferência, com o Juízo Federal de São Luís. A defesa de Okamotto foi intimada a informar, em até cinco dias, se conhece o endereço do ex-presidente na capital federal.

    A mesma situação ocorreu com outra testemunha do presidente do Instituto Lula, o ex-ministro Ricardo Berzoini (PT). Segundo a juíza, ele não foi localizado pelo oficial de Justiça em São Paulo. “Observo que foi solicitada igualmente a sua intimação em endereço de Brasília/DF para comparecimento na audiência por videoconferência do dia 01/03/2017, às 9h30. Assim, por ora aguardem-se informações quanto ao cumprimento da carta precatória expedida para Brasília/DF”, determinou Hardt.

    Okamotto também arrolou o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) como testemunha. Em despacho de dezembro, o juiz Sergio Moro indicou que FHC será ouvido no dia 9 de fevereiro de 2017, por videoconferência, a partir de São Paulo, às 9h30. A lei impede que o ex-presidente se recuse a colaborar.

    Okamotto é réu na mesma ação em que Lula responde por ter supostamente recebido vantagens indevidas da OAS. No caso do presidente do Instituto, ele assinou um contrato com a empresa Granero para armazenar parte do acervo presidencial de Lula. Ao longo de pelo menos quatro anos, a OAS fez os pagamentos à Granero, ao custo total de cerca de R$ 1 milhão. A Lava Jato diz que esse contrato foi fraudulento, pois omitia o real caráter do serviço.

    Além disso, os procuradores afirmam que a OAS só aceitou pagar pela manutenção do acervo e pela reforma de um apartamento no Condomínio Solaris como contrapartida a três contratos que obteve com a Petrobras, por obras nas refinarias de Abreu e Lima (PE) e Getúlio Vargas (PR).

    As oitivas do caso triplex recomeçam em fevereiro, quando serão ouvidas as testemunhas de Lula e dos demais réus; confira o calendário aqui.

    GGN

    18 de janeiro de 2017 às 8:53 | Por:

  • Política
  • Campeão de gastos no Senado, Roberto monta “comitê eleitoral” em Imperatriz visando 2018…

    O senador Roberto Rocha (PSB) deve inaugurar em março um escritório na cidade de Imperatriz. Na última sexta-feira,13, assessores do socialista estiveram no município avaliando a estrutura. Apesar de atrasar constantemente os salários de seus funcionários na Rádio Capital e ser campeão de gastos no Congresso Nacional, o senador pelo visto não mediará esforços e nem recursos para se viabilizar ao Governo em 2018.

    Pesquisa divulgada recentemente em um jornal da cidade revelou que Roberto custou quase meio milhão de reais em 2016 aos cofres públicos, mesmo licenciado por três meses. Os valores se explicam por viagens, muitos “chopinhos e feijoadas” consumidas em praias e restaurantes como o mesmo revelou em constantes publicações nas redes sociais. Em um período de recessão onde a maioria dos senadores mantêm estruturas apenas em Brasília e nas capitais, o socialista pretende extrapolar ainda mais. Segundo informações do blogueiro Elson Araújo, o local contempla uma bela e ampla estrutura que abriga até auditório, localizada na Rua Barão do Rio Branco, esquina com a Coriolano Milhomem, centro de Imperatriz. Na verdade, “asa de avião” prepara um comitê eleitoral quase dois anos antes do pleito.

    A iniciativa é tentar ganhar alguma visibilidade na segunda maior cidade do Maranhão, onde ele vem alimentando fracassos seguidamente. O único aliado de RR em Imperatriz é o ficha suja Ildon Marques, derrotado nas eleições municipais no ano passado.

    O contrassenso ao novo projeto mirabolante de “asa” é que, ao mesmo tempo em que torra o dinheiro público, seus funcionários da Rádio Capital ficam na “lisura”, isso quando não há corte de energia no prédio por falta de pagamento.

    Mas esses assuntos Roberto Rocha não comenta nas redes sociais…

    18 de janeiro de 2017 às 8:24 | Por:

  • Política
  • Waldir Maranhão diz que concorrerá ao Senado em 2018

    O deputado federal Waldir Maranhão (PP) anunciou sua pretensão de disputar uma das duas vagas ao Senado pelo Maranhão nas eleições de 2018. O nome de Maranhão é o sétimo da lista dos pretendentes. Os deputado Zé Reinaldo (PSB), Eliziane Gama (PPS), Weverton Rocha (PDT) manifestaram os mesmos planos que Maranhão. O nome da ex-governadora Roseana Sarney também tem sido bafejado na disputa pelas duas vagas, bem como do suplente de senador Lobão Filho (PMDB) e o atual senador João Alberto (PMDB).

    “A minha disposição é essa: disputar o Senado. Vou tentar mostrar que sou viável na base”, afirmou Maranhão em entrevista à Agência Estado. Ele disse que espera compor a chapa do governador Flávio Dino (PCdoB) na renovação do mandato por mais quatro anos.

    Segundo o deputado o acerto com o governador foi feito ainda durante o processo de impeachment da presidente Dilma. Primeiro vice-presidente da Câmara, o deputado admitiu que cometeu um “equívoco” em pedir a anulação da sessão que aprovou o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT). O deputado defende a atitude do ponto de vista jurídica, mas reconhece que não resistiu à pressão política advinda da maioria da Casa.

    “Dei minha contribuição ao Parlamento, ainda que tenha cometido equívocos”, reconheceu Maranhão. Para o deputado o tempo vai mostrar que o país saiu da crise a partir do impeachment manifestado pelos integrantes da Casa. “Sou produto do povo, sobretudo, do povo mais pobre”, se auto define o deputado em busca de um perfil biográfico recorrente.

    17 de janeiro de 2017 às 18:23 | Por:

  • Política
  • Máfia da Sefaz: Policia cumpre mandados em imóveis de advogado conhecido como “o rei dos precatórios”

    Hoje pela manhã a Polícia cumpriu mandado de busca e apreensão em imóveis do advogado Jorge Arturo, conhecido como “rei dos precatórios” e suspeito de integrar a Máfia da Sefaz que desviou mais de R$ 400 milhões dos cofres públicos no Governo Roseana Sarney. A organização criminosa concedia compensações ilegais de débitos tributários com créditos tributários a empresas, causando prejuízo milionário.

    A operação aconteceu a pedido do Ministério Público do Maranhão, foram apreendidos computadores, documentos, joias, cheques e obras de arte no escritório, localizado no Renascença, e em dois imóveis residenciais, um no bairro do Olho D’Água e outro na Ponta D’Areia. O MPMA já havia realizado pedido de busca e apreensão contra Jorge Arturo, em novembro do ano passado, mas as investigações apontaram que, às vésperas do cumprimento da medida judicial, o acusado retirou todos os documentos dos imóveis dele. Segundo o promotor Paulo Roberto, Arturo era um dos principais operadores da organização criminosa, pois fazia o trabalho de agenciamento das empresas interessadas para que comprassem cotas de precatórios inexistentes para compensação.

    O apelido de “rei do precatório” não é por acaso, Jorge Arturo fazia o agenciamento das empresas interessadas para que comprassem cotas de precatórios ilegais e fantasmas para compensação junto à SEFAZ. Toda essa negociata lhe rendeu muito dinheiro e luxo patrocinado pelo dinheiro público.

    17 de janeiro de 2017 às 16:17 | Por:

  • Política
  • Ricardo Murad quer retornar à política via Coroatá

    Acusado de ter comandado o desvio de mais de R$ 2 bilhões do Fundo Estadual de Saúde do Maranhão, o ex-deputado estadual e ex-secretário de estado da Saúde, Ricardo Murad, planeja retornar à política pelo município de Coroatá. Murad foi alvo da Polícia Federal na Operação Sermão aos Peixes e segue investigado no desdobramento das investigações sobre desvio de dinheiro da saúde em contratações de empresas terceirizadas e até na compra de aeronave.

    Nesta segunda-feira, 16, o cunhado da ex-governadora Roseana Sarney formalizou a transferência do título eleitoral para o município que até 31 de dezembro foi dirigido pela mulher Tereza Murad, derrotada nas eleições de outubro de 2016.

    Acompanhado dos vereadores Junior Buhatem (PMDB), Professor Reginaldo (PSC) e Zé Branco (PSDC), o ex-deputado foi até o Fórum Eleitoral de Coroatá para obter o novo título eleitoral. A Câmara de Coroatá é formada por 15 vereadores, entre eles César Trovão, irmão da mulher de Ricardo, que não o acompanha politicamente.

    17 de janeiro de 2017 às 14:29 | Por:

  • Política
  • Sarney explica problemas do Brasil culpando ‘mentalidade centralista’ do País

    O ex-presidente José Sarney (PMDB) encontrou um argumento para explicar a crise no país e principalmente entre os Estados. Segundo o oligarca, o problema é que o Brasil é um “país centralista, que culpa a União por tudo”.

    A análise foi feita durante sua viagem para Portugal com o presidente Michel Temer (PMDB), na semana passada, na tentativa de consolar e tranquilizar o correlegionário diante da crise política vivida pelo governo do PMDB. Sarney quis dizer, entre outras palavras, que os governantes e a população cobram demais do presidente, mas não fazem sua parte.

    A frase é uma ironia diante da disputa travada entre Estados e União pela distribuição de recursos federais.

    17 de janeiro de 2017 às 11:57 | Por:

  • Política
  • Zé Reinaldo corre atrás do terreno perdido por vaga no Senado

    O deputado federal Zé Reinaldo (PSB) foi uma das figuras mais sorridentes com a eleição do novo presidente da Famem, Cleomar Tema. O parlamentar ficou entusiasmado com a vitória do aliado e trata a aclamação como um passo interessante para tentar garantir a vaga que resta na chapa de Flávio Dino para o Senado em 2018.

    Zé Reinaldo tem feito um mandato de deputado federal apagado, pouco participativo, seus discursos são raros e projetos de lei menos ainda. Para piorar a situação do ex-governador, ele perdeu a “áurea” de grande articulador ao ser atropelado por Roberto Rocha no PSB, tanto que já acusou a derrota e anunciou que deixará a legenda. A tendência seria uma filiação ao PSDB de Carlos Brandão, mas os tucanos já estarão com a vaga de vice e aí a majoritária poderá ser negociada com outro partido, portanto , o federal cogita agora o DEM. Para piorar sua situação, a família Coutinho perdeu em Caxias e Madeira em Imperatriz, dois de seus principais aliados.

    O socialista virou uma sombra de Weverton Rocha (PDT) e Eliziane Gama (PPS), outros dois postulantes as vagas de senadores governistas em 2018. O pedetista está garantindo. Já a irmãozinha caiu no conceito do Palácio dos Leões com o resultado pífio nas eleições municipais.Ficou com a imagem de “boa de voto” arranhada, porém tem o PPS local na mão com um dos maiores tempos de televisão, o que não deixa de ser um ótimo argumento.

    Vendo os concorrentes ganhando destaque, Zé Reinaldo tem buscado retomar a articulação com prefeitos e antigos amigos e buscado uma reaproximação com Flávio Dino que andava esfriada. O deputado tem habilidade política, mas a imagem arranhada da velha política, como outros da sua turma tal qual Roseana, Castelo, Cafeteira, Sarney, Lobão e João Alberto.

    Apesar desse aparente ostracismo, o ex-governador é um cara inteligente e sabe que a eleição começa muito antes do período eleitoral. Caso queira realmente conseguir a sonhada vaga no Senado, precisa correr atrás do prejuízo porque os adversários já estão bem adiantados.

    17 de janeiro de 2017 às 9:17 | Por:

  • Geral
  • Paralisação dos rodoviários deve começar nesta sexta -feira

    O Sindicato do Rodoviários irá notificar hoje, 17, as empresas de transporte sobre a paralisação da categoria que terá início na próxima sexta-feira, 20. A decisão foi tomada depois que a patronal não respondeu a uma pauta de reinvindicações enviada pela categoria.

    Na sexta-feira passada, os rodoviários anunciaram “estado de greve”, devido a uma série de acordos não cumpridos pelos empresários, entre eles: reivindicação do pagamento de salários e planos de saúde em dia, melhoria da estrutura física dos pontos finais de ônibus e o cumprimento da Convenção Coletiva de Trabalho.

    Os rodoviários deram um prazo até às 18h de segunda-feira, 16, para que houvesse uma resposta. O Sindicato das Empresas de Transporte (SET) não se manifestou e os trabalhadores decidiram pela paralisação.

    Ainda é possível que o movimento paredista seja evitado, caso o SET decida atender as exigências dos rodoviários.

    17 de janeiro de 2017 às 8:20 | Por:

  • Política
  • O passo em falso de Irlahy

    A eleição para a nova direção da FAMEM expôs a prefeita de Rosário, Irlahy Moraes, a uma derrota política acachapante, dessas que entram para a biografia negativamente. A prefeita confiou numa ilusão: a suposta força do PMDB e do apadrinhamento do senador João Alberto e da ex-governadora Roseana Sarney.

    Antes mesmo de ter sua chapa indeferida pela Comissão Eleioral, Irlahy passou pelo vexame de ver vários prefeitos se retirarem; e até, mais grave, viu aparecerem denúncias de que assinaturas de membros da chapa eram falsificadas.

    Não adiantaram os apelos de João Alberto e Roseana Sarney para tentar montar a chapa de Irlahy. A articulação política da candidatura do prefeito Tema Cunha mostrou-se eficaz, habilidosa e agregadora, tendo como eixo principal a identidade com as lideranças do presidente da Assembléia, Humberto Coutinho, e do governador Flávio Dino. Relevante também a movimentação nos bastidores dos presidentes do PDT, deputado Weverton Rocha, e do PCdoB, secretário Márcio Jerry.

    Como derrota não tem sócio, João Alberto e Roseana Sarney trataram logo de tentar apagar as digitais na operação destrambelhada deixando para Irlaih o ônus solitário da derrapada. Lições a serem colhidas pela prefeita e por outros políticos do Maranhão que apostam em vôo solo.

    Jornal Pequeno

    16 de janeiro de 2017 às 23:49 | Por: