Michel Temer baixa as calças pro PSDB

Sabedor que os tucanos vão aplicar o golpe no golpe em 2017 – quando restará a eleição indireta para presidente -, Michel Temer indica que prefere antecipar o problema e colocar o PSDB já no comando do governo. Viraria uma rainha da Inglaterra, mas não desceria do salto. Tenta colocar Imbassahy no lugar de Geddel, criando uma super secretaria, como foi a de José Dirceu. Mas o Centrão, criado e fortalecido por Cunha, não aceita.

Como nem sempre o que se quer está na superfície, pode ser jogo de cena. O Centrão gosta é de cargos, boquinhas, miudezas. A Secretaria de Governo ou a Casa Civil é quem faz isso. Nomeia todo mundo. Os olhos dos deputados medíocres brilham.

Os tucanos querem é voltar ao poder, ao Planalto. Farão bico, derramarão lágrimas de crocodilo, se dirão injustiçados. Mas aceitam entregar a Casa Civil em nome da governabilidade, em demonstração de unidade para superar as dificuldades do país. E aceitarão ficar com a Fazenda. Ministério sem muitos cargos, boquinhas, miudezas.

E depois de perder nas urnas, voltam ao comando do país. E farão outro plano econômico com prazo de validade até outubro de 2018. E poderão eleger um novo FHC. Sob os holofotes da grande mídia – o maior dos tucanos – voltará o projeto de entrega do país ao grande capital.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *