Cafeteira revela que opositores só não estão com Flávio porque ele não quer

A sessão desta terça-feira (18) foi marcada por um debate ríspido entre o líder do governo, Rogério Cafeteira (PSB) e o deputado de oposição, Adriano Sarney (PV). Os dois discutiam a citação do governador Flávio Dino em delação da operação Lava Jato.

O deputado Adriano Sarney, ainda na semana passada, acusou o Cafeteira de ser “beija mão” de todos os governos. O embate continuou nas redes sociais e em notinhas de jornal. Adriano voltou a falar da posição camaleônica de Rogério que lembrou que foi o grupo do presidente que sempre “beijou a mão” de ditadura militar a democracia, de tucanos a petistas.

O socialista fez uma revelação ainda sobre os oposicionistas. “Sobre beijar mão de governo. Beijar mão de governo quem conhece muito é V.Exa. [Adriano Sarney], porque beijaram de todos, todos os presidentes da República e de todos os governadores e não estão beijando agora porque o Governador Flávio Dino não quer. Porque se quisesse, vocês estavam lá”.

O discurso de Cafeteira vai ao encontro do que já é comentado nos bastidores desde o primeiro ano do governo Flávio Dino. Mesmo os políticos mais sarneystas, inclusive com ligação familiar tentam aproximação com o governador Flávio Dino, que recusa a aliança.

O comentário no meio é que o ministro Sarney Filho mandou vários recados por uma aliança com Flávio, querendo ser candidato a Senador na chapa do comunista, por mais esdrúxula que a aliança pareça. Também existe relato de tentativa de aproximação de Edilázio Júnior por várias vezes. Somente quando ficou claro que o governador não aceitaria, ele passou a exercer o papel de opositor ferrenho.

Fachin arquivou o processo e não determinou encaminhamento da citação de Flávio ao STJ

Relator da Lava Jato apenas autorizou PGR a utilizar documentos das citações de Flávio em possível Ação no STJ e encerrou o caso no Supremo.

Diferente do que foi noticiado pela imprensa nacional, o ministro relator da Lava Jato, Edison Fachin, não encaminhou investigação sobre as citações de Flávio Dino em delação premiada para o Superior Tribunal de Justiça (STJ), mas determinou o arquivamento da citação. Até porque os únicos pedidos da Procuradoria Geral da República diziam respeito à quebra do sigilo e que autorize a possivelmente entrar com ação no STJ.

Do jeito que foi colocado que o ministro Fachin encaminhou as investigações de nove governadores mencionados para o STJ, dá a entender que o relator da Lava Jato tenha oferecido juízo de valor entendendo a necessidade de julgamento dos citados.

Mas o despacho apenas quebra o sigilo e dá autorização para que a PGR utilize as delações caso queira acionar o STJ para investigar. Fachin deixa claro que sua deliberação não tem relação com a questão de competência do STF para investigação de governadores, e que, inclusive, a investigação ou não pode ser reavaliada na instância própria. “Registro que a presente deliberação não importa em definição de competência, a qual poderá ser reavaliada nas instâncias próprias. Atendidas as providências, arquive-se”, afirmou Fachin no despacho.

Agora, cabe à PGR acionar ou não o STJ e ao tribunal abrir ou não investigação. A história de Edison Fachin com o caso acabou.

Pesquisa: Flávio Dino lidera com 33 pontos de vantagem

Foi divulgada pesquisa realizada pelo instituto Exata sobre as intenções de voto para o governo do Estado em 2018. É a primeira pesquisa de um instituto com tradição em pesquisas no Maranhão. O levantamento apontou vitória do governador Flávio Dino (PCdoB) ainda no primeiro turno em uma eventual disputa com Roseana Sarney (PMDB).

Flávio Dino marcou 59 pontos percentuais, contra apenas 26% de Roseana. Nulos/brancos marcou 10% e 5% disseram não saber ou não responderam.

A consulta também mostrou a dificuldade da ex-governadora em mudar esse quadro, porque 47% (rejeição) disseram que não votariam nela de jeito nenhum, quase o dobro do número de votos que ela recebeu dos entrevistados.

Foram ouvidas entre os dias 23 e 26 de março 1400 pessoas em 40 municípios do Maranhão.

Os exageros que descredibilizam os ataques da oposição

Clã inventa até delação que não existe para aumentar artilharia contra Flávio Dino

A oposição sarneysista segue em polvorosa com a citação do governador Flávio Dino na delação do ex-executivo da Odebrecht, José de Carvalho Filho. A abertura de inquérito para investigar possível recebimento de dinheiro por facilitação na aprovação de projeto que beneficiasse a empreiteira virou uma espécie de luz no fim do túnel para os oligarcas, e a exploração sem freios nem medidas da situação é a principal e desesperada estratégia dos meios de comunicação ligados à família.

A repercussão da controversa delação do ex-executivo da Odebrecht exigiu dos asseclas da oligarquia um verdadeiro contorcionismo jornalístico para explorar pequenos trechos que nada dizem. No afã de macular a imagem do governador e sem mais munição para tal, eles agora começam a inventar fatos a respeito das delações, inclusive envolvendo executivos que não citaram em momento algum o nome de Flávio Dino.

A nova estratégia, que passou da forçação para a invenção, demonstra o desespero de tentar transformar em réu quem ainda não começou nem a ser julgado. A oposição sabe que a única forma de diminuir a alta popularidade do governador Flávio Dino é colocá-lo na mesma lama que estão Sarney, Lobão e outros nomes que dominaram o Maranhão nos últimos 50 anos.

O problema, nesse caso, é que a oposição oligárquica começou a pesar tanto a mão que a já baixa credibilidade deles diminui cada vez mais. E ainda ratifica o que as frágeis acusações também demonstram: o inquérito tem tudo para ser arquivado.

Humberto Coutinho sobre Flávio: “homem de vida limpa, digna e honrada”

Vários deputados federais, estaduais, prefeitos, incluindo o presidente da Famem se solidarizaram com o governador Flávio Dino e mostraram confiança no gestor estadual após a estranha citação do governador por um delator. A citação é recheada de contradições.

O presidente da Assembleia Legislativa, Humberto Coutinho, também manifestou sua confiança na honestidade de Dino. Coutinho afirmou por meio de nota que a inocência do governador será provada no devido curso do processo legal.

NOTA DE ESCLARECIMENTO 

O presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão, deputado Humberto Coutinho, vem a público manifestar sua irrestrita solidariedade ao amigo e governador Flávio Dino, acreditando que as acusações contra ele são falsas e que no curso do devido processo legal será provada a absoluta inocência de Flávio, homem de vida limpa, digna e honrada.

                              Deputado Humberto Coutinho

                  presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão

Flávio Dino é acusado por projeto que nunca mexeu. Como recebeu propina sem entregar o produto?

Flávio Dino deputado: projeto do qual é acusado não recebeu uma linha favorável sua. Por que a Odebrecht pagaria sem receber o produto?

Segundo o Blog Jota.Info, a citação de Flávio Dino nas delações da Odebrecht diz respeito a um projeto que tramita na Câmara dos deputados que daria segurança a investimentos da empreiteira e possível pedido de doação de R$ 400 mil para a campanha de Flávio Dino ao governo do Maranhão em 2010.

O Blog verificou a prestação de contas de 2010 da campanha de Flávio Dino e não houve nenhuma doação da Odebrecht na eleição daquele ano. Nem há indícios de delação disfarçada porque a maior doação de R$ 250 mil. Não existe doação de R$ 400 mil.

O projeto referido na delação não é de autoria de Flávio Dino, mas de outros 32 deputados, dos quais Dino não está incluso. O projeto de 2007 garantia que investimentos em Cuba mereciam proteção legal contra os Estados Unidos.

Flávio Dino foi designado relator do projeto na época, mas era contrário ao texto. E pior, o projeto jamais foi mexido. O então deputado Flávio Dino não deu parecer, nem um voto, não escreveu uma linha sobre o projeto, que está parado há 10 anos.

Ora, se Flávio não “entregou o produto” que teria sido o acordo com a Odebrecht, como teria recebido propina da empreiteira?

A delação não faz nenhum sentido.

Flávio Dino visita Lula e fala sobre caminhos para país sair da crise

O governador do Maranhão defende união da esquerda em torno de um objetivo: em tempos de crise, priorizar os serviços públicos e o acesso a direitos

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), esteve nesta sexta-feira (31) na sede do Instituto Lula, em São Paulo, onde se reuniu com o ex-presidente e conversou sobre temas ligados à crise institucional por que passa o país e quais as soluções a buscar para deixar a retração sem penalizar aqueles em situação econômica mais precária.

 “Vim para falar e ouvir do ex-presidente Lula sobre formas para retomar a trajetória de desenvolvimento com justiça social. No quadro atual, de crise profunda das instituições, é preciso buscar uma solução que seja positiva para a maioria do povo. Precisamos retomar a ideia de que o Brasil não é programado para o fracasso”, explicou o governador.

Dino e Lula falaram também de um ponto de vista que têm em comum, sobre o que é prioridade atualmente dentro do fazer político de esquerda. “O fundamental é garantir que os poucos recursos públicos disponíveis em uma conjuntura de crise sejam aplicados na direção correta, priorizando os serviços públicos e o acesso a direitos. Este deve ser o núcleo programático da esquerda no Brasil, reabrir a porta aos direitos. àqueles que mais precisam.”

O governador exemplificou como a teoria se transforma em prática em sua administração no Maranhão. Hoje, o salário inicial de um professor da rede pública do Estado é de R$ 5,3 mil (regime de 40 horas semanais), o maior valor do Nordeste e um dos maiores do país. Em tempos de crise que deterioram e reduzem o raio de ação do serviço público, o Maranhão tem caminhado na rota oposta. “Temos conseguido manter os serviços públicos funcionando e aprimorando a sua qualidade, ainda que ampliando as ações. Ao mesmo tempo que já reformamos 547 escolas, construímos mais de 200 unidades novas. Estamos caminhando na direção do verdadeiro desenvolvimento, que tem que ser inclusivo”.

Flávio e Edivaldo na Câmara: Plano Diretor, prolongamento da Litorânea e Mais Asfalto na pauta

Pela primeira vez na história a Câmara Municipal de São Luís recebe para discutir os problemas da cidade o governador do estado e o prefeito da cidade juntos. E o evento, claro, foi muito prestigiado. Apenas o vereador Sá Marques não esteve presente, pois não está em São Luís. Os demais, até os vereadores de oposição, estiveram no evento.

O governador Flávio Dino enalteceu o diálogo com o parlamento municipal e elencou os principais temas que puderam ser discutidos. “Um debate proveitoso com o vereadores da capital de todos os maranhenses. A Câmara Municipal é o local legítimo dos debates da cidade. O presidente Astro fez este convite e foi muito proveitoso este momento. Eu pude apresentar algumas prioridades atinentes à ilha de São Luís. Tratei do Plano Diretor que é muito importante para a expansão do Porto do Itaqui, anunciei a licitação do prolongamento da Litorânea que vai até o Olho d’Água, tratamos da estruturação da região metropolitana e da continuidade do programa Mais Asfalto. De modo que foi um debate respeitoso sobre as situações que demandam a situação de São Luís. Foi um momento de aprimoramento das ações do nosso governo na cidade de São Luís”, disse o chefe do Executivo estadual.

O prefeito Edivaldo, que neste final de semana participou da Convenção Nacional do PDT com destaca liderança, ratificou esta liderança com o diálogo compartilhado com governo do estado e poder legislativo municipal. “Nesta Casa que iniciei minha vida política. É muito gratificante poder fazer esta conversa com todos os vereadores. Esta visita organizada pelo nosso presidente Astro de Ogum foi muito simbólica. Poder conversar com os vereadores, ouvir o nosso governador que explanou sobre o Porto, sobre o Plano Diretor, discussões importantes sobre a cidade de São Luís que foram tratadas nesta manhã e pudemos estreitar os laços e avançar na discussão para mais ações”.

O presidente Astro de Ogum se mostrou muito satisfeito com o avanço do evento. “Bastante positivo. Os governos estadual e municipal tratando das ações em São Luís na Casa do Povo. A questão do Plano Diretor e todas as questões pertinentes à nossa população”. Na oportunidade, o presidente inaugurou o sistema de votação eletrônica da Câmara Municipal.

O deputado federal Weverton Rocha destacou a unidade entre os poderes e o republicanismo com que as autoridades dialogaram para encontrar as soluções para os problemas da cidade. “É um momento em que todos têm que sentar à mesa. A metropolização é um tema muito importante e a vinda do governador à Câmara simboliza um novo momento de diálogo, em que a gente começa a ver na prática as parcerias que já acontecem e que vão ser mais efetivadas a partir de agora. Estão de parabéns os vereadores, o governador Flávio Dino e o prefeito Edivaldo que estão tendo esta maturidade e isto que São Luís sempre quis ver. Todos sentados à mesa para discutir os problemas e encontrar soluções”.

O vereador Pavão Filho, líder do governo na Câmara, enfatizou o ineditismo do evento, reunindo poderes executivo estadual, executivo municipal e legislativo municipal para que se encontrem soluções para os problemas da capital, que consequentemente, atingem todo estado. “A Câmara Municipal de São Luís vai completar 400 anos em 2019 e pela primeira vez recebe o governador do Estado e o prefeito de São Luís de mãos dadas com os vereadores que representam hoje mais de 1,07 milhão de habitantes. A capital recebe maranhenses de todos os 216 municípios do Maranhão. Não poderia ser diferente essa conjugação de esforços independente de ideologia, de partido. O governador Flávio Dino e o prefeito Edivaldo Holanda Júnior estão de parabéns”.

Até o vereador Estevâo Aragão, que faz oposição a Flávio e Edivaldo, reconheceu o gesto para aprimoramento da parceria. “É muito simbólica a aproximação do governo do estado com a cidade de São Luís, que é a cidade mais importante do estado. Os vereadores são os políticos que têm o contato direto com a população e é importante que o governador venha sentir de perto as demandas. Esperamos que estes três poderes, executivo estadual, executivo municipal e legislativo municipal conjuguem esforços para a solução para os problemas da cidade”, avaliou.

Flávio Dino discute com líderes boicote de parte da base na votação da MP 230

Líderes reuniram com governador para discutir boicote de parte a base, que pressiona por benesses

O governador Flávio Dino teve um almoço com os líderes no dia seguinte à aprovação da Medida provisória 230 que reajusta o salário dos professores da rede estadual. Na noite da votação, Flávio recebeu no Palácio o presidente da Assembleia Legislativa, Humberto Coutinho (PDT) e agradeceu pela condução dos trabalhos. No dia seguinte, houve o almoço com Humberto, Othelino Neto (PCdoB), Rogério Cafeteira (PSB) e Rafael Leitoa (PDT).

Apenas 22 deputados da base estavam no plenário para aprovar a matéria, que por mais incrível que pareça, foi aprovada por unanimidade com votos a oposição. Ou seja, lógico que a medida não é ruim. Diferente do que publicou o jornal O Estado do Maranhão, a reunião não tratou de impacto negativo da MP 230, já que esta negatividade se resume a um esforço hercúleo dos veículos de comunicação do Clã Sarney.

A principal pauta foi o fato de deputados da base aproveitarem uma medida importante para chantagear o governo pela liberação de emendas e outras benefícios políticos. A primeira pergunta do governador foi logo sobre o porquê da saída do plenário da deputada Valéria Macedo (PDT). A pedetista estava no plenário, e saiu. Neste momento, o governo tinha somente 21 deputados e Leo Cunha (PSC) apareceu na última hora completando os 22 necessários.

Outros deputados também foram citados com estranheza pela chantagem: Zé Inácio (PT), Vinícius Louro (PR) entre outros. Flávio não ficou nada satisfeito com o comportamento.

Flávio Dino recebe Augusto Lobato e demonstra tendência de apoio na eleição do PT

O candidato à presidência do PT estadual pela chapa “PT pela Mudança”, Augusto Lobato, foi recebido em audiência pelo governador Flávio Dino no Palácio dos Leões.

Lobato afirmou que sua candidatura decorre de um amplo movimento de mobilização partidária, articulação com os movimentos sociais e fortalecimento da base do governo. Ele demonstra assim que sob seu comando, o PT certamente será um aliado fiel do governador Flávio Dino.

O governador Flávio Dino desejou uma campanha vitoriosa para Lobato. Mas o governador não deva oficializar apoio, já que o deputado Zé Inácio, que também concorre à presidência do partido, também é seu aliado.

Apesar disto, a recepção de Flávio demonstra a tendência de simpatia pela chapa de Lobato.