PF desarticula quadrilha que embaraçava investigações no MA; quatro presos

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta terça-feira (21) a Operação Turing, com o objetivo de desarticular uma organização criminosa composta por servidores públicos e particulares que causavam embaraço a investigações da PF no estado. Quatro pessoas foram presas, entre elas, blogueiros.

Aproximadamente 80 policiais federais estão cumprindo 23 mandados judiciais, sendo 4 de prisão temporária, 4 de condução coercitiva e 15 de busca e apreensão, em residências e locais de trabalho dos investigados. As ordens judiciais foram expedidas pela 2ª Vara da Justiça Federal de São Luís.

A investigação, iniciada em 2015, revelou que um policial federal revelava antecipadamente fatos sob sigilo de Justiça a blogueiros. Estes, por sua vez, ameaçavam funcionários públicos e empresários e pediam valores em troca da não divulgação na mídia local dos fatos descobertos em desfavor deles.

Os investigados aproveitavam também a oportunidade para fugirem ou destruírem provas. Em troca, o servidor público era agraciado com publicações na imprensa em seu favor, permitindo sua inserção em cargos de confiança do Estado. Ele chegou a assumir a função de Secretário Adjunto da Administração, Logística e Inovação Penitenciária.

A PF apura, ainda, possíveis frustrações do caráter competitivo de licitações do sistema prisional, bem como eventuais desvios na execução de verbas públicas.

O nome da operação é uma referência a Alan Turing, um cientista e matemático britânico responsável pelo desenvolvimento de uma máquina utilizada durante a Segunda Guerra Mundial, capaz de interceptar e decodificar dados criptografados transmitidos pela máquina Enigma.

Audiência do Caso Mariana termina sem depoimento de Lucas Porto

Lucas Porto (de laranja) durante a audiência

Do MA10, com edição – Terminou nesta quinta-feira (16) a primeira audiência de instrução de processo referente ao assassinato da publicitária Mariana Menezes de Araújo Costa, de 33 anos, morta em novembro do ano passado. O crime ganhou notoriedade e repercussão, tendo como principal suspeito o cunhado da vítima, Lucas Leite Ribeiro Porto, de 33 anos, que permanece preso. Lucas chegou a  confessar a autoria do delito. Uma nova audiência de instrução foi marcada para 18 de maio deste ano, devido a alguns percalços desta audiência.

Ontem à tarde, foram ouvidas as testemunhas de acusação e testemunhas de defesa, incluindo o o médico psiquiatra, doutor Geraldo Melônio, que cuidou de Lucas Porto na infância. Após as testemunhas de defesa, o próprio Lucas daria depoimento, mas ele não foi ouvido ainda, por problemas com algumas testemunhas.

Além de uma delas não comparecer à audiência e não ter sido localizada, duas darão depoimento através de carta precatória, procedimento adequado para a situação, já que elas não residem em São Luís.

Carolina, companheira do Lucas, foi ouvida e inclusive confirmou que ele já tinha cometido alguns crimes, como roubo e estelionato.

O viúvo de Mariana, José Marcus Renato, afirmou a ausência dela é grande e que espera que a justiça seja feita. mas que ele está criando as filhas deles de acordo com os próprios princípios da companheira. Ele também afirmou que espera que a justiça seja feita, e que os 40 minutos que a Mariana sofreu no momento, que o Lucas Porto sofra pelos próximos 40 anos.

As provas serão produzidas durante a audiência, onde acontecerá a oitiva das testemunhas e as alegações finais.

O promotor de Justiça, Gilberto Câmara França Júnior, da 28ª Promotoria de Justiça Criminal de São Luís, protocolou a denúncia contra Lucas Porto, por crimes de estupro e homicídio qualificado contra Mariana. A pena pode chegar a 60 anos de reclusão.

A audiência de instrução não tem horário para terminar.

Ex-auxiliar de Roseana depõe sobre envolvimento com Buchecha

Colete à prova de balas de Francalanci estava com o envolvido no caso Décio Sá

O leitor deve lembrar de Fábio Aurélio do Lago e Silva, o Buchecha, um dos acusados de envolvimento na morte do jornalista Décio Sá. Neste momento, está depondo na Delegacia de roubos e furtos o ex-sub-chefe da Casa Militar no governo Roseana Sarney, Coronel Reinaldo Elias Francalanci pelo envolvimento com Buchecha.

Buchecha, que já estava respondendo em liberdade sobre o caso Décio, foi preso ontem (15) por roubo de carro e solto após pagar a fiança. Com Buchecha, foi apreendida uma caminhonete Hilux SW4, de cor branca. E onde entra Coronel Francalanci? Com Buchecha foi encontrado um colete de uso exclusivo da PM, que pertence justamente ao Coronel.

Por isso o policial está sendo ouvido para saber como seu colete foi parar com o homem envolvido em tantas broncas.

Buchecha foi preso com Hilux roubada

Ações de combate a assaltos a bancos reforçadas no Maranhão

Os investimentos em ações estratégicas, a convocação de novos policiais e o treinamento de grupos específicos dentro da corporação da Polícia, resultaram em 237 prisões de suspeitos de assaltarem bancos no Maranhão em 2016. O número representa 63% a mais do que foi realizado pela polícia em 2015, quando 149 criminosos foram identificados e presos. Já os números de explosões de caixas eletrônicos no interior do estado, reduziu em 18% em 2016, se comparado com o ano de 2015.

“Além de qualificar a tropa para atuar de frente contra este tipo de criminoso que assalta bancos e explodem caixas eletrônicos, o Governo do Maranhão têm investido na compra de novos equipamentos, a exemplo das munições especiais que foram adquiridas e a compra de mais 300 novas viaturas que foram incorporadas em 2016. Com a integração das Polícias e os investimentos nossa intervenção policial tem alcançado bons resultados e continuaremos a intensificar a força tarefa para a identificação e captura dos praticantes de roubos”, pontuou o secretário de Estado da Segurança Pública, Jefferson Portela.

“Foi, e, tem sido, um grande investimento do Governo no que se refere à polícia. Desde o ano passado houve um primeiro investimento em relação ao Departamento de Roubo a Banco, localizado na Superintendência de Investigações Criminais (Seic), onde só se investiga casos ocorridos em instituições bancárias. Com o investimento do atual governo, passamos a ter, neste departamento, de um delegado para dois delegados, de um escrivão para dois escrivães e de três investigadores para 12 investigadores”, explicou o delegado e coordenador da Seic, Tiago Bardal ao falar sobre os resultados positivos.

O delegado ressalta, ainda, que assim que o governador Flávio Dino assumiu a gestão, todos os investigadores passaram por treinamento, encontros em Brasília, na Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp), onde participaram com delegados de todo o Brasil, especializados em investigar roubos.

No primeiro mês de 2017, nenhuma explosão a caixas eletrônicos foi registrada. A integração do departamento de roubo a bancos do Maranhão com outros estados, pois, de acordo com o delegado Tiago Bardal, a maioria das quadrilhas que agem em bancos são interestaduais. “Roubam no Maranhão, fogem para o Pará, roubam no Pará e fogem para o Maranhão. Eles fazem um revezamento nos estados vizinhos. Às vezes o que acontecia era que a mesma quadrilha que nós estávamos investigando, o Pará também estava. Nós tínhamos algumas informações que o Pará não tinha e vice-versa. Então, com a integração que há, hoje, entre o Maranhão, o Pará, o Piauí, o Tocantins e a Bahia, está tendo essa resposta rápida. Com base nas informações, sabendo o tipo de armamento e o modus operandi desses criminosos”, explicou o delegado e coordenador da Seic, Tiago Bardal.

Grupamento Especial

Estrategicamente, no intuito de reforçar as ações de combate ao crime organizado no interior do estado, duas equipes, com mais de 60 homens foram treinados e especializados pelo Curso de Operações de Sobrevivência em Área Rural (Cosar) e atuam nas regiões de Presidente Dutra e Bacabal. Estes policiais foram formados e integram o Comando de Operações de Sobrevivência. Eles possuem habilidades para atuar no campo de inteligência e no combate a assaltos à instituição financeira, além de policiamento ostensivo e incursões com abordagens nas rodovias maranhenses.

Com o treinamento dos homens do Cosar, em 2016, foram realizadas a apreensão de mais de 80 armas de fogo e recuperação de R$ 85 mil. Foram mais de 4 mil abordagens durante o ano.

Jovem cai de prédio abandonado na Cohama e morre; família fala em homicídio

A jovem Rafaella Cristina, de 18 anos, morreu após do cair do último andar do prédio abandonado próximo à rotatória da Cohama. O local é geralmente utilizado para treinos do Corpo de Bombeiros e rapel. O prédio abandonado pertence à operadora OI.

Existem relatos de que a jovem poderia estar acompanhada por um grupo de outros jovens onde ocorrido consumo de bebidas e drogas.

A família de Rafaella registrou ocorrência na delegacia de Homicídios. Pelos vídeos e fotos que circularam da jovem morta , fica claro que existiam pessoas no local no momento da morte.

Em entrevista à TV Mirante, o pai de Rafaella, Francisco Santos, descartou suicídio. “O delegado está investigando. Eu creio que a minha filha não se jogou até porque ela caiu de costa. Tem nas fraturas que ela caiu de costa”, afirmou.

PF cumpre quatro mandatos de prisão em operação contra crimes previdenciários no MA

Uma operação da Polícia Federal (PF) em conjunto com o Ministério Público Federal (MPF) e Previdência Social, deflagrou na manhã desta quinta-feira (2), nas cidades de São Luís, São José de Ribamar, Paço do Lumiar e Godofredo Viana a operação “Vetores”. A operação policial tem o intuito de reprimir crimes previdenciários no estado do Maranhão.

As investigações, iniciadas no ano de 2012, levaram à identificação de um esquema criminoso responsável pela inserção extemporânea de vínculos trabalhistas fictícios no Cadastro Nacional de Informações Sociais (CNIS), sendo transmitidos através de Guias de Recolhimento do FGTS e Informações à Previdência Social (GFIP) irregulares, servindo de base para a concessão de benefícios previdenciários fraudulentos.

O esquema criminoso contava com a participação de sócios, administradores e contadores das seguintes empresas transmissoras de GFIP: Hallc Construções e Serviços, Roberto S. Guterres Comércio e Manutenção Eletromecânica e Recursos Humanos e Serviços (RHS).

A PF cumpriu 18 mandados judiciais, sendo quatro de prisão temporária, quatro de condução coercitiva e 10 de busca e apreensão. A operação contou com a participação de 40 policiais federais e de um servidor da área de inteligência da Previdência Social, a Assessoria de Pesquisa Estratégica e Gerenciamento de Riscos (APEGR).

O prejuízo inicialmente identificado com a concessão de 22 benefícios fraudulentos aproxima-se de R$ 1,35 milhões. O valor do prejuízo evitado com a consequente suspensão desses benefícios, levando-se em consideração a expectativa de sobrevida média da população brasileira, é de aproximadamente R$ 28 milhões.

Os envolvidos foram indiciados pelos crimes de estelionato previdenciário, falsificação de documento público, falsidade ideológica e associação criminosa, cujas penas máximas acumuladas podem chegar a 20 anos de prisão.

Operação Vetores

O nome da operação é uma alusão à terminologia médica da área de epidemiologia, que tem como significado o ser vivo capaz de transmitir um agente infectante, em uma referência aos responsáveis pela transmissão de vínculos empregatícios irregulares.

Governador entrega Academia Integrada de Segurança Pública (AISP) e nova estrutura do 6º BPM

O governador Flávio Dino e o secretário de Estado da Segurança Pública, Jefferson Portela, participaram de uma maratona de inaugurações na manhã desta quarta-feira (28). Foram duas entregas importantes para as polícias militar e civil.

A primeira aconteceu no bairro da Cidade Olímpica, onde já está funcionando a 3ª Companhia do 6º Batalhão de Polícia Militar. A nova estrutura fica responsável pelo policiamento motorizado preventivo da maior área de cobertura de um batalhão, abrangendo 66 (sessenta e seis) bairros, de um total de 85 (oitenta e cinco) de toda área da circunscrição do 6ª BPM.

Na solenidade de inauguração da nova estrutura, o soldado da Polícia Militar, Fredson de Jesus Mendes, foi homenageado, dando nome ao auditório da companhia. O soldado Fredson de Jesus, que era integrante da equipe do 6º BPM, foi morto durante assalto em outubro de 2014.

 

Academia de Polícia Civil

Da Cidade Olímpica, o governador e sua comitiva se deslocaram para a Academia Integrada de Segurança Pública (AISP), completamente reformada, reestruturada e ampliada. Flávio Dino e Jeferson Portela estavam acompanhados pelo delegado geral da Polícia Civil, Lawrence Melo, onde inauguraram as novas instalações.

De acordo com o governador Flávio Dino estas são mais algumas medidas que demonstram o compromisso do Governo do Maranhão com a temática Segurança Pública. “É um dia de importantes inaugurações na Segurança Pública. Continuamos a investir forte na área. Além de melhor a infraestrutura dos prédios da Polícia Militar, das delegacias, fizemos aquisição de novas viaturas, que já estão reforçando o trabalho preventivo e ostensivo das nossas polícias, e esperamos, já para o ano que vem, mais policiais no reforço da segurança em nosso Estado”, destacou o governador Flávio Dino.

A nova unidade da AISP teve suas instalações ampliadas com a construção do prédio da guarita de vigilância, reforma do prédio administrativo e das salas de aulas, bem como adequação dos ambientes educacionais para contemplar as práticas pedagógicas específicas da técnica policial. Entre outros benefícios, a obra possibilitará o aumento da capacidade de atendimento de 350 para 550 alunos por curso.

Além dos cursos de formação e capacitação do policial civil que é missão da academia, são oferecidos cursos através de convênios com outras instituições como a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária e Senai. A Academia desenvolve, também, ações sociais na comunidade como cursos profissionalizantes e atividades esportivas por meio da escolinha de karatê Pacto Pela Paz.

Balanço das Operações Policiais Previdenciárias no Maranhão em 2016

A Força-Tarefa Previdenciária no Estado do Maranhão, integrada pela Polícia Federal, o Ministério Público Federal e a Previdência Social (APEGR), apresentou os números referentes às Operações Policiais Previdenciárias neste ano de 2016.
Foram deflagradas seis Operações Policiais: Operação Tânato (26/02), Operação Vínculos (19/04), Operação Intervenção (12/05), Operação Casa Cheia (24/05), Operação Vultos (19/07) e Operação Casa Cheia II (20/10).
Os esquemas criminosos desarticulados com a deflagração das operações envolviam diferentes modus operandi, abrangendo desde o saque de benefícios após o óbito dos titulares à criação de titulares fictícios para a concessão de benefícios previdenciários e assistenciais fraudulentos, principalmente das espécies Pensão por Morte e Amparo Social ao Idoso (LOAS Idoso).
Foram cumpridos ao todo 95 mandados judiciais, sendo 12 mandados de prisão temporária/preventiva, 24 mandados de condução coercitiva e 59 mandados de busca e apreensão, deferidos pela 1ª e 2ª Vara Criminal da Justiça Federal no Maranhão.
Além dessas medidas, a Justiça decretou o afastamento temporário de servidores públicos envolvidos nas fraudes e a proibição de frequentar as Agências da Previdência Social em que estão lotados.
O prejuízo total identificado é de aproximadamente R$ 9,7 milhões. Com o fim de recuperar os valores desviados, determinou-se o sequestro/arresto de bens móveis e imóveis no nome dos investigados assim como a suspensão imediata dos benefícios fraudulentos, o que representou uma economia de R$ 23 milhões aos cofres públicos.
O cálculo leva em consideração a expectativa de vida da população brasileira. Alguns dos esquemas criminosos desarticulados envolvia a manutenção de benefícios após o óbito dos titulares ou a concessão de benefícios para titulares fictícios, portanto, o prejuízo evitado é muito maior.
O resultado apresentado é consequência da priorização de investigações que envolvem associações e organizações criminosas especializadas em fraudes previdenciárias, cuja atuação acarreta graves prejuízos à Previdência Social, da utilização de ferramentas de inteligência em investigações previdenciárias, da decretação de medidas cautelares que visam a recuperação dos valores desviados dos cofres públicos e da atuação conjunta com outros órgãos parceiros, como o Instituto de Identificação do Estado do Maranhão.
O planejamento para 2017 inclui a intensificação de investigações de crimes previdenciários, especialmente de fraudes em outras espécies de benefícios e da atuação de associações/organizações criminosas no interior do Estado.

Natal com segurança e solidariedade

Veio da força policial do estado um dos maiores exemplos de solidariedade neste final de semana do Natal. Militares ajudaram uma menina que sofreu um acidente e teve um braço quebrado.

O fato ocorreu no parquinho da Lagoa da Jansen. As pessoas que estavam no local ligaram diversas vezes para o Samu e para o Corpo de Bombeiros, mas, devido a outras diversas ocorrências pela cidade, não foi possível nenhum carro atender no local. Quem prestou socorro foi uma viatura da Companhia de Policiamento de Turismo (CPTur), que passava pelo local.

No registro, um militar, identificado como soldado Max Muller, fez a condução da menina para a viatura, onde foi levada para o Hospital Djalma Marques, o Socorrão 1.

Mais um exemplo que parte de membros da Briosa Polícia Militar, mostrando que por baixo da farda existem homens sensíveis e solidários.

Ações do Cosar apreenderam mais de 80 armas de fogo e recuperaram R$ 85 mil em 2016

Os policiais integrantes do Comando de Operações e Sobrevivência em Área Rural (Cosar), encerram o ano de 2016 com saldo positivo em suas operações. Durante todo o ano, os 60 policiais militares que compõem o comando especial realizaram ações como a operação ‘Maranhão Seguro’, que, em conjunto com a Polícia Civil, operou barreiras e incursões, realizando todo tipo de abordagem, com o intuito de conter as ocorrências de assaltos a bancos, principalmente no interior do estado.

Em conjunto com a ‘Maranhão Seguro’, também foram realizadas operações na capital. A ‘Operação Vila Cutia’, por exemplo, aconteceu em conjunto com o 6° BPM para diminuir os índices de criminalidade nas áreas do São Raimundo e Vila Cutia, regiões conhecidas pela insegurança em anos anteriores. A operação conseguiu reduzir o número de homicídios nas áreas, realizando abordagens, cumprimento de mandados de prisão, mandado de busca e apreensão e verificação de documentos de veículos.

Outra operação exitosa realizada na capital foi a ‘Operação Coroadinho’, que ajudou a reduzir os índices de criminalidade no bairro do Coroadinho e regiões adjacentes, durante todo o ano de 2016.

“O Comando tem um rol de instruções muito diversificado, porém todos voltados com a finalidade de prevenir e capturar assaltantes. Claro que, uma vez que o Cosar está dando apoio para qualquer uma das polícias, pode atuar em qualquer ocorrência, assaltos, roubo de veículo, tráfico de droga, entre outras ações da atividade de um policial”, conta o comandante Geral da Polícia Militar do Maranhão, coronel José Frederico Pereira.

Um reflexo da boa atuação do Cosar no interior e na capital são as 4426 abordagens realizadas a pedestres, carros particulares, vans, táxis, motos, bicicletas e ônibus; as apreensões de 87 armas de fogo e 36 armas brancas; condução de 32 suspeitos, 21 Boletins de Ocorrências e a identificação e prisão dos acusados de envolvimentos nos assaltos a bancos realizados nas cidades de Icatu, Morros e Anajatuba. Durante incursões.

O Cosar ainda recuperou R$ 85.000 em dinheiro fruto de assalto a agências bancárias no interior do Estado.