8 PROVAS DE QUE A MINISSAIA JEANS É ATEMPORAL

Quase nunca nos lembramos de todo o significado que a minissaia, peça hoje tão banal, carrega. Criada na Londres da década de 60, durante um período de enorme efervescência cultural, a minissaia representou a quebra dos padrões e estereótipos impostos às mulheres, que até então eram constritas a usar somente saias midi. Popularizado pela estilista Mary Quant, a primeira a produzir e comercializar o modelo ultra ousado para os parâmetros da época, esse item icônico chocou a sociedade e funcionou como um dos símbolos do movimento feminista.

Além da sua imensa importância quanto à emancipação da mulher, a minissaia ainda surpreende por se manter viva e super atual dentro dos closets femininos de todo mundo, provando que é atemporal e à prova de quaisquer tendências. Abaixo separamos 8 provas de que, mesmo quase sete décadas depois, essa peça segue firme no rol de itens que não abrimos mão. Olha só:

Chiara FerragniFoto: Chiara Ferragni

Que tal bolar um hi-lo esperto unindo o material bruto que é o denim a peças metalizadas de pegada mais glam? O resultado é ultra cool!

Hailey BaldwinFoto: Hailey Baldwin

Na companhia de t-shirt oversized, argolas e aviador colorido a minissaia jeans ganha ares vintage. Invista sem medo na proposta!

saia jeans

 

Já é adepta da peça? Então aposte em um modelo diferente para renovar o arsenal, como esse super belo em patchwork.

saia jeansFoto: Sara Escudero

A versão com botões é cheia de charme e não precisa de nada além que uma t-shirt basiquinha para resultar em produção bacana.

saia jeans

 

Perceba como, apesar de ter surgido lá atrás, na década de 60, a saia jeans ainda consegue cumprir propostas super atuais e moderninhas.

saia jeans

 

Trio de cores facílimo pra você roubar já: rosa millenial + burgundy + denim. Ah, o slide de pelinhos só torna tudo mais interessante!

saia jeans

 

Produção estilosa em menos de 5 minutos? Vá de double denim, o duo infalível que é sempre eficaz.

Patricia ManfieldFoto: Patricia Manfield

 

As peças em nova camisaria, mais ousada e longe dos modelos tradicionais, casam superbem com a proposta despojada da saia jeans – o look de Patricia Manfield é prova disso!

Gostaram das dicas? Pega aquela minissaia que estava esquecida no guarda-roupa e seja feliz!

Dossiê do jeans: como usar as peças mais icônicas, dia e noite

Em calças, minissaias, camisas, jaquetas ou coletes, o jeans serve para todos os tipos de corpo e nunca sai da mira fashion

Desde o século 19, quando o empresário alemão radicado nos EUA Levi Strauss resolveu inventar um novo uso para quilos de tecido que estavam encalhados em seus depósitos na Califórnia, transformando em calças o que inicialmente seriam coberturas para carroças, o jeans está sempre na moda. Ao longo do tempo, passou a ser usado também na parte de cima do corpo e ganhou dezenas de lavagens e cortes.

Em modelos mais justos ou mais largos, mais curtos ou mais compridos, acessórios ou funcionais, ele acompanha o ritmo fashion e garante um espaço nas produções de todos os estilos, para todos os tipos de corpos.

Minissaia

 

Retinha e sequinha, ela voltou com tudo. Democrática, fica bem em todos os formatos de corpo e se adequa tanto a looks despojados – com camiseta e tênis – quanto a produções mais sofisticadas, com brilhos e saltos altos. Os modelos com botões frontais de alto a baixo são os mais confortáveis, pois ajudam a saia subir menos na hora de sentar.

Camisa

Camisa jeans (Foto: Arte Vogue Online)

Atende a todas: mais justa e com amarração na altura da cintura, é uma boa pedida para as magrinhas e também para quem queira simular uma cintura mais fina, independentemente do peso ou do formato do corpo; mais larguinha e solta, faz a alegria de quem quer esconder gordurinhas localizadas na região da barriga e da cintura. Combiná-la com acessórios com animal prints e grafismos dá um up no visual.

 

Calça com rasgos

Calça jeans rasgada (Foto: Arte Vogue Online)

 

O retorno dos anos 1990 na moda faz dela um must have. Os rasgos podem ser mais discretos ou exagerados, de acordo com o gosto de cada uma. As mais magras podem optar por modelos bem justos e com bolsos e botões espalhados pela peça, enquanto as mais cheinhas podem preferir modelos mais confortáveis e sem muitas interferências visuais e volumes, especialmente na região do quadril.

Calça com lavagem manchada

Jeans manchado (Foto: Arte Vogue Online)

 

Normalmente é mais escura nas laterais externas e internas e mais clara no centro da coxa. Uma ótima escolha para quem não tem intenção de disfarçar as formas e, de quebra, gostaria de passar a impressão de coxas mais grossas e um corpo voluptuoso. Mas se a ideia for parecer mais magra, esqueça esta lavagem.

Calça boyfriend

Jeans boyfriend (Foto: Arte Vogue Online)

 

A modelagem menos ajustada ao corpo ajuda a dar uma ilusão de mais volume, o que cai como uma luva para as magras e altas. As mais cheinhas também podem e devem usá-la, é claro, mas só devem tomar o cuidado de escolher uma peça no tamanho adequado, que não faça com que ela fique justa no corpo – isso desconfiguraria o modelo, afinal de contas.

Jaqueta

Jaqueta jeans (Foto: Arte Vogue Online)

 

Indispensável para as adeptas do street style, ela protege contra o vento sem esquentar muito e deixa o look super contemporâneo. O modelo em alta é largo tanto no corpo quanto nas mangas e acaba na altura dos quadris. Veste bem em mulheres de todos os formatos e pesos.

Colete

Colete jeans (Foto: Arte Vogue Online)

Sua principal função é dar um charme extra ao look. Fica legal sobre camisetas usadas com shorts ou calças e em quem tem a parte superior do corpo mais fina.

Quem aqui morre de amores por aquele velho e bom jeans?

Beeijos

Will 🙂