Motorista que matou 5 pessoas em acidente no Jaracaty aguarda nova cirurgia

Aguarda nova cirurgia em um hospital particular localizado no bairro Bequimão, em São Luís, o motorista Victor Yan Barros de Araújo, de 25 anos. Ele quem dirigia o veículo que capotou e matou cinco pessoas no Jaracaty. À época, Victor teria negado realizar o teste do bafômetro, mesmo apresentando sinais de embriaguez.

Após dar entrada na Emergência do Hospital São Domingos (USD), segundo a assessoria de comunicação da empresa, Victor Yan passou por cirurgia raquimedular ainda 1ª quinzena de setembro. “Atualmente necessita de nova cirurgia em outra área do corpo, estando aguardando os trâmites hospitalares/seguros do paciente”, diz nota.

Nesta sexta-feira (10), o promotor titular da 29a Criminal do Ministério Público do Maranhão, Agamenon Batista de Almeida, vai encaminhar um novo Ofício requerendo informações sobre a cirurgia que Victor Yan aguarda. Por telefone, o advogado de defesa disse que a transferência do suspeito para o Complexo Penitenciário pode acarretar danos à integridade física dele. No pedido de soltura, o advogado cita que Victor não oferece riscos ao decorrer da investigação.

Quatro pedidos de revogação da prisão já foram feitos pela defesa, dois foram negados pelo Tribunal de Justiça do Maranhão (TJMA) e pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ). Sobre a velocidade do veículo no momento do acidente, laudo do Instituto de Criminalística (ICRIM) indica que ele estava 92 a 107 km/h, quando o permitido na Avenida Carlos Cunha é de 60km/h. Victor Yan deve responder por homicídio doloso, por ter assumido o risco durante a condução do veículo, além de lesão corporal, podendo pegar até 12 anos de prisão.

O Hospital disse que, desde a chegada do paciente, ele está sob custódia de agentes do poder público. Afirmou ainda que a unidade hospitalar “não criou, e jamais criará, obstáculos ao cumprimento de mandados judiciais”. Por fim, o USD informou que “os devidos esclarecimentos técnicos/médicos estão sendo disponibilizados ao Judiciário, conforme estabelecido”.

 

CASO JARACATY

Na última semana, foi negado o pedido de habeas corpus feito pela defesa de Victor Yan Barros de Araújo. Segundo o ministro Nefi Cordeiro, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), o suspeito foi detido em flagrante pela prática de homicídio culposo na direção de veículo automotor. Devido o flagrante, o juízo a converteu em preventiva. No documento, a defesa de Victor Yan questiona a veracidade do teor do termo de constatação de sinais de alteração de capacidade psicomotora elaborado pelos policiais militares, pois na sua confrontação com o laudo emitido por perita oficial, não ficou constatado “sinais clínicos de embriaguez alcoólica”.

Um mês após o acidente, familiares das vítimas continuam cobrando providências sobre o caso. Uma reunião foi realizada nesta terça-feira (08) com defensores públicos, que ouviram reclamações sobre os problemas enfrentados pelos nove sobreviventes e a comunidade, ainda em decorrência do acidente.

Quatro defensores vão atuar no caso e acompanhar as providências que estão sendo adotadas pela Prefeitura de São Luís, para dar mais segurança no trânsito da região. Os moradores também querem acesso a tratamentos especializados: como cirurgias, exames e consultas.

Além disso, a população cobra a instalação de uma mureta de proteção na avenida e de uma passarela. A Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes informou, por meio de nota, que está adotando todas as medidas necessárias para a construção de uma barreira de contenção na lateral da avenida, no sentido Jaracaty-Centro até a cabeceira da ponte Bandeira Tribuzzi.