Consórcios tem 120 dias para reformar Terminais de Integração

A Justiça determinou prazo de 120 dias para os Consórcios que atuam na Grande Ilha promoverem reformas e readequações nos Terminais de Integração da capital. Entre as irregularidades estão os danos na pavimentação asfáltica e rompimento de calhas.

A Secretaria Municipal de Trânsito e Transporte (SMTT) recebeu as reclamações dos usuários do transporte coletivo e durante vistoria constatou uma série de irregularidades, entre elas: falta de capina, banheiros para pessoas com deficiência sem barras de apoio, ausência de piso tátil e mangueira de hidrantes.

Os consórcios alegam que a responsabilidade é da prefeitura, e dizem que receberam os terminais deteriorados, mas a decisão judicial determina que os Consórcios Taguatur Ratrans/Consórcio Central, Viação Primor e Via SL executem reformas e readequações nos Terminais de Integração do Distrito Industrial, Cohab-Cohatrac, Cohama-Vinhais e da Praia Grande, em São Luís.

A decisão foi expedida pela Vara de Interesses Difusos e Coletivos, em caráter de urgência, por causa dos riscos à segurança dos usuários. O juiz titular Douglas de Melo Martins já intimou os consórcios e a prefeitura de São Luís para audiência de conciliação marcada para o dia 14 de outubro.