Para baratear fretes, Governo Federal quer trocar diesel por gás em caminhões

O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, quer usar o novo mercado de gás, que será lançado pelo presidente Jair Bolsonaro nesta terça-feira (23), para diminuir o consumo de diesel no país e estimular a conversão de caminhões para o gás natural veicular, uma forma de reduzir o custo do frete no país.

Atualmente, cerca de 10,6% do gás comercializado no país abastece veículos. Por sua vez, a frota a gás representa apenas 2,2% do total de caminhões em circulação, segundo dados do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran).

Ainda com uma rede de abastecimento veicular limitada, focada nos maiores centros urbanos, o gás fica concentrado em grandes indústrias e na geração de energia elétrica por centrais hoje movidas, em sua maioria, por diesel e outros combustíveis fósseis.
O anúncio do planejamento, segundo Albuquerque, irá substituir as térmicas movidas a diesel. “Os contratos [de fornecimento de diesel] que forem vencendo serão substituídos [por gás]”, explicou. Segundo o ministro, a base do plano reside na retirada da Petrobras do mercado de transporte e distribuição de gás.