Justiça mantém prisão preventiva de PM acusado de triplo homicídio

O policial militar Hamilton Caires negou, durante depoimento em audiência de custódia, participação no triplo homicídio de jovens da região do Coquilho, zona rural de São Luís.

Na audiência da última sexta-feira (14), no Fórum Desembargador Sarney Costa em São Luís, o PM Hamilton Caires e o vigilante Evilásio Lemos foram ouvidos, além de 22 testemunhas. Joanderson Diniz, Gildean Castro e Gustavo Feitosa foram mortos em janeiro deste ano.

Ao depor, Evilásio confirmou que levou o PM ao local onde as vítimas foram executadas. Ao final da sessão, o juiz Gilberto Moura rejeitou pedido da defesa de Hamilton e decidiu mantê-lo preso preventivamente. O magistrado acatou o pedido dos advogados do PM e do vigilante para que as alegações finais sejam feitas por escrito, ou seja, somente após os prazos previstos no Código de Processo Penal é que vai ser decidido se os dois serão submetidos ou não a julgamento.

O Ministério Público do Maranhão já se posicionou favorável para que os dois sejam submetidos ao Tribunal do Júri.