Jefferson Portela destaca combate à criminalidade no estado

Na manhã desta segunda-feira (17), o Secretário de Segurança do Maranhão, Jefferson Portela, participou de uma entrevista exclusiva no Programa Bandeira 2, da TV Difusora. Na ocasião, ele comentou sobre os crimes de homicídios que ganharam repercussão no estado, como o caso do triplo assassinato de adolescentes no Coquilho, zona rural de São Luís, ocorrido neste ano. Ele frisou ainda o caso Décio Sá e comentou sobre a prisão do ex-superintendente de Investigações Criminais do Maranhão, Thiago Bardal, envolvido em roubos de cargas. Sobre esses crimes, ele ressaltou a medida do estado em elucidar e combater o índice de crime no Maranhão, que teve uma queda significativa.

Durante a entrevista, foi citado a medida e competência da segurança estadual em investigações dos crimes destacados. A atuação com a comunidade do Coquilho para uma resposta rápida à população. “Temos o dever público de apurar a autoria de crimes e prender os autores”, falou Jefferson Portela sobre a importância da resolução imediata dos crimes e as causas.

Ele revelou a importância desse acompanhamento por parte do estado e explicou sobre o requerimento de inquérito policial para apurar a fraude processual do caso Décio Sá, jornalista assassinado em 2012 por supostos pistoleiros e envolvidos em esquema de agiotagem.

O secretário ainda destacou o andamento do caso Bardal. “Tem mais pessoas envolvidas (…) já sabemos”, relatou ele fazendo referência as novas cargas de cigarros contrabandeados apreendidos no município de Raposa. Ele revelou que o ex-superintendente recebia R$ 100 mil  por mês por conta de cargas contrabandeadas e que Bardal fazia parte da quadrilha de Adriano da Silva Brandão, morto em 2018 durante um confronto com policiais da Companhia Independente de Operações Especiais (Cioe) no município de Tucuruí, no sudeste do Pará.

“Não faço graça com criminoso, nem grande e pequeno, eu não me sento com bandido”, relatou Portela em referência a Bardal e sobre a possibilidade ter pessoas da esfera pública ligada ao mundo do crime.

No Maranhão, entre janeiro e abril deste ano, as quatro cidades da Ilha registraram 86 casos de homicídios, 72% a menos que o mesmo período de 2014. Em casos de roubos a bancos, houve ainda uma redução de 82%. Para o secretário, isso é um ponto positivo, pois segundo Jefferson Portela, as quadrilhas do estado estão se mudando para o Mato Grosso em prejuízo à apreensão de drogas no estado.

Entrando no debate nacional, o secretário relatou ser contra a posse de armas. “Um absurdo, completamente errado. A política de reduzir violência não é armar o cidadão comum, o estado tem que criar meios de impedir a entrada de armas no país e ter esse controle”.

Confira e entrevista na íntegra: