Correios recicla mais de 140 toneladas de resíduos no Maranhão

17 de maio é o Dia Mundial da Reciclagem, data escolhida pela UNESCO para estimular a reflexão e o debate sobre a produção de resíduos e possíveis soluções. Como grandes geradoras de resíduos sólidos, as grandes empresas possuem uma responsabilidade ainda maior nessa área.

Foi com esse pensamento que, em 2002, os Correios assumiram o compromisso de realizar a coleta seletiva. Inicialmente, apenas na sede em Brasília e, posteriormente, em todas as suas unidades pelo Brasil. Com a edição do Decreto nº 5.940/2006, do Governo Federal, essa responsabilidade foi institucionalizada para todos os órgãos da administração pública federal direta e indireta, na qual Correios estão inseridos.

Somente no Maranhão, foram reciclados nos últimos quatro anos 134,7 toneladas de papel e papelão, 4,4 toneladas de plástico, 6,6 mil litros de óleo lubrificante, 5,3 mil paletes de madeira, 2,3 mil lâmpadas fluorescentes, 966 pneus, além de baterias de carro, pilhas, ferro e toners e cartuchos de impressora. Todos esses resíduos originários das atividades administrativas e operacionais dos Correios.

O superintendente estadual dos Correios explica que esses itens eram todos descartados e iam parar nos lixões e aterros das cidades. “Desde que implantamos a Coleta Seletiva Solidária, fazemos parcerias com cooperativas e associações que tratam esses resíduos como matéria-prima para novos produtos, gerando renda para os cooperados e associados”, explica o superintendente estadual da empresa, Ricardo Melo Sousa Barroso. “Além disso, reduzimos ao mínimo o consumo de papel, plásticos em geral, especialmente copos descartáveis e tudo o que é utilizado apenas uma vez”, completa.

Materiais reciclados pelos Correios no Maranhão (2015-2018)

Papel/Papelão: 134.782kg

Plástico: 4.467kg

Ferro: 400kg

Pneu: 966 unidades

Toner/cartucho: 500 unidades

Palete de madeira: 5.372 unidades

Óleo lubrificante: 6.662 litros

Lâmpada fluorescente: 2.305 unidades

Baterias de carro: 218 unidades