Água da chuva arrasta veículos e alaga casas no Maiobão

Moradores da avenida 1 do residencial La Belle Park, em Paço do Lumiar, filmaram as chuvas da tarde desta terça-feira (02).

Em alguns trechos, a água invadiu as residências, a água atingiu mais de meio metro de altura e escondeu obstáculos como buracos, bueiros sem tampa e até galerias.

Após as chuvas, a mesma avenida ficou completamente destruída. Não há asfalto em parte dela e quase uma quadra inteira ficou cheia de crateras. A água empoçada ainda esconde o perigo e pedaços do que sobrou do pavimento ficaram espalhados pela via.

Pelas imagens gravadas por aparelhos de celular, e que circulam em aplicativo de mensagens instantâneas, é possível ver os pontos de alagamentos formados em poucos minutos de chuva intensa no conjunto Maiobão.


Na avenida 13 do Maiobão, um veículo Volkswagen Gol foi arrastado pela força da água e moradores ficaram assustados. Em poucos segundos, o carro desce vários metros na via. “Água levando o carro, nesse momento no Maiobão. Carro vai descendo, nesse momento”, disse uma mulher.

Próximo à Unidade de Ensino Básica Poeta Goncalves Dias, popularmente conhecida na comunidade como CAIC, ficaram alagadas as avenidas 3 e 13.

No Mojó, na mesma região em Paço do Lumiar, uma casa desabou próximo a um bar. Não há informações se havia alguém dentro da estrutura no momento do desabamento ou se alguém se feriu.

Confira abaixo nota da prefeitura de Paço do Lumiar:

A Prefeitura de Paço do Lumiar informa que uma equipe com técnicos da Secretaria Municipal de Infraestrutura, em conjunto com o Corpo de Bombeiros, tem percorrido as áreas mais críticas do município realizando ações emergenciais para minimizar os transtornos provocados pelo volume anormal de chuvas que tem caído em Paço do Lumiar, inclusive com resgate de veículos e pessoas cujas casas de estrutura mais frágil não aguentaram a força da água.
A Prefeitura lamenta o que vem ocorrendo e informa que desde fevereiro iniciou a limpeza dos bueiros e bocas de lobo de diversas áreas do município para evitar alagamentos, mas o volume de chuvas tem sido superior à capacidade de escoamento das galerias. Por causa do grande número de ocorrências, a Prefeitura decretou desde a semana passada estado de emergência e segue realizando o atendimento aos moradores afetados pelos alagamentos.