Por falta de medicamentos e médicos, enfermeiros têm acumulado funções

Em Imperatriz, pacientes que precisam de atendimentos na atenção básica estão encontrando dificuldades para serem recebidos. Outro problema relacionado à saúde está a falta de medicamentos nos postos.

Entre os órgãos fiscalizadores das instituições que ofereçam serviço de saúde está o Conselho Regional de Enfermagem do Maranhão. Só em Imperatriz são 101 estabelecimentos do segmento e o último monitoramento foi realizado no mês de janeiro deste ano.

Como consequência, no setor da saúde de Imperatriz, profissionais acabam fazendo procedimentos de urgência, saindo do trabalho da enfermagem por conta da carência dos demais profissionais. Inscritos no Coren são 4.300 profissionais, entre enfermeiros, técnicos e auxiliares. Além da carência desse segmento, há problemas na saúde relacionados à estrutura física do hospital municipal de Imperatriz, problema que foi verificado por uma comissão de vereadores.

A maior reclamação é que faltam medicamentos e médicos. Além disso, os enfermeiros e técnicos de enfermagem realizam uma série de procedimentos que não são suas funções imediatas para prestar socorro.