Assassinato de prefeito foi planejado há 3 meses; empresário é preso

O empresário Antônio José Messias foi preso na noite desta quinta-feira (26) em cumprimento a mandado de prisão temporária, suspeito de envolvimento na morte do prefeito de Davinópolis. Os delegados Praxisteles Martins e Jeffrey Furtado concederam entrevista coletiva e informaram que Antônio Messias foi identificado após a prisão dos suspeitos no dia 11 de dezembro.

Algumas mensagens e denúncias anônimas já haviam chegado até à polícia sobre ele. A participação de Antônio Messias foi confirmada não no local do crime, mas com a organização criminosa que planejou o assassinato. O empresário Antônio Messias deverá ficar preso temporariamente, no prazo de até 30 dias. Foi cumprida uma ordem de busca em dois endereços, onde foram encontradas mais provas.

Messias é a sétima pessoa presa até agora envolvida na morte de Ivanildo Paiva. O fazendeiro foi preso nesta quarta-feira (26) após dois mandados de busca e apreensão realizados na residência dele. Ele é suspeito de ser o mediador entre os executores e o mandante do homicídio.

O suspeito foi candidato por duas eleições à Câmara de Vereadores de Davinópolis, em 2008 e 2012, mas em nenhuma conseguiu se eleger. De acordo com a polícia, o assassinato do prefeito de Davinópolis foi planejado há pelo menos 3 meses e foi encomendado por cerca de R$ 200 mil reais. Durante a coletiva concedida nesta quinta-feira (27), os delegados que investigam o caso informaram que os autores dos 7 disparos que mataram Ivanildo Paiva foram o sargento Wilame Nascimento da Silva, lotado na Polícia Militar em Grajaú, e o policial militar lotado em Dom Eliseu-PA, Francisco de Assis Bezerra Soares. Os dois foram presos no início deste mês.

Além do fazendeiro e dos 2 policiais, também foram presos o mecânico José Denilton, o Boca Rica, o motorista Douglas Barbosa, suspeito de ser o articulador do crime, e Gean Dearlen dos Santos Neres. Ivanildo Paiva foi assassinado no dia 11 de novembro deste ano.